Skip to content

Corinthians 3×0 Comercial, no passo do Paulistão

03/01/2014

Post um pouquinho atrasado, mas foi tudo corrido por aqui…

Houve uma discussão pós-jogo, até valorizada um pouco pelo Mano, de que jogamos “feio” ou mal, como queiram. Acho bacana que esse tipo de coisa aconteça, lembra muito a era Tite em que isso /ironic on era colocado na mesa a cada jogo do brasileiro/ironic off.

Resumidamente, Comercial provocou uma situação de doping motivacional ao ratiar uma greve anunciada, criando a obrigação de vitória. Entrou forte, avançou os alas e marcou individualmente Jadson e Romarinho. Como Guilherme não saiu de trás (e Bruno saiu, mas não apoiou com aquela qualidade toda) não mantivemos boa presença no ataque.

Muito criticada nos jogos anteriores, as laterais sustentaram boa marcação e quando apoiavam, formavam o que tínhamos de melhor no ataque. O problema ficou só no miolo de zaga e não existe desculpa de que o sistema é ofensivo.

Timão criou chances de gol (alguém mais crítico poderia dizer que Guerrero perdeu dois gols, eu digo que perdeu só um, hehe!) e Cassio tomou uma leva de 2 ou 3 sustos em erros de posicionamento da dupla de zaga.

O jogo se decidiu com a contusão de Guerrero e a ousadia do técnico em colocar em campo Luciano, desrespeitando a regra papal do ME-RE-CI-MEN-TO. Com Luciano, além da qualidade melhorar muito (vejam o golaço, vejam o chapéu), preenchemos a posição do “1” do Zagallo e mandamos no meio. Incrível como Mano contratou jogadores tão bons em tão pouco tempo. Precisa ensinar essa mágica para o Tite.

Foi um 1+2×0 típicos de campeonato paulista: daqueles em que a equipe do interior corre como nunca e perde na diferença técnica como sempre – cansamos de ver isso com o Doutor em campo.

Esse jogo mostra que já temos alguma coisa perto de um time agradável de se ver, o que torna o 2º parágrafo meio nonsense, mas somos cada vez mais um time que cria, faz golaços, se entrega, mas falha na zaga. Se enfrentássemos o Santos neste domingo, a chance de goleada seria muito baixa. Mas vencer também não seria fácil.

A contusão do camisa 9 – 1 semana no estaleiro – pode ser boa também para ele se acalmar e voltar mais seguro de si. Voltar a ser o Guerrero, aquele ótimo cabeceador.

Só mantenho meu palpite de que sem jogadores melhores na linha de 4 ou quem sabe, numa melhora inesperada do Cléber e a recuperação do Gil, esse time não tem muita chance no brasileiro (reparem que na ausência de um desses dois, volta o armador das contrárias redes).

Anúncios
16 Comentários leave one →
  1. Cesar Cachaça permalink
    03/03/2014 10:31

    Eu entendo o pq do Álvaro, em toda oportunidade na qual isso é possível (e faça sentido), ressaltar o que Mano tem de bom em comparação ao Tite. Quando um dos pólos de alguma questão é muito ressaltado, e a gente discorda desse polo, a gente ressalta o oposto. É isso: a opinião pública, em geral, acha que ter mandado Tite embora e contratado Mano foi uma cag*. Muito jornalista se refestelou com a crise de começo de ano (como se fosse culpa do Mano). Por isso que quando é possível ver avanços táticos importantes em campo (mesmo que com muitas ressalvas), é importante ressaltá-los. Porque é gritante, para mim e para outros, que no plano tático Mano é bem superior a Tite. Os dois tem os seus problemas e virtudes, mas na capacidade de avaliar uma situação de um elenco, o que tem feito de ruim e buscar uma reorganização para melhorar, nisso Mano dá de 10 em Tite. E isso precisa ser falado, sob o risco de, no próximo problema (por ex não classificarmos no Paulista), a mesma lenga lenga de “Tite deveria ter ficado” voltar à tona.

    Curtir

  2. Múcio Rodolfo permalink
    03/02/2014 14:35

    1- Bom…. eu vou lembrar as palavras do Paulo André: “ficamos conhecidos como uma equipe que defende em bloco e que ataca em bloco”. Se não foi assim, foi quase isso. Ao meu ver o Adenor tentou -e conseguiu por um bom tempo- incutir nos jogadores que todos devem tanto atacar como defender. Eu não creio que ele deixasse de dar aos atacantes liberdade no momento em que tivéssemos com a posse de bola. Lembro que a preocupação com a marcação -tão criticada por aqui- foi exaltada por Marcelo Oliveira, técnico campeão brasileiro pelo Cruzeiro- e por Cuca -técnico campeão da Cucaracha pelo Atlético Mineiro.
    2- Adenor não ficaria em dúvida sobre Bruno ou Luciano. Se vc for pesquisar as substituições feitas por ele, verá que ele trocava meia por meia, atacante por atacante. A troca atacante por volante ou zagueiro seria feita em partidas similares aquela realizada no Balneário (Timão 1×0- gol do Emerson). Se ele tivesse colocado em campo, o mesmo time que o Mano colocou, eu penso que ele colocaria, no lugar do Guerrero, o Danilo e não o Luciano, apelando para seu critério de me-re-ci-men-to.
    3- O jogo de quarta mostrou um time frequentando no segundo tempo mais o campo ofensivo do que nos jogos anteriores. No entanto, o jogo até o segundo gol do Luciano estava com aquele “ar” de que o adversário poderia num ataque esporádico empatar a partida. Foi mais ou menos parecido com um jogo que vencemos num sábado o ano passado (eu não me lembro qual foi o adversário) no qual o placar estava 1×0 e só foi definido o 3×0 no finalzinho

    Curtir

    • 03/03/2014 13:44

      1 nunca teve ataque em bloco. Sempre foi franco atirador, uma marca que ele traz lá do inter.

      Aliás, para mim é uma baita alternativa para a seleção brasileira digasse de passage.

      Curtir

  3. 03/02/2014 11:50

    Sim Álvaro, eu lembro do Tite. Podemos esquecê-lo agora?

    E o Mano? Ajeitou o time, contrata muito bem e tornou o time agradável de ver, não? Tem ainda algumas coisas a corrigir no time, mas é tudo tudo culpa dos jogadores, sem dúvida.

    Serei repetitivo mas não consigo evitar… impressão minha ou esse blog passou de crítico contumaz de técnico (tudo o que de errado acontecia era culpa dele) a chapa branca (nada do que acontece de errado é culpa do técnico, aliás, tudo de bom é mérito dele).

    Como antes mantenho (ou pelo mentos tento manter) a minha posição. O técnico tem grande responsabilidade pelo que acontece com o time, mas grupos de pessoas são extremamente difíceis de gerenciar e muitas fazem ações que internamente fazem sentido, soam absurdas para o “mundo exterior.” Confio no Mano, mas ele é também responsável por grande parte dos erros no inicio desse ano. E continuo pouco me importando com o Paulista e quase preferindo que o time não se classifique para ter um mês para uma pré-temporada de verdade. E contratar pontualmente se necessário.

    Curtir

    • 03/02/2014 13:20

      Como diria Roberto Carlos, o verdadeiro, “eu mudei”… Ou seria “eu voltei”?

      Acho que a questão central do blogue permanece: a parte tática é ainda determinante para a vitória. Exemplificando: uma equipe superior tecnicamente, mas desorganizada taticamente sempre perde para uma equipe mais organizada.

      Por isso a minha babação de ovo para cima do Mano. Tite escalaria o Bruno ou o Luciano? Romarinho voltaria a jogar na sua posição? Jadson teria a liberdade que tem hoje ou marcaria o gandula?

      Apesar de Tite avivar desejos estranhos em mim eu acho ele MUITO ACIMA da média brasileira que é ruim. Em que Felipão é top.

      Tanto desta vez quanto da primeira eu defendi com veemência a contratação do Tite, pois com ele estanca-se a sangria de derrotas.

      Mas eu não posso perder toda e qualquer oportunidade para mostrar no que Mano é bom: na organização tática, na escalação, nas substituições.

      E no que ele é ruim (e Tite é bom) na motivação, na administração do vestiário, na enganação das coletivas.

      Oxalá escrevesse tão bem quanto você para ser um dia capaz de construir um guia definitivo dos técnicos corintianos que vi.

      Curtir

      • Correa Leonardo permalink
        03/02/2014 21:16

        “Apesar de Tite avivar desejos estranhos em mim”

        Frase que demanda maiores explicações, ou vai ficar esquisito! 🙂

        Curtir

      • Nicolau permalink
        03/05/2014 10:48

        Só pra não perder a chance de cornetar, teve um momento do Brasileirão 2013, em que o dono do boteco afirmou que praticamente todos os técnicos da Série A eram melhores que o Tite.
        Também acho Mano melhor que o Tite, de quem eu nunca esperei grandes coisas. Por isso mesmo, fui bastante surpreendido pelo time que ele montou, que nos melhores momentos tinha linhas próximas como não se vê por aqui, marcação no campo todo, roubadas de bola perto do gol adversário, posse. E que pecava pela falta de criatividade ofensiva e pelo defensivismo um tanto exacerbado.
        Mano tem outras virtudes, é menos retranqueiro, mais criativo para usar os jogadores. Acho que aprendeu bastante na passagem pela Seleção. Acho que estamos em boas mãos.
        E de todo jeito: o técnico está morto, vida longa ao técnico.

        Curtir

    • 03/02/2014 23:47

      Tite is dead.

      Não o entendo nada de tática e me agrada ler os colegas daqui.

      Por outro lado, que zica Guerrero! Vai voltar e também tenho fé que a zaga vai melhorar.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: