Skip to content

Tem eleições amanhã no clube. Atualizado!

01/06/2012

O Raphael levantou a bola e o Cesar entrou mais a fundo… A verdade é que sábado próximo tem eleições no Corinthians, numa disputa que seriamos desrespeitosos com o movimento artístico dos anos 20, se chamássemos aquilo de surrealismo.

É patética mesmo.

O curioso é que a convocatória para a eleição de amanhã não explica exatamente o que está sendo votado. Se eu entendi, o Corinthians dá aos seus associados duas opções imbecis de escolha e não coloca a mais óbvia e democrática — que, a rigor, nem precisaria ir para pleito, de tão óbvia.

Amanhã estará em jogo como será a votação do futuro CD e existem duas opções:

  1. Chapa inteira: cada eleitor vota em uma Chapa
  2. Por candidato: cada eleitor escolhe até 200 nomes

O que eles não falam é que já existe decisão no CD de que quem ganhar as eleições faz os 200 de um vez só! Sim, senhores. É como se o partido PDX tivesse a maioria dos votos na eleição e levasse TODAS AS CADEIRAS do Congresso Nacional só para ele!

Com todo respeito — que é pouco neste caso — não considero que existe oposição no clube e essa votação conchavada no CD só confirma isso.

Existem duas situações.

Oposição surge quando alguém tem um discurso que traz o contraditório, que é contra o estado de coisas e tem linhas programáticas que podem viabilizar um clube diferente, que reforce sua história centenária e seja sustentável nessa nova (e infeliz) realidade do futebol moderno de cafetões e mktg.

Nos lados dessa moeda não se vê contraditório. São iguais. Inclusive na praxis: a eterna desqualificação do interlocutor, como bem lembra o Cesar.

Corinthiano que pode votar, a escolha é simples:

VOTE NULO!

PROTESTE POR UMA DEMOCRACIA CORINTHIANA!

….

ATUALIZAÇÃO!

E deu “Sim” o que confirma que a Situação-Situação vai passar como um trator na Situação-Oposição ou, mais provável, de que o conchavo Situação com Situação deu certo.

Gostaria de saber os percentuais…

Anúncios
15 Comentários leave one →
  1. Skolx permalink
    01/11/2012 8:46

    Por 59,96% contra 40,04%, a Assembléia de Associados do Corinthians decidiu que as eleições para conselheiros do Corinthians serão realizadas pelo sistema de “chapão”.

    Fonte: Blog do Paulinho

    Curtir

  2. Raphael permalink
    01/09/2012 14:31

    A última, pelo que li por aí, é o seguinte:

    Primeiro a situação comemorou o resultado da votação; a oposição criticou por meio de um dos seus veículos extra-oficiais (Futebol Interior); em seguida, a situação soltou uma nota criticando a oposição por meio de seu veículo também extra-oficial, utilizando-se da eterna tática de desqualificar o interlocutor e, agora que a merda está feita e aprovada, se dizendo contra o tal chapão.

    No último pleito tivemos ma-ou-menos 6 em 10 votos pró-chapão. Eu acho que a situação ganhará a eleição com pé nas costas, talvez com votação até maior do que esses 60% (que são os mesmos que votaram pró-chapão).

    Conclusão: Situação = pró-chapão = DITADURA DE PENSAMENTO E IDÉIAS

    E a pergunta que fica é: soará o grito “Contra todo ditador que no Timão quiser mandar” ?

    De um lado o lixo, do outro o xorume… não conseguiria apontar qual é qual.

    Curtir

  3. Raphael permalink
    01/08/2012 0:07

    Eu não sabia dessa do pré-acordo entre situação e “oposição” (a descaracterização desta pelo Álvaro é perfeita), o que deixou a votação de hoje apenas para bobo-lhar e cumprir tabela.

    A vitória do “Sim” foi arrotada por aí como a vitória da Democracia. Mas como há democracia num futuro conselho com 200 membros pensando da mesma maneira?

    Outro ponto é que tivemos 1.094 votos… se contarmos que temos 400 possíveis conselheiros, vemos que o futuro do clube está realmente na mão de pouquíssimos… uma gota podre em um oceano com mais de 30 Milhões de Corinthianos.

    Acho que a única alternativa válida para mexer nisso, fora a óbvia redução desse número absurdo de conselheiros e maneira de elegê-los, é através da massificação do poder de voto e voz dentro do clube. Essa massificação viria através da adição política ao FT ou então da criação de um plano alternativo.

    Alguns pontos deveriam constar no Estatuto do clube, como por exemplo a não-dissociação do clube x futebol, investimento em outras modalidades e social, etc etc. Mas deixar de fora + de 30 milhões que não podem se tornar sócios do clube é negar o passado e história do nosso Timão.

    A única ressalva positiva que faço disso tudo é que ao menos na presidência não tivemos continuismo. É claro que o paradigma pouco mudará com o Mário Gobbi e provavelmente continuaremos na política do business em detrimento à base e outras podreiras, mas pelo menos o AS estará cuidando de sua vida pessoal.

    Curtir

    • Emboava permalink
      01/08/2012 14:11

      Acho que seria legal o sigueinte… eh meio viajado e louco, mas seria interessante…

      Todo Corinthiano deveria ter um “registro de nascimento”, ou seja, o Corinthians teria uma base de dados com todos os Corinthianos, mas teriamos que provar que somos de alguma forma… e todos os Corinthianos registrados teriam direito a voto, mesmo não sendo sócios…

      Se todos os brasileiros votam porque não todos os Corinthianos?! Mas não pode ser voto obrigatório, votaria quem quer!

      Curtir

    • Paulo permalink
      01/09/2012 21:05

      Rafhael e Emboava, há algum tempo venho defendendo a abertura do voto para a Nação Corinthiana, como uma medida de vanguarda democrática que se anteciparia a uma contingência futura que vejo simplesmente como inevitável, a longo prazo, nos grandes clubes de futebol brasileiros. De fato, a par da constatação de que todos esses “clubes-nação”, no Brasil, hoje, pecam por absoluta falta de representatividade de seus eleitos e indicados para cargos diretivos, tanto para a presidência como para os demais cargos de diretoria, e terão, portanto, em algum momento, que rever essas eleições “indiretas e biônicas”, se quiserem realmente evoluir e contemplar com justiça os principais “clientes” da marca, para usar palavra do jargão econômico e do marketing, há que se considerar também o fator pressão por participação efetiva que, com a escolarização progressiva dos torcedores, far-se-á sentir de forma crescente ao longo dos anos . O Corinthians, por exemplo, apenas para nos cingirmos ao maior de todos, tem estimados 30 milhões de torcedores, que representam em importância – e aqui considero não apenas faturamento – para o Clube uma fatia imensuravelmente maior do que aquela que representam – ou poderiam representar – alguns poucos milhares de associados que, ademais, nem precisam ser corinthianos. Se a atual forma de organização jurídico-administrativa era a única que se vislumbrava até hoje para uma entidade clubística, é preciso considerar que a extensão do nome Corinthians para muito além dos limites paroquiais do PSJ, transformando-o numa das maiores instituições da sociedade brasileira, está a exigir uma nova configuração associativa, mais plural e representativa dos interesses dessa massa, e, portanto, mais legítima ( talvez nem seja necessária, a rigor, uma alteração na legislação brasileira, já que, dentro da noção de entidade associativa existente, nada mais faríamos que algumas mudanças estatutárias que incorporariam sócios e direitos ). Se se teme, num primeiro momento, um processo de abertura tão amplo para o torcedor corinthiano – assim caracterizado e devidamente credenciado, naturalmente -, que se comece então com os inscritos no programa sócio-torcedor, numa primeira etapa, e que marchemos para horizontes mais amplos, no futuro. Mas que esse novo tempo chegue logo, porque em todos esses anos o que temos visto é um Clube refém de grupos que se revezam no poder do Clube sem nenhuma transparência e, de ordinário, completamente alheios à idéia de prestação de contas e de satisfações aos torcedores que as urnas, por si só e de uma penada, imporia aos candidatos e eleitos. Sei que esses grupos, tanto da situação quando da oposição, encastelados no Clube, oporiam forte resistência à idéia, mas como os estatutos atuais já contemplam abertura para os sócios-torcedores, cumpre-nos apoiar a idéia da abertura ampla, total e irrestrita, afinal, não foi assim também com a extensão do voto, nas democracias liberais, aos pobres, mulheres e analfabetos. Não vejo porque deveríamos nos contentar com menos. É como penso.

      Curtir

      • Paulo permalink
        01/09/2012 22:36

        ET: depois de “analfabetos”, há uma interrogação ( deveria haver, rsrsrs )!

        Curtir

  4. Cesar Augusto permalink
    01/07/2012 20:20

    A “Dualibização” do Corinthians continua. A democracia sofreu, mais uma vez, um tapa na cara de mão aberta.

    A intolerância ao contraditório chegará a níveis jamais vistos na história do Corinthians.

    Hoje, 4 anos e meio após a saída do Dualib, tudo fica muito claro:

    Quem está no poder, simplesmente, quer copiar o Dualib no quesito “Poder Perpétuo”.

    O Corinthians precisa ser refundado. E para ser refundado, o torcedor comum tem que se associar.

    Caso contrário, daqui alguns anos, com o clube quebrado pela ausência de oposição, seremos obrigados a fazer um movimento “Fora Fulano de Tal” e começar, como foi em 2007, do zero.

    Aqueles que derrubaram Dualib, não nos esqueçamos, eram filhotinhos do Dualib, quando a situação era boa.

    Enfim, nenhuma novidade.

    O Corinthians, politicamente, dá ânsia de vômito.

    Curtir

    • Emboava permalink
      01/08/2012 14:05

      Talvez se fizessem uma regra de ficha limpa para ser conselheiro, presidente ou ter qualquer cardo ali dentro estariamos bem melhor representados…

      #FichaLimpaCorinthians

      Curtir

    • Paulo permalink
      01/09/2012 22:59

      Caros César Augusto e Emboava, compartilho de vossas preocupações, e concordo que uma “regra de ficha limpa”, como sugeriu o Emboava, e a “filiação de torcedores-comuns”, como propôs o César, seriam, teoricamente, componentes importantes na tentativa de imprimir uma moralização nesse viciado processo eleitoral no Corinthians. Contudo, temo que seja de difícil viabilização. Quanto à ficha-limpa, dificilmente serviria para impugnar em massa candidaturas que acreditamos devessem ser impugnadas, pois a maioria dos candidatos não tem condenação criminal, creio, e, de outra parte, se se exigisse algum outro tipo de “qualificação moral”, extra-jurídica, seria facilmente contrastada judicialmente. No que diz respeito à filiação, vale como conclamação, mas esbarraria em dificuldades econômicas ( pagamento de mensalidades, mesmo que sejam pouco expressivas, economicamente, como parecem ser, de fato ) e até físicas ( caso das pessoas que não podem deslocar-se para se servir dos serviços do Clube, e, assim, hesitariam ainda mais em pagar taxas e mensalidades ). Enfim, coloco as ponderações para debate, mas acredito que a verdadeira solução, embora a médio e longo prazos, seria a universalização do voto à Nação, tal como propugnei acima ( embora também apresente dificuldades políticas, representadas pela resistência das “elites” dirigentes às mudanças; e práticas, a principal das quais consistente no cadastramento dos eleitores ). Abraços!

      Curtir

  5. Múcio Rodolfo permalink
    01/07/2012 14:02

    Eu só quero um presidente que não sacrifique os bons jogadores revelados pelas nossas categorias de base com o pretextode empretá-los a outros clubes para ganharem experiência quando sabemos que isto é o primeiro passo para lançá-los ao ostracismo e abrir as portas pra contratações de qualidade duvidosa. Eu só quero um presidente que não renove o contrato de jogadores que não serão aproveitados pelo clube. Eu só quero um presidente que não permita que o clube seja difamado da forma como vem sendo ultimamente pelos genéricos do Mlton Neves. O mais recente exemplo foi dado pelas declarações dadas pelo tal de Gutemberg e que foram “traduzidas” de forma conveniente pelos abutres de plantão. Eu só quero, pois o meu querer nao passa de querer, pois nem associado eu sou. Portanto, não tenhoa menor influencia direta no processo. Concordo com o César quando diz que o clube jamais terá um presidente a altura da sua grandeza. Só não concordo com os que ocuparam a cadeira no passado. Não quero correr o risco de ser injusto com os nossos “mandatários” dos anos 20, dos anos 30 e porque também prefiro ver as qualidades num Trindade, num Matheus, num Valdemar Pires. O ideal seria um presidente que somasse as qualidades desses ai que citei e de outros que desconheço, com algumas pitadas de modernidade. Mas isto não passa de uma utopia.

    Curtir

  6. Emboava permalink
    01/07/2012 12:43

    Eles querem controlar o conselho…

    Primeiro um conselho não deveria ter tanta gente assim… deveriam ser no máximo 30 para se ter uma discussão decente… com mais 200 ninguém te escuta… além disso ninguém sabe quem são essas pessoas e porque estão ali…

    Eu até gostaria de saber: como é que eu posso um dia me tornar presidente do Corinthians?!

    Curtir

    • Marcelo permalink
      01/07/2012 23:11

      Respondendo:
      Primeiro tem que ser sócio, depois de um ano tem direito a voto nas eleições, senão me engano depois de 2 pode concorrer a uma cadeira no conselho e para presidência este com certeza, depois de cinco anos de clube. Abraço

      Curtir

    • Paulo permalink
      01/09/2012 23:13

      Concordo que 200 membros é um absurdo! Basta dizer que a Câmara de Deputados tem pouco mais que o dobro para representar 200 milhões de pessoas, e há os que já consideram um exagero…

      Curtir

  7. Pedro permalink
    01/07/2012 2:52

    Só pra complementar o que você disse: Vá com uma camisa número 8 – se possível – e erga o braço logo após votar nulo.

    A real é que é tudo a mesma merda,mas graças a certos blogueiros nego realmente acha que a situação é o “menos pior”.

    A RPC foi uma forma que acharam de afastar o povo corinthiano do seu papel político no clube.Verdadeiros “espelhinhos” como bem disse o Cláudio.Só que o Corinthians é nosso porque nós o fundamos e é isso que o corinthiano precisa entender.Ninguém no Parque São Jorge tem mais do poder no clube do qualquer um de nós.

    A era Dualib não acabou,os canalhas continuam todos lá.Se possível vejam a lista de conselheiros vitalícios e reparem nos sobrenomes.Sim,foi uma limpeza pra inglês ver,mas aos olhos do povão o mal foi exorcizado.

    Curtir

    • Paulo permalink
      01/09/2012 23:15

      Pedro, gostei da parte que diz que o Corinthians é nosso. Também penso assim. Infelizmente, trata-se de um patrimônio usurpado, de certa forma, por alguns…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: