Skip to content

Extremos corinthianos: cuidado com os PINGOS!

10/12/2013

Algo curioso que passa desapercebido por todas as gentes. Nossa crise tem 4 dimensões mapeadas: técnica, física, TÁTICA e psicológica (não acho que é política).

Mas naquilo que mais discutimos aqui, o campo TÁTICO, existem erros até que banais no modelo de jogo (ou algo parecido a um modelo de jogo) que Tite impôs ao Clube. Erros bestas, repetições de escolhas falidas, dificuldade em aproveitar potencialidades individuais, PINGOS caindo no momento errado etc. etc.

Entendo que o Corinthians já tem história, estrutura e recursos para ter um modelo de jogo próprio em que o treinador se adapta à sua realidade e não o contrário. Exemplificando, e pegando um exemplo bem extremo, o Barcelona é reconhecido como um time em que o modelo de jogo é anterior ao burro com sorte da vez. Assim também é Milan, Inter, Real, Arsenal etc.

Eu acho que Corinthians já deveria ter isso mais formalizado (ou ao menos trabalhar nessa direção).

Só que trago uma curiosidade sobre o clube, que ninguém se deu conta e mostra bem como o mundo é dos extremos: temos como técnico do Sub-20 um dos caras mais respeitados no mundo do treinamento de futebol: o Rodrigo Azevedo Leitão. Para quem não conhece, Rodrigo é o professor da Universidade do Futebol (entre outras escolas) e que montou o curso “Introdução aos aspectos táticos do futebol” (ótimo curso, esse eu fiz!). O rapaz tem doutorado no assunto e vocês devem talvez reconhece-lo por uma entrevista dada no Juca Kfouri que eu reproduzi por aqui.

Rodrigo é respeitadíssimo no meio e profundo conhecedor do que mais moderno se faz em termos de treinamento. Daí se vai mostrar competência (ou adquiri-la) para dirigir uma equipe profissional, só o tempo vai dizer, mas torço muito pelo cara. Leio com menos frequência com que deveria a suas colunas, mas entendo que ele representa quase uma ilha de sabedoria num meio cheio de PINGOS e pingas.

São dois extremos: Tite no profissional falando de PINGO d´água e Rodrigo no sub-20 começando uma carreira de treinador de futebol.

===

Ok, vamos a história do pingo. É quase um haicai:

“O pingo faz transbordar o copo porque ele já estava cheio, e não porque o pingo é maior.” (TITE, ADENOR, 2013)

O pingo era tão pequeno

mas do copo cheio

fez transbordante

Anúncios
10 Comentários leave one →
  1. Paulo permalink
    10/13/2013 15:30

    Tite vem lutando desesperadamente para recuperar a confiança da equipe, depois daquela derrota desastrosa e até certo ponto irreal – por pouco que venhamos jogando – para a Lusinha. Sabe que a recuperação da consistência defensiva é a sua última chance, e que, nesse período de turbulência, não pode arriscar grandes voos ( talvez, é vero, também não o fizesse sob céu de brigadeiro, rs ). Entrará para empatar hoje, se se mantiver fiel à sua lógica – agora realçada pelas circunstâncias. Lógica que seria, seguramente, também, a de qualquer treinador sensato, com a nossa realidade futebolística atual. Arrisco-me a dizer que não perderemos hoje – o que seria de fato desastroso, embora haja corinthianos torcendo para isso, pasmem -, e, vou além, se Sheik e Romarinho forem minimamente solidários ganharemos. Vai Corinthians, acima de tudo!

    Curtir

  2. Cesar Augusto permalink
    10/13/2013 14:39

    A teimosia de Tite é exatamente manter o mesmo esquema tático independentemente dos jogadores que têm à disposição. Ele é inflexível, mesmo com a vertiginosa queda de rendimento e resultados. O que deu certo em outros tempos, já não é suficiente para o momento, mas Tite, ainda assim, insiste praticamente nos mesmos procedimentos querendo provar a todos que somente ele está certo. A arrogância dominou Tite e o final dessa história é de conhecimento público e aconteceu com Grêmio e Internacional. Só Mário Gobbi, Edu, Duílio, Roberto e parte da torcida, anestesiada pelos títulos, acreditam na virada.

    O 0x0 é o mais normal, hoje, no Morumbi, embora o SPFC tenha um leve favoritismo pelo momento, pois conseguiu 15 pontos no turno e o Corinthians, 6. Mas clássico é clássico e vice-versa. Uma derrota será trágica.

    Depois do gol de Basílio, o Corinthians conquistou, em média, 1 título a cada 18 meses. Foi o maior título da história do clube.

    Curtir

  3. Múcio Rodolfo permalink
    10/13/2013 10:11

    Esses moços, pobres moços. Ah se soubessem o que eu sei….
    Bom. Se qualquer herói da mítica conquista de 77 fizesse uma palestra para os jogadores atuais não precisava nem pedir para que jogasse com a mesma gana e com o mesmo espírito de outubro de 77. Bastaria aconselhar um comprometimento idêntico ao dos dois anos anteriores ou de alguma raras partidas este ano. Se a gente conseguir isso e com um pouquinho de sorte -lembrando a frase do nosso amigo César- a gente sai do mausoléu com aquela goleada de 1×0.

    Curtir

  4. 10/13/2013 9:47

    13 de outubro de 1977, quero dizer, de 2013. Eu ouvindo a Rádio Coringão. E acabou de sair o gol do Basílio. E eu não consego segurar as lágrimas. Voltei a ter quatorze anos. Da crônica de Xico Sá de ontem na FSP: “Há quem diga que a derrota seja uma melhor escola de homem. Talvez forme meninos menos mimados e sem mimimis. Por este critério os velhos corintianos são os caras mais cascudos do planeta. Faz sentido.” Posso até ser cascudo, mas choro facilmente de felicidade. Obrigado Corinthians!

    Curtir

  5. Fernando23 permalink
    10/13/2013 2:05

    Essa doeu mais que um pingo de solda no saco!
    Por favor, aos que resistem ao Tite, me ajudem a dormir melhor e dêem 1 motivo pra eu acreditar que ele ainda é a melhor opção!
    Falando sobre amanhã (hoje) me preocupa duplamente: em um jogo qualquer nossa (falta de) tática é um perigo; neste jogo, o componente comportamental/psicológico vai ser o bastião de dois times horríveis (perto de seus potenciais). A expressão do nosso treineiro é derrotada e depressiva há algum tempo, torço para que Alessandro tenha ainda alguma influência sobre o grupo.
    MAS É POUCO.
    Do lado de lá, a parte tática e técnica ta ruim, mas já esta melhor que no resto do ano, o momento é acendente e a possibilidade de trocarem de posição conosco será explorada de forma messiânica.
    Portanto amigos, nos resta a fé em São Jorge, e a torcida para que aqueles escolhidos para nos representar assistam o VT da final de 77, o filme 23 anos em 7 segundos; e ouçam palestras de Corinthianos como Basílio, Zé Maria ou Wladimir; e que entrem pra ganhar esta merda e não dar chance ao adversário se acreditar possível.
    Literalmente: Vai pra cima delas Timão!

    VAI CORINTHIANS!!!

    PS. Sobre os pingos: a errática maneira com que o Tite distribui os coletes para preencher seu desenho tático; ou pensa no desenho tático em função dos coletes já distribuídos pela méritocracia Titeana, mostra que ou ele entrou num túnel de arrogância, ou mudou a dieta pra feno e alfafa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: