Skip to content

Neto, Tupãnzinho e Ronaldo

12/17/2010

Por Claudio:

Rapaziada, a Gazeta Esportiva fez três entrevistas muito boas com Neto, Tupãnzinho e Ronaldo, esta uma verdadeira pérola. Ver esse pessoal falando do seu sentimento pelo Corinthians dá ainda mais significado a essa inesquecível conquista. Particularmente, a fala de Ronaldo explica o porquê de eu nunca mais ter saudado vagabundo nenhum das arquibancadas desde 1998, quando o Queixada saiu do Timão.
Ronaldo
Tupãnzinho
Neto

Um moleque na base que sonha com Barcelona e Real Madrid, por exemplo, não presta. Se eu fosse dirigente, mandava embora. O sonho do garoto tem que ser jogar no time de cima. Quando pensa na Europa com essa precocidade, é porque não tem amor ao Corinthians. Na minha época, eu não via a hora de defender o Corinthians, e não o momento de jogar no clube dos outros! É preciso ter sangue nos olhos! Ronaldo.

Anúncios
13 Comentários leave one →
  1. 05/28/2011 3:20

    Ah e não podemos nos esqucer também do Fabinho, ponta direito autêntico e co-autor do gol sensacional do título.

    Curtir

  2. 05/28/2011 3:17

    Sem dúvida, Tupãzinho era habilidoso, raçudo e ia pra cima! Além de exímio cavador de faltas no bico da àrea.
    Esse foi o título mais comemorado pela nação alvinegra depois de 77.
    Eu gostaria de lembrar que nesse incrível título de 90, o Corinthians começou perdendo nas quartas de final para o Bahia, e nas semi para o Atlético, e virou ambos os jogos com incríveis gols do Neto para delíria do Pacaembú lotado, que nessas horas já tinha rido, gritado, chorado (enchido a cara, pois nessa época ainda vendia, breja no estádio). Foi demais, essa time era a garra corinthiana personificada.
    Agora os que dizem que esse time era “limitado”, como assim?
    Ronaldo, Giba, Marcio, Marcelo, Wilson Mano, Neto, Tupãzinho…. Só podia ser campeão, e em cima dos bambis! viva!
    Eu estava no morumbarbie nesse dia, e considerado o talismã da turma (tinha 11 anos), na saída me compraram a camisa 8 do Tupanzinho. Em seguida, ‘bora pra Paulista!

    Curtir

  3. mucio rodolfo permalink
    12/20/2010 10:08

    “.. E o mais legal no Corinthians é que a torcida sabe valorizar aquele jogador que se entrega para o time, mesmo não tendo tanta qualidade. Eu sempre procurei me doar pelo clube. Da minha parte, nunca faltou entrega.”

    Quando a gente admira alguém, a gente costuma exagerar em suas qualidades e amenizar seus defeitos. Pode ser que eu esteja sendo assim no momento. Mas eu não acho que o Tupãzinho, autor da declaração acima, fosse um jogador de pouca qualidade. Muito pelo contrário. Lembro-me dele, em 95, entrando no time e mudando a história de vários jogos.
    Eu fiz a seguinte pergunta no blog do Paulo Monteiro: alguém trocaria o Tupãzinho pelo Danilo, ou pelo Tcheco ou pelo Roger Chinelinho ou pelo Carlos Alberto (atualmente no Vasco)?

    Curtir

  4. Marcus Sousa permalink
    12/19/2010 19:53

    Tenho 34 anos, e esse foi pra mim o mais gostoso dos títulos, não só lógico pelo Timão ser campeão mas por tudo o que aconteceu, a ida ao Morumbi, tinha 14 anos e era a primeira vez que ia sozinho ao Estádio e foi uma coisa que eu me recordo sempre até hoje, até hoje lembro de tudo, da ida pegando os busões da CMTC na Pinacoteca, de ir cantando no busão, de chegar meio dia e morrendo de fome comer dogão, dos meus primos que foram todos juntos, daquela turma, da alegria que era ir ver o Timão, de entrar no Morumbi e a gente ser quase tudo no Estádio… da festa na arquibancada quando entrou o Timão, aquela caralhada de bandeiras, que saudades do Tupã, do Ronaldo, do Neto, do Wilson Mano, do Giba, daquele time que eu amava tanto, nossa como eu que eu idolatrava eles, eram pra mim deuses, hoje vejo que perto desse idiotas de hoje eram de uma simpilicadade até anormal as vezes.

    Pra amenizar uma derrota pego meus videos que baixei da NET e fico vendo eles e e minha alma se renova, que saudades daquele tempo, dos tempos que hoje minha mulher ainda era minha namoradinha, da minha camisa 9 com o Kalunga, era a branca de manga comprida e meu comprou ela lá no PSJ, nem tinha estrela nunca me esqueço disso, foi omeu maior presente na época, dormia com ela hahahahhaha…

    E hoje sempre nos churras com meus primos, até hoje rola histórias daquele jogo, são sempre as mesmas ma nunca nos cansamos de conta-las, e todos somos unanimes, tem que ter mais jogadores hoje que são corinthianos, de verdade, corinthiano mesmo, como eram aqueles.. E NUNCA VOU ME ESQUECER DE IR PRA AV GÓIAS EM SÃO CAETANO E VER AQUELA FESTA, FECHARAM AVENIDA PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA, ERA O POVO FAZENDO FESTA, QUE SAUDADES DAQUELA MADRUGADA HAHAHAHAHA…

    Curtir

    • fabiano permalink
      12/19/2010 20:09

      pois é… era o meu churrasco de formatura da 8a série, e me lembro de ir correndo pra casa na hora do jogo, e deixando toda aquela carne e refrigerante lá (pois é, eu tinha os mesmo 14 anos e ainda não bebia cerveja)… hoje, quando vejo os jogadores jogando com a má vontade como a mostrada contra o Vitória e o Goiás (2 jogos que poderiam nos ter dado o campeonato), penso que será impossível ver aquela raça corinthiana novamente…

      Curtir

      • Marcus Sousa permalink
        12/19/2010 20:15

        GE.Net: Para vocês dois, então, o dia do aniversário de 20 anos do título brasileiro de 1990 será diferente, especial?
        Tupãzinho: E como! Vou mostrar para ele os vídeos do nosso título. Precisamos comemorar. Sempre me lembro da data: 16 de dezembro. Sou corintiano, poxa! De coração. Sempre fui. E o mais legal no Corinthians é que a torcida sabe valorizar aquele jogador que se entrega para o time, mesmo não tendo tanta qualidade. Eu sempre procurei me doar pelo clube. Da minha parte, nunca faltou entrega.

        Isso é pra guardar, se um dia eu visse ele pessoalmente diria:

        – Mano, vc é o cara, não tem Ronaldo e nem outro ídolo pra mim, vc é mito Tupã, eu como meu Pai sempre se lembra do Claudio, sempre por toda minha vida vou me lembrar do seu gol, da alefria que ele me marcou na alma. Sempre, nós tinhamos que sempre nós lembrarmos deles para sempre, daqueles heróis que contra tudo foram lá representaram e venceram….Aquilo era o Corinthians.

        Curtir

    • fabiano permalink
      12/19/2010 20:15

      só pra justificar o comentário sobre a atual falta de raça em campo: Timão foi campeão em 90 com um gol de joelho e um gol de carrinho… alguém se lembra qual o último gol de carrinho (ou de joelho, ou de barriga, ou de peixinho) marcado por algum jogador atual no Timão???

      Curtir

      • Daniel CMS permalink
        12/20/2010 0:28

        isso porque dois anos antes ganhamos o paulistao com gol de carrinho do Viola… onde estao os carrinhos? aahahah

        Curtir

  5. Emboava permalink
    12/18/2010 18:30

    Isso que o Ronaldo disse faz muito sentido, mas se fosse posto em prática não teriamos jogadores em nenhum base do Brasil…

    Curtir

  6. David Emmanuel permalink
    12/18/2010 16:59

    Se por um lado esse time enche a gente de orgulho e nos faz vibrar mesmo e principalmente depois de 20 anos, é legal dar uma olhada blog do Neto em um post sobre o goleiro Felipe. Da o que pensar e acho que o Xodó tá certo.

    Curtir

  7. Cesar Augusto permalink
    12/17/2010 21:21

    Eu acho que a nossa diretoria, especialmente o Rosemberg que é mais elitista, deveria ler estas 3 entrevistas e perceber que o Corinthians é, antes de tudo, um time de humildes, de guerreiros, de pessoas que vivem para o Corinthians e, se necessário, dão o sangue pelo Corinthians.

    Essa nova geração de corintianos, sinceramente, pelo que vejo e ouço não tem a mínima noção do que é o Corinthians e é míster o comando diretivo pregar o “Corinthianismo” com h mesmo a fórceps, se possível.

    O time de 90, dos que vi jogar, foi a mais perfeita personificação de corinthianismo.

    Um time humilde, trabalhador, modesto, descrente das suas forças em alguns momentos, mas lutador até o fim.

    Ronaldo, veio do Terrão. Giba, do Guarani. Marcelo, do Terrão. Guinei, do São Bento como Tupãzinho. Jacenir veio do RJ, acho que do Madureira. Marcio, do Terrão, Mano, do XV de Jaú depois de matar os porcos em 1985. Neto do Palmeiras em troca com Ribamar. Fabinho veio do Novorizontino. Mauro veio do Palmeiras trocado pelo Paulinho Carioca. Ezequiel veio do Ituano. Dinei e Paulo Sérgio do Terrão, mas este último foi vice-campeão pelo Novorizontino. E todos os outros jogadores vieram ou de times pequenos ou do terrão.

    Esse título de 1990 merecia filme, livro, dvd , etc…

    E as entrevistas do Ronaldo, Neto e Tupã são fantásticas, pois retratam a dificuldade da época e o orgulho que eles, e acho que todo aquele elenco, demonstram por terem jogado no maior e mais importante clube do Brasil. Não é o mais vencedor, mas é o mais representativo e, de longe, o mais importante.

    A nova geração, que conquistou mais títulos é verdade, não tem a mínima noção da essência do que é ser Corinthians. Corinthians era aquilo. Raça, garra, fé, sofrimento e fidelidade das arquibancadas. Hoje, mudamos. Somos mais organizados, mas é possível melhorar administrativamente sem perder a essência do corintianismo.

    Graças a Deus, fui um privilegiado. Na época, com pouco mais de 15 anos, não tinha a real dimensão de que estava vendo a história do Corinthians, naquele momento, num dos seus maiores capítulos.

    Hoje, só tenho a agradecer por ser corintiano e presenciar, ao vivo, aquele título de 90.

    Foi fantástico, inesquecível, inenarrável.

    Foi Corinthians.

    Curtir

  8. mucio rodolfo permalink
    12/17/2010 20:09

    Eu me lembro de duas entrevistas dada por jogadores da nossa base no período Copa São Paulo de Juniores. Uma foi exibida pela TV Cultura que transimitiu a Copinha em 2004. A outra eu li no site da Gazeta Esportiva. A primeira foi dada pelo Bobô, hoje brilhando no Besikitas da Turquia. A outra foi dada por um atacante, se não me falha a memória chamado Alisson. Ele era daquela turma que tinha o Ewerton Ribeiro, o Dentinho e o Lulinha. O Bobô dizia que o sonho dele era jogar na Europa. O Alisson dizia que o sonho dele era marcar um gol contra os bambis numa final de Libertadores. Por onde andará este Alisson??????????

    Curtir

    • Daniel CMS permalink
      12/17/2010 21:05

      E’ disso que precisamos po. O Corinthians ta embarcando nessa de Real Madrid e fica contratando jogador sem nenhuma identificacao com o clube… Assim podemos virar um time qualquer, generico, onde o importante e’ vender camiseta.

      Pra mim o Corinthians sempre se resumiu em uma frase: Nao importa se ganha ou perde mas sim COMO ganhou ou perdeu.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: