Skip to content

Corinthians 5×2 Goiás, acima do sarrafo de 64%

08/22/2014

Preâmbulo. Tinha visto na noite anterior Inter 0x1 SPFC e fiquei impressionado com a boa qualidade da arbitragem, que não parou o jogo nas faltas técnicas. Exatamente oposta àquela do nosso jogo contra o Bahia. Já nesta noite contra o Goiás, esse juiz, um juiz anti-corinthiano clássico lembre-se, também deixou o jogo seguir. Pode ter sido orientação da comissão de arbitragem, não sei. Mas, garanto que se esse anti-corinthiano tivesse apitado o jogo do Bahia, também teríamos vencido. Afinal, o time do Goiás é bem melhor que o do Bahia.

Corinthians fez um bom 1º tempo, mantendo-se no 4-4-2 com Renato fazendo uma partidaça. Jádson deve ter lido por aqui a crítica do jogo de Sábado e também foi outro cara: reparem como ele não precisa acertar o toque genial, basta colocar o time para correr, ajudar. Como se esperava, o Yin/Yang se desequilibrou: ganhamos em força ofensiva, mas perdemos na defensiva. Mas não exageremos, afinal, o time do Goiás era melhor armado e mais criativo que o time baiano. Não exageremos também na questão do 0x1 Goiás, pois foi muito mais resultado da competência mágica, milimétrica do Thiago, do que exatamente da desorganização defensiva (o que o Fágner fazia ali?). Se você não reconhecer a competência do atacante, recomendo tentar parar o vídeo do gol no momento do passe.

Com o gol, o estádio entrou em chamas! O Guerrero 1×1 veio num dos 13(!) escanteios corinthianos e veio daquele que parece estar jogando no seu melhor nível.

Para o 2º tempo Mano entrou com Luciano no lugar do Romero, mudança que EU não faria (e fatalmente perderíamos o jogo!). Peguei o Mano impacientando-se com o Menino Paraguaio em um escanteio em que ele ajudava nossa defesa. Deu-se que ele recebeu o rebote e, ao invés de pôr a bola no chão (coisa meio clássica), deu uma puxeta de costas que acabou na entrada da área, rearmando o ataque esmeraldino. Tomou uma bronca daquelas.

Luciano é um cara de muita técnica, mas ainda tem uma dificuldade incrível de entender o jogo coletivo. Lembra um pouco aqueles jogadores da década de 90 que jogavam mais para o diretor de TV, do que para o seu torcedor no estádio. Com a sua entrada pela direita, Mano centralizou Jádson e retomou o 4-2-3-1, sem centralizar Guerrero. Achei, não só pelos gols, que o time foi bem melhor e fez seus melhores 45 minutos do ano.

Aos 15, veio a razão de todo o nosso amor pelo futebol: 1×2 e viva a injustiça, essa VACA que tanto amamos.

Elias 2×2 veio do jeito que o professor treina e gosta. Esse gol, em que um volante (ou meia, ou goleiro etc.) entra pelo meio, como um camisa 9, enquanto Guerrero está mais aberto é o que ele quer do time. É também o que ele queria da seleção brasileira. Convenhamos que não é algo trivial de se conseguir em um time de jogadores recém contratados.

Renato sentiu (foi nítido) e entrou Lordeiro que jogou muito bem, pois tem características mais defensivas e ajudou na pressão pelo meio. Luciano 3×2 veio do pé dele. Luciano 4×2, um gol a lá R9, veio do Jádson. E, fechando, o Luciano 5×2 veio do zagueiro do Goiás mesmo… (Para vocês terem uma ideia, de onde eu estava, achei SEIS dos 7 gols impedidos).

Foi nosso melhor jogo no ano, apesar dos erros, particularmente no 2º gol. Retomo algo que já conversamos: o time oscila harmonicamente entre a vitória pragmática e o empate medonho. Quando pinta um jogo bom, ele é sempre melhor que o último jogo bom e assim a gente reconhece uma equipe em evolução. O problema é que equipe em evolução/formulação não vende DE GRÁTIS seu zagueiro titular no meio da temporada (nem terminou o turno ainda!)

Relembro algo que também discutimos aqui, que Timão deveria ser (ou voltar a ser) mais “inglês”, no sentido desses times ingleses que correm atrás do resultado o jogo que for e assim provocam reviravoltas como a desta noite. Noto, até para confirmar essa nossa tese, de que o campo é mais estreito e precisaremos de laterais muito bons pelo resto de nossas vidas. Não que os nossos estejam mal, mas a pressão na lateral do campo estreito é muito forte.

Que o Clube invista na formação de laterais ou reserve um bom capital para pegar os melhores laterais do mercado.

Estreias: Lordeiro achei mais parecido com o Petros e o Anderson foi ótimo na saída de bola (clap! clap! clap!).

Próximo jogo vai ser sensacional! Felipão x Mano!

Em tempo:

Copo cheio: para quem não sabe, campeão brasileiro (tirando 2009) precisa de 73 pts ou 64% de aproveitamento (em 2010 foram 71 pts). Faltam só 42 pontos.

Anúncios
26 Comentários leave one →
  1. 08/22/2014 14:22

    Para o pobre trabalhador aqui, ao chegar em casa vi o apito final.
    Mas arrisco:

    a) Lodeiro no lugar de Renato Augusto – opção pelo jogo mais corrido e pegado.

    b) Luciano x Paraguaio: acho que temos duas situações idênticas, na minha visão são meias de origem que foram se adaptando ao ataque, por isso o estrelismo e a firula na hora de chutar. Quando isso é resolvido no toque rápido é gol, já que Luciano tem uma capacidade de finalização de média para boa. Quanto ao Paraguaio quero ter mais tempo para entender, mas ele é essencial para reter a bola no ataque.

    Abraços,

    Curtir

  2. cesar cachaça permalink
    08/22/2014 13:38

    Primeiro e mais importante: para quem reclamava de que continuava chato assistir jogos do Corinthians, esse jogo foi uma belíssima exceção. Tem a questão do equilíbrio, citado por vc, mas acho que foi um pouco atípico. O primeiro gol foi daqueles lances que acontecem. Mas importante foi o time não ter se abalado tanto estando atrás do placar duas vezes. O segundo gol foi falha de posicionamento sim, mas explicável pelo entrosamento também. O resumo é: atrás falhamos de 3 a 4 vezes e tomamos 2 gols, o que não acontece sempre. Na frente fizemos 5 gols quando poderíamos ter feito 8, sem exagero. A evolução é, novamente, lenta mas visível.

    Jadson fez partida primorosa ao meu ver; resta saber se a explicação é a sua oscilação natural, o bom jogo que faz a cada três ou, a minha hipótese, que dividir a responsa com RA o ajuda muito. Agora, sem sacanagem: já no jogo contra o Bahia eu pensava o seguinte sobre o Mogli “se o esquema é o Guerrero sair mais da área e o segundo atacante (junto com os meias) aproveitarem o espaço, Luciano faz melhor essa função”. No primeiro tempo de ontem ficou evidente: Mogli recebendo as bolas meio longas para disputar com os zagueiros era 0% de aproveitamento. Juro que pensei que Mano deveria por o Luciano antes de ver que era exatamente isso que ele faria – jogá-lo na ponta direita, para abrir o time como ele queria, e ganhar aquela entrada em diagonal que estava faltando.

    Arbitragem: foi uma das melhores que já vi no campeonato. O trio acertou 98%. E Mano precisa tomar maracujina, não pode se destemperar como se destemperou, em especial com uma arbitragem tão boa. Deixa para reclamar no pós-jogo. E o que não pode passar em branco: os 3 gols foram lances dificílimos para os bandeiras (e o tira-teima mostrou que eles acertaram os três), mas chuta sobre qual dos lances ouvi aqui e acolá na imprensa que estava impedido?

    Cléber: o Corinthians não comprou pq não quis. O contrato previa opção de cobrir qualquer oferta, e por alguma razão o time não achou que gastar 10 milhões no Cléber valeria a pena. É provável que Mano já visse em Anderson Martins um melhor encaixe. Quanto ao “absurdo” de não ganhar nada com a transferência, não há almoço grátis: vem de graça, vai de graça. Quer ganhar com a eventual venda tem que investir antes também antes de ver se vale a pena, e aí o risco é os Defedericos da vida.

    Cruzeiro: vi partes do jogo ontem e, taticamente, o Grêmio foi melhor e merecia ter vencido. Aposto 60% em Cruzeiro campeão, mas acho que há chances. O Corinthians precisa terminar o jogo lá em MG contra eles no segundo turno com menos de 5 pontos de vantagem para sonhar com título. Se a vantagem após esse jogo for maior do que essa, já era.

    Curtir

    • 08/22/2014 13:45

      Bela análise!

      De fato, o Luciano tem encaixe melhor, pois parece que era meiocampista de origem. O problema dele (e do Mogli) é que falta aos dois alguma inteligência futebolística em alguns momentos em que precisam pensar no jogo do time e não no jogo dos pés deles.

      Sobre as chances, se mantiver 64% é campeão, independentemente do jogo de BH…

      Curtir

  3. Nicolau permalink
    08/22/2014 9:56

    Os dois meias jogaram muito e Elias também, voltou a aparecer na área! Sobre o quase inevitável pedido de titularidade para Luciano, pode não dar certo, como já não deu antes, mas o bom é saber que os parceiros do Guerrero têm nível parecido e até que bom. Deixa a briga comer e que cada um de o que tem. Acho que pra eles cabe mais ainda uma visão do Álvaro sobre o elenco: jogadores ainda a se provar. São novos e vão evoluir, deixa os caras no elenco e bolsa pra frente. Sobre a zaga com Anderson Martins, precisa dar tempo antes de avaliar. Lembremos que uns dez jogos atrás todos faríamos graças pela venda de Cléber, com ou sem lucro, só pra se livrar dois gols contra…
    PS.: em mais um momento de pressa que contradiz o discurso de ‘vamos copiar a Alemanha’, o Juca crítica o Mano por não trocar Fagner por Ferrugem, que fez meia partida no ano…

    Curtir

    • 08/22/2014 12:02

      Acho que o Luciano tem muito a aprender em termos de postura, coletivo e até em fazer o gol.

      Quanto ao Juca: perdeu. Pode avisar o Tite que a hora é de aceitar qualquer proposta, pois o Timão não volta atrás. E Domingo, Mano ainda pode irritá-lo um pouco mais… 🙂

      Curtir

  4. Correa Leonardo permalink
    08/22/2014 9:28

    Então se é assim deixa o professor na arquibancada todo jogo!

    Curtir

    • Correa Leonardo permalink
      08/22/2014 9:29

      (Desculpem, era em resposta ao comentário do Ricardo E! ali embaixo)

      Curtir

    • 08/22/2014 14:07

      Para ser honesto não entendo por que eles preferem ver o jogo do campo, acho que para poder influenciar mais os sopradores de apito, por que para enxergar o jogo não tenho dúvida que o melhor é ver de cima. Aliás acho que em geral eles até tem alguém assistindo o jogo do alto, mas não tenho certeza. De qualquer maneira fizemos um bom jogo e faz tempo que eu não me divertia tanto em um jogo no estádio.

      Curtir

  5. Alexandre Lemos permalink
    08/22/2014 8:44

    a tendencia agora é uma queda na tabela com os desfalques , pasmem !!! de Elias, Gil, Guerrero, Lodeiro, Romero…. só ai ja são 5, ainda podemos ter cartões e lesões

    Curtir

  6. Max permalink
    08/22/2014 8:27

    1 A cada rodada fica claro que não dá pra buscar o Cruzeiro. Mas a Copa do BR tá aí pedindo pra ser vencida pelo timão no ano do centenário dos porco.

    2 Petros vai fazer falta e já começou.

    3 Que história é essa do Corinthians não levar nem uma mísera comissão da venda do Cleber?

    Curtir

    • Ph1910 permalink
      08/22/2014 9:31

      3. Pois é. Essa diretoria não anda cheirando muito bem.

      Parafraseando o comentário do O Dani L no Blog do Silvinho.

      Tem muita coisa errada acontecendo. Somente esse ano:

      Parte 1 – Vendas:

      1. Edenilson (Total: R$ 11,2 milhões – Parte do Corinthians: 3,5 milhões).
      2. Guilherme (Total: R$ 12 milhões – Parte do Corinthians: 3,7 milhões)
      3. Cleber (Total: R$ 9,3 milhões – Parte do Corinthians: 0)

      Total lucrado: 7.2 Milhões.

      Parte 2 – Emprestimos pagando salários:

      1. Sheik ( R$ 520 mil )
      2. Pato ( R$ 400 mil )
      3. Douglas (R$ 150 mil )
      4. Ramirez (R$ 80 mil )
      5. Elton ( R$ 150 mil)

      Obs: Só de salário 1.3 MI / mes (Sem contar inúmeros outros jogadores que estão emprestados em outros times no Brasil).

      Parte 3 – Liberação de graça:
      1. Paulo André
      2. Ibson
      3. Rodriguinho – Foi emprestado. Não tenho certeza se o Corinthians recebeu alguma coisa.

      http://blogdosilvinho.wordpress.com/2014/08/20/marquinhos-lembram-se-dele/#comment-140016

      Curtir

    • 08/22/2014 9:41

      1-É o que eu sempre achei

      Curtir

  7. 08/22/2014 8:21

    Evolução voltou, evolução voltooooou! Em uma análise bem simples, o Petros é bom jogador mas a saída dele com a entrada do Batiman, vulgo Renato Augusto, tornou o time mais vulnerável, para desgosto do Mano, mas muito mais eficaz no ataque, para alegria da torcida. O ponto de virada foi a presença do Mano em campo. Enquanto ele estava lá perdemos de 2 x 1. Foi só ele ser expulso que fizemos 4 gols :-). Perdoe-me Alvaro, mas essa eu não posso deixar passar :-).

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: