Skip to content

Arremendos…

11/26/2010

Quando a mentalidade de colônia copiou o modelo europeu dos pontos corridos, ela cometeu seu erro mais comum: importar modelos estrangeiros sem nenhuma preocupação com a realidade local. Brasil não é Europa e aqui apareceu, em todo o seu esplendor, os pontos bônus ou pontos entregues a custa dos inimigos íntimos.

Aqui apareceu também “a legitimidade do método”, quando torcedores foram aos estádios torcer contra seus próprios times (ou bater nos seus jogadores, quando eles não seguiam a linha da arquibancada — lembremos do Grêmio).

Já coloquei diversas vezes a minha opinião de que o modelo de pontos corridos é, antes de mais nada, NEFASTO enquanto meio indutor da elitização do futebol (brasileiro ou mundial). Afinal, poucos são os times que têm condições de arcar com um bom elenco durante 38 rodadas. Isso mata o futebol.

Agora, a novidade lançada pelo Juca’s Gang é que “a coisa seria minimizada” se os clássicos fossem deixados para a última rodada. Mais uma vez, desperta aquele pensamento imediatista que não enxerga o médio prazo. O mesmo pensamento que não enxergou o surgimento dos empresários pelo fim da Lei do Passe (e já existia o boxe como péssimo exemplo) ou que não entendeu que um clube-empresa é menos controlado que um clube associativo, e ainda se surpreendeu quando o modelo não deu certo por aqui.

Enfim, imaginemos então Corinthians, Cruzeiro e Fluminense, cabeça-a-cabeça disputando os jogos finais no novo modelo:

  • Fluminense pega: Vasco, Botafogo e Flamengo.
  • Corinthians: São Paulo, Santos e Palmeiras.
  • Cruzeiro pega: Goiás, Ceará e Atlético.

Sabendo que os “rivais” jogam por qualquer empate, que bela tabela justa, hein?

Anúncios
27 Comentários leave one →
  1. CLEBER permalink
    11/29/2010 11:11

    Bom dia a todos, o unico campeonato nacional em que não ocorrem entregadas é a Copa do Brasil, justamente porque com a derrota só prejudica a si mesmo. Infelizmente no Brasil, e não é só no futebol, a ética só existe até o momento em que se possa levar vantagem com ela, passado este momento o Brasileiro tenta 1º levar vantagem sem ética mesmo,e 2º se não der pra levar vantagem de modo algum, vale prejudicar o Adversario ou ajuda-lo (vale o que for causar menos criticas a si-mesmo).
    Agora fica uma pergunta no ar: Se o Palmeiras estivesse em 16º colocado, com risco de rebaixamento, sera que o Kleber Gladiador(kkkkkkkkk) teria jogado com aquela vontade toda ? Sera que o Marcos Assunção teria chutado faltas 20metros acima do Gol? Sera que o time do Palmeiras tocaria bola até o meio-campo e voltaria pra traz como fizeram o jogo inteiro?

    Curtir

  2. Nicolas permalink
    11/27/2010 16:28

    Mudar para o sistema dos playoffs não vai impedir que se “entreguem” jogos.O problema é até mais amplo do que se pensa.Pode envolver entregas na luta contra o rebaixamento.O que impedirá que ocorram estes desvios de comportamento na luta de um time contra o rebaixamento?É uma grosseira manipulação de resultados ou eu estou equivocado?

    A imprensa esportiva fez vistas grossas para as declarações irresponsáveis de diretores palmeirenses.Diretores que anunciaram o seu desejo de perder o jogo.”Queremos perder por WO”,disseram.Ética desportiva,na visão destes jornalistas,só deve ser cobrada de Ricardo Teixeira.O que existe,para boa parte da imprensa,é uma ética de conveniência.Uma ética que só é invocada no momento apropriado e contra a persona non grata.

    O que falta é uma ação incisiva contra estes desvios.Seja por parte de federações,autoridades,etc.No que depender de muitos dos nossos dirigentes,a credibilidade do nosso esporte vai para o ralo.Imaginem que muitos dos nossos jogos passem a ser transmitidos para o exterior.Quem irá querer assistir a um campeonato que tem este padrão moral?O que estamos vendo no futebol,e não é de hoje,é que se usa qualquer tipo de expediente ou manobra rasteira para prejudicar um time adversário.Vale qualquer meio para atingir esse fim.Só não dá para o cidadão usar um artifício sujo e depois imaginar que ficará limpo no final do processo,hehe.

    Curtir

    • 11/27/2010 17:18

      Eu concordo que falta ação. Se eles punissem o próprio Corinthians, ou vá lá, o Felipe ano passado. Ou punissem o Ricky esse ano, acho que isso poderia mudar a mentalidade da maioria.

      Ano passado foi totalmente contra a entrega e queria saber que foi o paspalho que fez aquele jornal “O Fiel” com a chamada “doce derrota”.

      Doce no rabo dele!

      Curtir

  3. mucio rodolfo permalink
    11/27/2010 15:40

    – Mata-mata acaba com o entrega-entrega? Lógico que não. Nas ultimas rodadas, um clube sem nada a aspirar num campeonato pode facilitar as coisas para um adversário com o fim de evitar que um rival chegue as finais.
    – Clássicos nas ultimas rodadas evita o entrega-entrega? A fórmula pode ter eficiência em Belo Horizonte ou Porto Alegre. Aqui em São Paulo é complicado, principalmente por causa dos sardinhas que são bem capazes de entregar o seu jogo para os bambis e os porcos para nos ferrarem.

    Curtir

  4. Cesar Augusto permalink
    11/27/2010 12:18

    Acho que o mais importante neste momento é a proposição de um debate mais amplo na questão dos pontos corridos, que se tornou praticamente inatacável, mas, especialmente, nos seus últimos campeonatos apresentou falhas.

    Instituiu-se no futebol brasileiro as famosas entregadas.

    E tenho absoluta certeza que vieram, desta vez, para ficar.

    Além da questão dos pontos corridos, imperativo seria, também, pequenas alterações no calendário, como por exemplo, a Copa do Brasil sendo disputada por todas as equipes e, de preferência, as fases finais, no segundo semestre.

    Libertadores e Sul-Americana deveriam ser jogadas no primeiro semestre.

    Acho que mudanças simples, desta natureza, diminuíram a saciedade do torcedor pela mudança de regulamento no brasileirão. A Copa do Brasil, disputada por todos, poderia ser o mata-mata que emplacasse emoção no final do ano.

    Em tempo: Prefiro os pontos corridos, pois causam menos injustiças e concede aos clubes uma melhor forma de se planejarem durante o ano. Todos os clubes, desde 2003, jogam até a primeira semana de dezembro, o que facilita o planejamento, especialmente, o financeiro.

    Agora, nos pontos corridos, falta emoção.

    Mas, no sistema de mata-mata, tem emoção na final, mas a primeira fase é modorrenta e entregadas podem acontecer também.

    E nem precisamos voltar muito no tempo. Em 2002, o Galo Mineiro já estava classificado e pouco se esforçou, em Porto Alegre, contra o Grêmio. Perdeu e o Cruzeiro, seu rival, ficou em nono lugar, eliminado.

    Mala brança, neste sistema, também, existe. O Santos, em 2002, enviou uma mala recheada para o já rebaixado Gama, que goleou o Coritiba, por 4×0, e classificou o time praiano para as finais.

    E tem mais:

    Nos pontos corridos, as equipes desclassificadas ficam quase dois meses sem atividades. Lembremos, por exemplo, que o mesmo Santos, em 2002, ficou quase 4 meses sem jogar, porque foi eliminado precocemente da Copa do Brasil e da Liga Rio-SP.

    Nesse aspecto, evoluímos, porque os campeonatos estaduais terminam, em sua maioria, na mesma data e na semana seguinte já começa o Brasileiro. Ou seja, é facil se programar.

    No mata-mata, as equipes que estão na turma da Marola, ou seja, não aspiram mais nada, passam rodadas sem maiores motivações fazendo partidas modorrentas. Lembro o Corinthians, de 2001, que não seria rebaixado e, também, não chegaria entre os 8. Eram jogos e mais jogos sem nenhuma emoção.

    Os defensores dos dois sistemas tem argumentos, mas acho que de 2003 para cá, o futebol brasileiro se profissionalizou e as equipes estão mais fortes. Aliás, poucas equipes, comparando a 2002, estão mais fracas. Todas evoluíram, sem exceções.

    O único problema do sistema de pontos corridos é o problema ético, que causa evidentes distorções na realidade do campeonato. E esse problema, meu caro, acontece porque no Brasil, diferentemente, da Europa e da Argentina, temos 12 clubes grandes, não do mesmo tamanho é claro, mas 12 clubes tradicionais, com torcidas apaixonadas e com mais de um rival, no caso de equipes de São Paulo e Rio de Janeiro.

    Teremos com a manutenção dos pontos corridos, campeões circuntanciais, como entendo que será o caso do Fluminense e do Flamengo, no ano passado. O Flamengo foi campeão pelas circunstâncias. O Corinthians facilitou e o Grêmio idem.

    Neste ano, a tabela favoreceu o Fluminense ao enfrentar na sequência os maiores rivais do Corinthians.

    Será um campeão circunstancial, apesar que o Corinthians poderia ter superado tudo isso. Um campeão que terá 6 pontos bônus.

    Fiz uma breve pesquisa, de 2004 em diante, e vi que o Flu, jogando em São Paulo contra Palmeiras e São Paulo, jamais venceu os dois, no mesmo campeonato.

    Aliás, o Fluminense em 13 jogos, perdeu 9, empatou 2 e venceu 2, o São Paulo em 2007 e o São Paulo, domingo passado.

    Essa é maior distorção da história do futebol brasileiro. O Fluminense tem o seu mérito pelo eventual título, mas se ganhar será graças aos 6 pontos bônus.

    E o sistema de pontos corridos e nem sistema nenhum, atualmente, tem como acabar com os pontos bônus.

    A única diferença reside na hora da aplicação dos pontos bônus.

    No mata-mata é só na fase de classificação. Temos as finais para se fazer justiça, mesmo com algumas distorções. Por exemplo, o Santos com 13 pontos a menos, eliminou o SP, por

    E nos pontos corridos, a partir da trigésima rodada começam as entregadas.

    A solução, talvez seria um misto entre os dois campeonatos.

    Pontos corridos com 16 equipes e play-off final entre os 4 primeiros colocados.

    Seria uma solução mista, mas, também, não definitiva, porque no Brasil temos 12 grandes, muitas rivalidades e pouca ética esportiva, este talvez seja o maior empecilho para a consagração de qualquer sistema.

    Curtir

    • 11/27/2010 17:34

      Concordo com quase tudo.

      Eu era a favor dos pontos corridos e comecei a reconsiderá-lo nesse brasileiro que você citou. Aquele time de Robinho, Renato, Elano, Diego, Alex e cia era extra-serie, mas, por pontos corridos, o título seria do SP.

      E o esquecível time do SP não tinha vencido nenhum clássico naquele campeonato.

      Daí eu comecei a perceber que a tal “justiça” era muito relativa no futebol. E comecei também a perceber que na Europa já se sabe quem vai ser campeão antes do 1º jogo e o desnível entre elencos é superior ao do Campeonato Paulista .

      É um modelo que crescemos achando ser o melhor. Ao ser aplicado, resultou em mais organização das equipes, como você cita corretamente. Contudo é sempre um sistema com incerteza quanto à lisura do resultado.

      Tenho ouvido muito jornalista dizer que o Flu é a melhor equipe do Campeonato. Nós aqui do boteco bem sabemos que eles estão bem longe disso!

      Curtir

  5. gabriel permalink
    11/27/2010 11:24

    Que isso cara! Alguém viu isso?
    http://msn.lancenet.com.br/corinthians/Corinthians-Ronaldo-Forlan_0_379162325.html
    Aposto que é mentira, mas que seria firmeza seria.

    Curtir

  6. pedro pedrada permalink
    11/26/2010 23:25

    Estive repensando sobre a questão da porcentagem de responsabilidade por uma eventual perda de campeonato e cheguei a seguinte conclusão. Muito se fala dos pontos bestas que perdemos ao longo da competição, os chamados pontos de balcão. Só que não podemos ignorar que Flunimed e Cruzeiro também perderam tais pontos. Então neste quesito há um certo equilíbrio. Além disso, não podemos nos esquecer de que tais pontos bestas perdidos foram compensados por vitórias em cima dos times “tops”. Assim, não podemos deixar de considerar que as tais entregadas dos rivales terão um grande peso nesta reta de chegada. Bom. Pelo menos ninguem vai poder chamar o Corinthians de sarampo!

    Curtir

  7. mucio rodolfo permalink
    11/26/2010 20:29

    Março de 2011.
    Dirigente de um grande clube do futebol brasileiro (pode ser carioca, mineiro ou gaucho)encontra o responsável pela elaboração da tabela do campeonato brasileiro e lhe faz a seguinte solicitação:
    ” Por favor, coloca o meu clube jogando as ultimas rodadas contra algum time “grande” de São Paulo”!

    Curtir

  8. Emboava permalink
    11/26/2010 19:32

    Não sei se daria muito certo, pois pro Corinthians seria muito mais complicado que pro Cruzeiro ou pro próprio flu…

    Curtir

  9. Fabiano permalink
    11/26/2010 18:29

    Precisamos lembrar que o máximo de pontos que o Timão poderá ganhar nos 2 jogos são 4: 3 contra o Vasco, e 1 contra o Goiás (Tite’s style of playing)… Quer dizer, se só a Vitória do Guarani poderia nos dar o título…

    Curtir

  10. Raphael permalink
    11/26/2010 15:27

    O futebol brasileiro ainda é muito amador na sua administração e por isso temos esse campeonato bagunçado, com supostas entregadas e de baixo nível técnico. Como exemplo, Parmera foi o time que mais gastou em elenco esse ano, mas gastou errado, fruto do amadorismo em sua gestão.

    Por outro lado, vejo que os pontos corridos acabam forçando os times a “arrumarem a casa”. O Corinthians arrumou a casa, bem ou mal, depois que caimos em 2007. Inter, Bambis, Grêmio, Botafogo (!), Cruzeiro e alguns outros são também razoavelmente administrados.

    Acho que voltar ao mata-mata no Brasileirão seria um retrocesso. O melhor seria reduzir o número de times e por consequencia a duração do campeonato. Os clubes também deveriam se reunir antes do campeonato pra acabar com essa palhaçada de entregada… isso queima o campeonato e tira a realidade do mesmo. Concordo que o Corinthians está perdendo pra ele mesmo, mas o Fluminense dificilmente faria 6 pontos fora de casa contra Bambis e Porcada, ainda mais com esse futebolzinho meia-boca do Muricy. Isso é manipulação de resultado, ilegal… CADEIA NELES.

    No fundo, trata-se de uma cultura escrota que temos aqui no Brasil, onde a impunidade impera. Talvez se houvesse um pouco mais de honestidade no futebol, com punições aos filhos da puta, nossa sociedade poderia tomar o exemplo.

    Voltando ao Brasileirão, os clubes, CBF, Clube dos 13, imprensa… todos são tão incompetentes que o vencedor da Copa do Brasil será cabeça-de-chave na Libertadores 2011, e o vencedor do Brasileirão não! Parabens aos idiotas que pintam o campeonato nacional mais disputado do mundo em um torneio classificatório para a Libertadores…

    Curtir

    • Daniel CMS permalink
      11/26/2010 16:05

      concordo com tudo, so faco uma pergunta estilo tostines:

      “Talvez se houvesse um pouco mais de honestidade no futebol, com punições aos filhos da puta, nossa sociedade poderia tomar o exemplo.”

      ou seria

      “Talvez se houvesse um pouco mais de honestidade na SOCIEDADE, com punições aos filhos da puta, nosso FUTEBOL poderia tomar o exemplo.”

      o que vem primeiro? heheh

      abs

      Curtir

      • Raphael permalink
        11/26/2010 16:21

        Hahahaha

        Pois é cara, a coisa tá tão invertida que não sei o que vem primeiro! Claro que se nós como brasileiros não tivéssemos esses valores distorcidos a coisa no futebol seria um pouco melhor…

        Mas o futebol é tão forte que acho que exemplos que saem do esporte valem mais pra sociedade do que um pastor falando ou uma novela da globo. Ontem tava conversando no bar e disse que se um dia pudesse apitar algo no governo, faria da limpeza do Tietê / Pinheiros minha prioridade Zero… pelo simples motivo de dar um exemplo a sociedade. Aquilo ali é um absurdo, não apenas pelo lado ecológico, mas pelo fato de termos um esgotão a céu aberto passando e fedendo no meio da nossa cidade. E o pior, é um problema de décadas que ninguem resolve (nem o partido do Serra, há 20 anos no poder em SP).

        Nussa não sei nem como chegou nisso, mas agora fica o comentário! hahahaha

        Abs

        Curtir

  11. Cláudio permalink
    11/26/2010 14:58

    O anticorinthianismo está revelando o lado obscuro da alma humana nesta reta final do Brasileirão, com manifestações e comportamentos que vão do hilariantemente ridículo à revoltante indecência:

    http://extra.globo.com/esporte/jogoextra/posts/2010/11/08/fluminense-torcidas-de-sao-paulo-palmeiras-favor-do-flu-339232.asp

    http://www.jb.com.br/esportes/noticias/2010/11/15/site-de-torcida-sao-paulina-cria-campanha-entrega-para-o-flu/

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/833451-matematica-no-sao-paulo-e-entrave-para-marmelada.shtml

    http://br.esportes.yahoo.com/fotos/torcida-sao-paulo-partida-fluminense-valida-21112010-61.html

    http://www.lancenet.com.br/minuto/Paulo-Arena-Barueri-gritos-entrega_0_376162472.html

    http://www.universotricolor.com/torcida-sao-paulina-festeja-derrota-do-proprio-time/

    Os jornalistas também têm o seu papel (e a sua culpa, como formadores de opinião) nessa trama, com pronunciamentos desavergonhadamente alheios à objetividade:

    http://espnbrasil.terra.com.br/maurocezarpereira/post/159858_MAIOR+PENALTI+A+BRASILEIRA+DO+ANO+PODE+DEFINIR+TITULO+E+REVOLTANTE

    http://espnbrasil.terra.com.br/maurocezarpereira/post/160126_FUTEBOL+E+UM+JOGO+FISICO+PARA+APITAR+NAO+BASTA+UMA+DECOREBA+DE+REGRAS

    http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2010/11/16/desde-quando-qualquer-falta-marcada-fora-da-area-e-penalti-se-acontecer-dentro-dela-estao-estragando-o-futebol/

    http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2010/11/22/flu-ganhou-por-merito-sao-paulo-nao-entregou-corinthians-atuou-mal-por-favor-mais-coerencia-e-menos-blablabla/

    http://globoesporte.globo.com/platb/ilanhouse/2010/11/14/o-campeao-vai-ter-asterisco/

    http://globoesporte.globo.com/platb/ilanhouse/2010/11/21/sao-paulo-repetiu-corinthians-de-2009/

    http://blog.miltonneves.ig.com.br/2010/11/13/corinthians-ganha-%e2%80%9croubado%e2%80%9d-do-cruzeiro-um-escandalo-o-futebol-deveria-acabar-mas-ainda-bem-que-existem-o-galo-incaivel/

    http://blog.miltonneves.ig.com.br/2010/11/22/as-marmeladas-do-corinthians-pro-fla-em-2009-verdadeira-e-do-spfc-em-2010-pro-flu-falsa-podem-fazer-voltar-o-mata-mata-e-felipao-fara-o-que-contra-o-fluminense/

    E o deprimente show de horrores não chegou a seu termo, pois vem mais por aí:

    http://globoesporte.globo.com/futebol/times/palmeiras/noticia/2010/11/kleber-quer-ferias-diretor-pede-wo-e-felipao-ainda-nao-fala-de-domingo.html

    Quem não é corinthiano nem anticorinthiano (haverá alguém no Brasil nessa condição?) deve se espantar com esses fatos, e achar deplorável tamanha carga negativa produzida pelo recalque e pela inveja.

    Quem é anticorinthiano, sarcasmo e cinismo à parte, deve sentir-se intimamente desconfortável -sujo – pela exteriorização de seus sentimentos negativos.

    Os corinthianos se entristecem e se revoltam, como toda pessoa alvo de inveja e de injustiça. Mas se orgulham também: sabem que tudo isso se deve ao fato de o Corinthians atingir o seu centenário na condição de clube mais importante, mais carismático e, portanto, mais invejado do Brasil.

    Um clube com uma história fascinante, com a origem humilde e a ascenção meteórica dos campos de várzea à condição de maior clube paulista e, depois, brasileiro.

    Uma história marcada pelos feitos emocionantes e sensacionais da Fiel, pela provação incomparável dos 22 anos de jejum, pela participação no destino da nação com a Democracia Corinthiana, pelas inúmeras conquistas…

    Os anticorinthianos fazem questão de o Corinthians não conquistar nenhum título no seu centenário. Mas, mesmo que não conquiste o Brasileirão-2010, o Corinthians continuará a ser o maior campeão nacional, com 7 títulos…. assim como é o maior campeão paulista, com 25 títulos… assim como é o maior campeão do Rio-São Paulo, com 5 títulos… assim como é o detentor da glória eterna de 1° Campeão Mundial de Clubes.

    O título do Brasileirão-2010 seria a grande apoteose de um Centenário Corinthiano inesquecível, com o advento do Fielzão e sua escolha como palco de abertura da Copa do Mundo de 2014, com a performance excelente nos clássicos, com a entrondosa festa popular no Vale do Anhangabaú, com a classificação categórica para a Libertadores, figurando entre os 3 primeiros do Brasileirão em todas as rodadas…

    Mas, mais importante do que o título do Brasileirão-2010 é o reconhecimento tácito da grandeza incomparável do Time do Povo, o Sport Club Corinthians Pailista, presente nas campanhas de “entrega”, na torcida contra o próprio time e nas argumentações estapafúrdias protagonizadas pelos anticorinthianos.

    Saudações Centenárias.

    Vai, Corinthians!

    Curtir

  12. Daniel CMS permalink
    11/26/2010 12:59

    Acho que e’ uma discussao que envolve muitos detalhes, ainda mais levando em consideracao o tamanho do pais e peculiaridades regionais, portanto acho que um post e alguns emails nao serao capazes de cobrir a complexidade do assunto. Portanto vou me limitar a discutir as propostas feitas pela galera ate agora:

    – Entrega de pontos e tal: meter o pau no sistema porque o competidor nao sabe fazer bom uso dele soa errado. Os dirigentes entreguistas nao conseguem enxergar que a postura deles coloca a legitimidade do sistema do qual eles mesmos sao dependentes em risco, podendo criar problemas no longo prazo para o proprio timeco que eles dirigem, digamos efeito bumerangue.

    – Em relacao aa critica de que o sistema e’ elitista, penso que temos que ter cuidado com a afirmacao. Como era o futebol brasileiro antes dos pontos corridos? Sera que ja nao caminhavamos para a elitizacao, visto que os clubes com maior torcida passaram a ter maiores receitas ao acordarem para um novo mercado consumidor?

    — Me parece que o sistema nao e’ necessariamente o causador da elitizacao. Uma rapida olhada nos torneios da argentina, uruguay e chile, onde existe um misto de pontos corridos e play-off (menos na argentina) tambem mostra que sao poucos os times com chance de vencer o torneio.

    — Os pontos corridos me parecem um bom sistema para exatamente os times com mais estrutura e organizacao vencerem. Vencendo os mais fortes, estes estarao na Libertadores e por serem os mais fortes terao mais chances no torneio, criando um efeito positivo ao futebol brasileiro.

    —- A minha maior preocupacao sempre foi com os times medios e pequenos. Acho que a realidade deles hoje e’ terrivel porque se tornaram muito dependentes dos torneios estaduais, que por sua vez sao pessimos para os times grandes. Gosto da ideia do Brasileirao ter menos equipes, assim como a serie B, para que esse “downsize” seja refletido ate a terceira e talvez quarta divisao. Aqui, talvez os estaduais poderiam ser jogados como torneios classificatorios para alguma outra divisao ou copa.

    Curtir

    • 11/27/2010 17:42

      Essa comparação com a Argentina não é justa, pois existe um problema populacional. Todo mundo torce para Boca e River, pois a população argentina é quase toda de Buenos Aires (a pop. do interior é bem menor que a da capital).

      A discussão é bem ampla mesmo, pois você já deu uma idéia diferente. Eu até sou simpático a redução de clubes por série etc. Contudo, esse tipo de idéia deve passar, necessariamente, pela reflexão sobre os clube-empresa, que no Brasil são “clubes de empresários”.

      Acho injusto que o Grêmio Prudente participe do campeonato e ocupe a vaga de equipes com torcida e história.

      A reflexão sobre o modelo de campeonato passa pela reflexão sobre o modelo de clube que aceitaremos no campeonato. É o que penso.

      Curtir

  13. Luís Fontes permalink
    11/26/2010 11:46

    Alvaro, vc tem uma certa razão, porem eu ainda acho que se for feita uma reformulação neste modelo de pontos corridos seria o ideal, por exemplo:

    – apenas 16 clubes

    – nas ultimas rodadas todos jogariam pra valer pois correriam risco ou de ficar fora da liberta, sulamericana ou de ser rebaixado… os times sempre estariam bringando por alguma coisa

    -o campeonato seria menor que os insuportaveis 8 meses

    -os jogadores poderiam se recuperar melhor do volume de jogos

    -os times investiriam mais pq qualquer vacilo poderia significar a queda para a segundona

    -a segundona tb ficaria mais disputada e consequentemente entraria mais dinheiro de tv pois fatalmente algum time grande ou medio estaria la brigando pra subir

    -sobraria mais datas para outros torneios como copa do brasil, sulamericana etc…

    Acho que assim nosso futebol ganharia mais e não teriamos esta palhaçada de clubes que nao brigam por nada nao jogar pra valer nas ultimas rodadas.

    Em tempo;

    Registrando que mesmo com o tal entrega entrega, deixo claro que na minha opinião, e se confirmar o flumined como campeão, o Coringão perdeu pra ele mesmo, pura incompetencia. A bambizada e a porcariada nada tem haver com a nossa posição no campeonato… afinal reclamar de rivais é coisa de bambi!

    Curtir

    • mucio rodolfo permalink
      11/26/2010 12:03

      Luis Fontes.
      *O fato do SPFW estar brigando por alguma coisa, no caso a vaga para a Libertadores, não o impediu de entregar seu jogo contra o Flunimed só para nos prejudicar. A possibilidade de chegar a Libertadores através do “atalho” da sulamericana fez com que a porcada entrasse meia boca nestas ultimas partidas.
      * Que tal colocarmos assim: se perdemos o título 75% é por culpa nossa e 25% por fatores extracorinthianos (campanha da midia, entregada de adversários….)?
      * Eu ainda acredito no título. Lógico que com menos intensidade que a semana passada, mas continuo acreditando!

      Curtir

    • juca permalink
      11/27/2010 10:13

      PERFEITO.

      Essa também é a minha opinião.

      16 clubes no máximo na Série A.

      Curtir

    • 11/27/2010 17:45

      Como escrevi acima, eu gosto da idéia de 16 clubes no nacional e da Copa do Brasil mais ampla durando o ano inteiro.

      Contudo, devemos refletir se é justo que uma equipe por ser “organizada” (=com empresários para bancar o elenco) deve estar entre as 16. Exemplo: Grêmio Prudente.

      Prefiro ver um Vila Nova (maior torcida de Góias) fraco em campo, do que o GP só com craques.

      Curtir

  14. 11/26/2010 10:50

    “A questão de alguns clubes sairem de ferias no fim de outubro me preocupa.”

    Essa é a única, repito: ÚNICA, questão que me prende ainda aos ditos pontos corridos. Devidamente resolvida, é preciso afundar logo com esse chato e injusto modelo.

    Detalhe: todo mundo fala da falta de equidade agora no fim do campeonato, porém, e no início, quando vários times, ainda na Liberta/Copa do Brasil, entram com seus reservas? Os 3 pontos são os mesmos… Ou seja, é um sistema injusto sim!!!

    Curtir

  15. EDDIE/SCCP1910 permalink
    11/26/2010 10:42

    Teoricamente é o sistema mais justo, mas o Brasil tem suas particularidades que na maioria das vezes vai acabar criando injustiças

    Eu gosto de mata-mata mas acho que ja temos a Copa do Brasil pra preencher esse modelo, então proponho o seguinte:

    Campeonato Brasileiro com 20 clubes, onde os 6 primeiros se classificam pro Hexagonal Final. Com 4 vagas pra Liberatadores acho que os 6 times teriam pelo que lutar, até a ultima rodada

    A questão de alguns clubes sairem de ferias no fim de outubro me preocupa.
    Então que a CBF crie um torneio de verão do 7º ao 14º colocados das series A e B em algum desses elefantes brancos que serão construidos pra Copa no Norte/ Nordeste.

    Curtir

    • EDDIE/SCCP1910 permalink
      11/26/2010 11:07

      Pensando um pouco mais…

      Esse torneio no Norte/Nordeste seria classificatorio pra sulamericana
      Reuniria os 8 primeiros colocados da Serie B e do 7º ao 14 º colocados do Brasileirão.

      4 sedes com 4 times e os 2 primeiros de cada grupo vão pra sulamericana.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: