Skip to content

Aqui você vem por cima do bandeirão!

09/01/2010

Salve Joaquim Ambrósio!

Salve Rafael Perrone!

Salve Anselmo Correia!

Salve Carlos Silva!

Salve Antônio Pereira!

Clica no bandeirão para ele abrir!

clica na imagem!

Anúncios
21 Comentários leave one →
  1. 09/02/2010 14:18

    Coisa linda tudo isso….
    Como é bom ser Corinthiano…
    Como é bom participar dessa festa…

    Curtir

  2. Morgana permalink
    09/02/2010 1:42

    Ainda não vi o Cometa Halley passar, mas vivos todos os dias sob um sol alvinegro chamado CORTINTHIANS. Tudo passa, só o Timão ficará, eternamente dentro dos nossos corações.

    Parabéns a todos.

    Obrigada pela lembrança, Álvaro.

    Curtir

  3. Tobias permalink
    09/01/2010 17:55

    O time dos anarquistas:
    100 anos de ódio e resistência

    Mauro Carrara

    Há exatos 100 anos, um grupo de operários do bairro do Bom Retiro, em São Paulo, praticaram um ato de “desobediência civil”.

    À luz de um lampião, na rua, os insurretos decidiram criar um time de futebol do povo e para o povo.

    Atrevidos, decidiram que a nova agremiação não deveria se contentar com a várzea.

    O plano era formar um esquadrão para enfrentar, de igual para igual, os clubes da fechada elite paulistana.

    Ousados, já meteram a mão em foices para abrir uma cancha num terreno baldio, pertencente a um lenheiro do bairro.

    E, no primeiro jogo, contra o União Lapa, saíram em passeata até o palco da contenda.

    Mas como passeata? Passeata, sim senhor, porque essa gente era sobretudo anarquista, com a graça do bom Deus.

    O primeiro presidente do clube, o ítalo-brasileiro Miguel Battaglia, por exemplo, tivera contanto com o anarcossindicalismo ao prestar serviços para a Light.

    É dele a frase cândida, mas também desafiadora, que guia a nação alvinegra até hoje: “Este é o time do povo, e é o povo que vai fazer o time”.

    Essa turminha do barulho lia o jornal anarquista de Gigi Damiani, o La Battaglia, que exortava os trabalhadores a fundarem suas próprias escolas e agremiações esportivas.

    O time dos anarquistas não tinha bagunça. Cada um sabia das suas atribuições. Cada um assumia uma responsabilidade, conforme o que se aprendera de Bakunin e Malatesta.

    E assim se estruturou. Em 1913, os meninos bons de bola conquistam o direito de participar da divisão principal do futebol paulista.

    Ao mesmo tempo, o Paulistano e a A. A. das Palmeiras (nada a ver com o atual Palmeiras), enojados do cheiro do povo, se retiraram da liga e resolveram disputar um torneio paralelo.

    Começava ali uma história de ódio.

    A imprensa questionava a presença de um time de iletrados no mundo do chiquérrimo futebol, um jogo inventando por lordes ingleses.

    Quanta petulância!

    E para acirrar ainda mais os ânimos, o time dos anarquistas admitia gente de todos os tipos.

    Logo agregava os negros, os mulatos, os caboclos e outros filhos da terra.

    Mais um pouco e atraía também os outros segregados, polacos, libaneses, alemães, sírios, japoneses e gregos, gente que somente se entendia na alegria de torcer pelo Corinthians.

    Imaginem o escândalo: um time de anarquistas, pretos, imigrantes e boêmios invadindo as elegantes festas do Velódromo.

    Se o Corinthians ainda existe é por conta da brava resistência ao preconceito.

    Tudo lhe foi sempre negado ou dificultado.

    A mídia paulistana sutilmente construiu um estereótipo desabonador do corinthiano: é o ladrão, favelado, sem modos, sujo e vagabundo.

    E mesmo criminalizado o Corinthians sobreviveu, e se fortaleceu.

    E fortaleceu-se por qual motivo? Justamente porque sempre se cria um espírito de resistência solidária entre os oprimidos, ofendidos e injustiçados.

    Passaram-se 100 anos, e nada mudou.

    O Corinthians continua sendo alvo preferencial da mídia monopolista.

    Se o grande São Paulo Futebol Clube recebe um financiamento do BNDES não há nada de errado. É a ordem natural das coisas.

    Ora, mas se o banco vai financiar a “pretalhada”, os “gambás”, aí é uma vergonha.

    Se a ordem é investir dinheiro público no rico bairro do Morumbi, a imprensa sorri de orelha a orelha.

    Mas se a grana toma o rumo de Itaquera, na esfolada Zona Leste, já vira um caso de polícia.

    Estadão, Folha, Abril, Globo, ESPN, entre outras organizações midiáticas aproveitaram para criminalizar mais uma vez a paixão de Lula pelo time do povo.

    Está aí um prato cheio para colunistas políticos travestidos de colunistas esportivos: juntou o time dos anarquistas, do populacho, com o operário nordestino que se meteu a ser presidente…

    Ai, não dá, né? Ainda mais quando ambos, o time e o presidente apresentam atributos que encantam o povo e, logicamente, o eleitorado.

    Aqui, no Brás, os fogos espoucaram durante toda a madrugada.

    Subiam dos quintais de cortiços, das janelas de apartamentos minúsculos, de ruelas esquecidas e escuras, dos lugares onde o povo do Brasil ainda resiste, invisivelmente.

    Ahhh… Quanto ódio, meu Corinthians, mas quanta amorosa resistência!

    Parabéns pra você!

    Curtir

  4. Pedro Finardi permalink
    09/01/2010 17:34

    Eu nem sei o que dizer,é só pensar em Corinthians que eu começo a chorar de alegria.Eu só posso agradecer a Deus por estar vivo e presenciar o centenário do time do povo.

    Obrigado por existir CORINTHIANS!!!

    Curtir

  5. Luís Fontes permalink
    09/01/2010 17:25

    Ontem fui jogar bola das 22 as 00hs e quando deu 1/2 noite a explosão de fogos foi tanta que tinhamos a impressão que estes eram para comemorar os gols da nossa pelada que acontecia com 90% de corinthianos e uma 1/6 duzia de 3 ou 4 palmeristas e bambistas… o mais cômico eram os palmeristas e bambistas tentando desqualificar o Coringão no dia do centenário…

    Ontem tive dó destes coitados pois estes não sabem que não precisamos de estádio e nem de libertadores para sermos grandes… não precisamos de títulos (mesmo tendo aos montes) para ser destaque no mundo dos esportes… estes coidados não sabem o que é torcer para um clube que tomou o Maracanã como nunca mais acontecerá na história do futebol mundial, ou como é torcer para um clube que faz do título de 77 (um simples paulistinha) virar a maior comemoração de um título no futebol brasileiro!

    Ontem mais uma vez percebi que o feito simples de fundar um clube de varzea destes 5 operários do início do céculo passado foi algo mágico, que mudou a história do futebol brasileiro e deu ao povo oque deveria ter sido sempre do povo, o direito de jogar futebol.

    O Corinthians é um fenomeno que vai muito alem de meras conquistas por mais importantes que elas sejam como o Mundial de 2000 por exemplo, o Corinthians é literalmente o único clube do povo feito pelo povo e para o povo e esta deliciosa emoção de torcer para o clube dos 5 humildes operários do início do século passado, os coitadinhos dos palmeriastas e bambistas vão morrer sem saber o que é!

    Curtir

  6. ANDRE.T permalink
    09/01/2010 16:23

    Do palmeirense Mauro Betting

    É amanhã. Foi ontem. É hoje. Será sempre. O Corinthians não precisa de data para celebrar. Só precisa de Corinthians.
    Pode parecer mesquinho para os outros, onanista, até. Mas isso é Corinthians para quem de fato importa – o corintiano. Basta existir.
    O fiel não precisa de jogo, de estádio, de adversário, de futebol, de campeonato, de gol, de vitória, de título.
    O corintiano só precisa do Corinthians para ser feliz.
    Só precisa de outro corintiano para fazer festa. Ele se encontra pela rua e confraterniza como se visse um Luisinho, um Marcelinho, um Neco, um Neto, um Rivellino, um Sócrates, um Wladimir, um Cláudio, um Biro-Biro, um Zé Maria, um Basílio, um Gilmar, um Brandão, um ídolo. Um corintiano. Que não precisa ser craque, pode até ser bagre. Desde que saiba que a camisa não é um símbolo. É tudo. É Corinthians.
    Não é um bando de loucos. É um corintiano. Definição precisa e perfeita. Completa e complexa. Mas simples como um torcedor que ama o time como ama a família. Se não torce de fato mais pelos 11 que jogam por todos que pelos entes queridos. Afinal, é tudo do ente. É tudo doente. É tudo Timão.
    O Corinthians não é a vida de um corintiano.
    Antes de ser gente ele é Corinthians.
    Por isso tanta gente é Corinthians. Num Brasil imenso e injusto socialmente, o campeão dos campeões paulistas é dos maiores fatores de inclusão, justiça e igualdade no país.
    Não por acaso é nação dentro deste continente. Tem regras complicadas, tem razões malucas, tem paixões regradas. Tem de tudo e tem para todos no Parque São Jorge. Na casa por usucampeão Pacaembu. No Morumbi tantas vezes palco das festas. No Maracanã campeão mundial em 2000. Nas tantas praças brasileiras que viraram casas corintianas em títulos e troféus. Até mesmo nas dores que não murcharam amores. Até mesmo nas vergonhas nos gramados e nos sem-vergonhas das tribunas e tribunais, o Corinthians sempre soube ganhar como raros, e até soube perder como poucos. Mesmo perdendo a cabeça e perdendo o juízo. Mas jamais perdendo o coração.
    Doutor, eu não me engano, mesmo que meu coração seja o oposto do corintiano, não há nada que bata tanto e por tantos como esse que se diz maloqueiro e sofredor, graças a Deus!
    Esse prazer de eventualmente sofrer é exclusividade alvinegra. Esse amor não se explica. É um presente. É um dom. É uma doação, mesmo quando mais parece uma danação. É sina que não se explica, que fascina até quem não é, até quem não gosta. Não sei explicar o Corinthians. Nem os corintianos conseguem.
    Mas nada disso é preciso. O que importa é que sempre haverá no estádio e em cada canto um fiel. Um estado de espírito alvinegro. Um torcedor que acredita sem ter por que; que torce sem ter por quem; que joga sem ter com quem.
    Listar os títulos corintianos não é fácil. Mais difícil é compreender um torcedor que até se orgulha dos fracassos. Até na segunda dos infernos. Em 2008, vi gente acreditando como sempre desde 1910. Vi fiel não abandonando. Não parando. Acreditando. Corintianando.
    Fiel pode até ser rebaixado – mas não se rebaixa. Raros sabem perder e ganhar como nenhum outro jamais venceu.
    Ainda mais raros (embora muitos) nasceram sabendo que quem ama não perde. Podem até ter times melhores. Mas mais amados?
    Nestes 100 anos, não conheço igual.
    Até porque quarta-feira não será um dia especial.
    Desde 1º. de setembro de 1910, todos os dias são especiais.
    Todos são dias de Corinthians.

    Curtir

  7. Cesar Augusto permalink
    09/01/2010 14:02

    Viva, o maior e mais importante clube do Brasil, que viverá mais 100 anos com muita tranquilidade e com a certeza da eternidade.

    E a virada corinthiana deixou os antis com uma inveja do tamanho e da grandeza do Corinthians, pois é mais do que certo que teremos um belo e promissor futuro.

    Só está começando.

    Curtir

  8. Alessandro permalink
    09/01/2010 13:20

    Viva a República Popular do Corinthians, uma nação de loucos.

    Curtir

  9. fabiano permalink
    09/01/2010 13:10

    Parabéns ao Timão e a todos os corinthianos que contribuem para sua grandeza.
    Que venha o próximo centenário, recheado de glórias e muita garra!!!

    Curtir

  10. nicolas permalink
    09/01/2010 12:48

    Belíssima festa popular para o maior clube brasileiro.Quem diria que uma instituição fundada sob a luz de lampiões,fosse chegar tão longe.

    E qual é o critério para participar do bandeirão?Vou precisar esperar por um convite especial?rs.

    Por falar nisso,você consultou o Seu Cruz antes de incluí-lo?rs.

    Parabéns a todos por uma data muito especial.

    Curtir

  11. 09/01/2010 10:11

    E em Curitiba tbm teve festa com fogos tbm!!! Parabéns Sport Club Corinthians Paulista, e sua fiel torcida espalhada por tooodo o Brasil!

    Curtir

  12. Robson Nóbrega permalink
    09/01/2010 9:47

    Que emocionante a queima de fogos, lá onde moro (Itaim Paulista) achei que só eu ia soltar, só o Corinthians é capaz disso.

    Falei com várias pessoas, isso aconteceu em vários lugares, até em Santos.

    PARABENS NAÇÃO, ORGULHO DE TI CORINTHIANS.

    Curtir

  13. 09/01/2010 8:51

    Parabéns a todos nós! O sonho dos ancestrais do Time do Povo faz 100 anos!

    Viva o Corinthians!

    Curtir

  14. EDDIE/SCCP1910 permalink
    09/01/2010 8:18

    Numa familia de pai e tio palmeirenses eu me lembro de em 86/87 relutar a ideia de torcer pro Palmeiras e insistir que queria ser Corinthiano

    Até aquele gol do Viola contra o Guarani em 1988, ali eu decretei, sou Corinthiano não tem mais volta
    Nem tanto pelo gol e consequentemente o titulo, mas aquela comemoração do Viola jogando a camisa pra torcida e o Brinco quase vindo abaixo, eu pensei esses caras são diferentes, quero ser igual a eles……..Esse momento me emociona até hoje.

    Parabens aos Corinthianos, tá só começando.

    Curtir

  15. emboava permalink
    09/01/2010 5:38

    É isso aih… 100 anos de Timão!!
    Valeu!

    Curtir

  16. David Emmanuel permalink
    09/01/2010 3:19

    É nóis!!!

    Curtir

  17. 09/01/2010 1:36

    Junto e misturado!

    Até o fim!

    VIVA O CORINTHIANS!!

    Curtir

  18. yamada permalink
    09/01/2010 1:16

    Parabens a voce Álvaro ao Corinthians e todos os corinthianos que visitam seu blog!

    Curtir

  19. mucio rodolfo permalink
    09/01/2010 0:22

    Parabens a todos os corinthianos do mundo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Como dizia um antigo personagem do Jô Soares no Planeta dos Homens: “Este time só me dá alegria!”

    Curtir

  20. Fernando permalink
    09/01/2010 0:09

    Simplesmente DUCA, Álvaro!! Valeu!!! Viva nóis!!!

    FELIZ CORINTHIANS!!!!!

    PARABÉNS, TIMÃO!!!

    Curtir

Trackbacks

  1. Tweets that mention Aqui você vem por cima do bandeirão! « Não pára de lutar! -- Topsy.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: