Skip to content

100 dias do 7×1, 1 dia do 4×1.

10/17/2014

Ontem comemorou-se 100 dias do 1×7 GER. Foi também o dia 1 do CAM 4×1. Dois resultados-catástrofe que se rivalizam nos seus erros mais orgânicos de origem.

Elenco aqui, as razões orgânicas para a derrota, na sua ordem de importância:

  1. Falta de renovação do elenco de 2012: o time vitorioso da despertadores, já apontava desinteresse por novas conquistas, aliás, como é hábito no preguiçoso futebol brasileiro. Abocanhou um título mundial importante, em condições razoavelmente adversas e isso subiu à cabeça, não dos jogadores, mas da presidência do clube. Explico: optou-se pela renovação de contratos de campeões que já bocejavam em campo. E se o cara mostrava algum aguerrimento, era vendido a preço de banana. Sem ambição, com um técnico pouco criativo, Corinthians foi definhando e ao final do ano, descobrimos que teríamos um…
  2. Desplanejamento para 2014: com a saída do diretor e futuro presidente Roberto Andrade – com um ano de antecedência das eleições – foi o Corinthians mesmo quem anunciou: não haveria contratações PARA 2014. A coisa toda seria avaliada no meio do Paulitão. Uma catástrofe. O elenco pequeno e envelhecido foi forçado a jogar quarta-domingo sem pré-temporada e não demorou muito para tomar uma didática goleada de um time de jovens no auge físico. Não foi um mal planejamento, foi, de modo confesso, uma ausência total de planejamento que culminou com a…
  3. Invasão do CT: tudo indica que foi facilitada por gente do clube. Mas a questão é que Torcedores Organizados arrebentaram de vez qualquer chance de retomada ao longo do ano. Como já não tínhamos mesmo um plano, a diretoria achou por bem adotar o plano proposto pelas TOs e fizemos barbaridades como a troca de Pato x Jadson. No pacote, o clube viu a oportunidade despachar um jogador-problema e eu avisei por aqui, com muita antecedência, para não mexerem com ele, pois isso iria causar…
  4. Perseguição da mídia: despachar PA é o mesmo que despachar a fonte de Juca Kfouri no Corinthians. JK é o blogueiro-jornalista mais influente no futebol brasileiro. Para piorar, o 1×7 criou um grupo de jornalistas-derrotados na tese de que futebol é motivação. Vimos uma da melhores Copas, com uma forte ênfase no futebol defensivo e na roubada de bola bem adiantada, em detrimento do jogo de posse de bola, humilhado que foi por Holanda e Chile. Um sucesso de Mano no Corinthians poderia ser fatal para essa gente que não só apoiou a troca por Felipão, como também fez um encontro constrangedor com ele durante a Copa. O líder desses jornalistas? Juca Kfouri. Criou-se uma força negativa de que tudo o que Mano fazia estava errado, mesmo quando ele conseguia pontuação acima de 80% das equipes do G4 ou mostrava mais organização tática nos clássicos. Com o elenco ainda fraco, mal planejado e sem qualquer apoio externo, o clube ainda se meteu em…
  5. Trapalhadas com reforços e vendas: contratar um jogador ruim como Lodeiro, não é lá um grande problema quando temos um time mais estável. Passa um tempo, você descobre que o cara é ruim e revende. Nosso problema é que precisávamos de jogadores prontos e Lodeiro estava pronto para nos prejudicar. Pior ainda foi vender Cléber, um zagueiro que estava na evolução do razoável para o bom. Mas Corinthians ainda rompeu PARADIGMAS e contratou um zagueiro caríssimo e muito ruim. As melhores contratações foram de jogadores jovens e, como sabemos, esses caras oscilam muito ainda mais nessa TEMPESTADE PERFEITA que tornou-se o clube. E foi assim que chegamos na…
  6. Metade de outubro ainda sem elenco: nem falo de elenco forte… Aqui o ponto é não temos elenco grande. Saiu o Gil, ficamos sem zagueiros. Saiu o Ralf e Elias, ficamos sem um mísero volante e tivemos de improvisar um jovem lateral na posição (queimado, infelizmente). Veio uma convocação espúria do Dunga e fomos para o jogo com um time fragilíssimo no miolo de zaga.

E foi assim que perdemos o jogo. Logo após a invasão do CT, soltei o alerta do rebaixamento e estava muito certo! Só não fomos para a parte de baixo, por duas razões: o nível de baixo está baixo mesmo e o sistema tático proposto foi vitorioso em jogos chave.

O problema é que esse sistema, moderno, esbarra na falta de ambição de nossos adversários. Muitas equipes aparecem em Itaquera apenas para cumprir a tabela, sem nenhuma motivação pela vitória e você é obrigado a jogar pela posse com um elenco ainda sem jogadores com capacidade de resolver partidas.

Hoje ainda, daqui a pouco, o CT deve sofrer mais um protesto. Os Torcedores Organizados anunciarão que desistiram do time mais uma vez e pedem para que eles percam todos os jogos até o final do ano. Não me ocorre outra razão para se pressionar o elenco no momento em que ele mais precisa de apoio.

Elenquei 6 razões orgânicas que justificam o estado de irritabilidade que, imagino, todos estamos passando desde a madrugada de quinta-feira e que incomoda diretamente nossos amigos e familiares.

Vamos logo trocar de técnico e esquecer tudo isso…

Vamos?

Anúncios
9 Comentários leave one →
  1. 10/18/2014 13:08

    Boa análise, mas não concordo com tudo. O futebol campeão da Copa foi o de uma seleção que sabe jogar defensivamente e dar o bote, mas que também sabe tocar a bola e esperar (jogo da Alemanha contra o time africano cujo nome não lembro, por exemplo).
    A Alemanha sabe fazer as duas coisas: esperar o adversário e tocar a bola. Tem versatilidade. Esse Corinthians só espera o adversário jogar. E pior: quando esse adversário é extremamente veloz, fica sem alternativas, como ocorreu contra o Atlético Mineiro. E pior II: esse time não liga um mísero contra-ataque rápido quando necessário, sendo que possui bons passadores e velocistas na equipe.
    Aponto tb algo que faltou você pontuar: sem dinheiro, com direção atual confusa e com MALDITAS ELEIÇÕES APENAS EM FEVEREIRO, 2015 tem tudo p ser pior, amigo…

    Curtido por 1 pessoa

    • 10/19/2014 21:41

      Isso sobre a Alemanha é verdade. Só que é verdade também que ela tem elenco para se impor quando pega um time fechado. Não é o caso do nosso elenco ainda.

      É o caso do Cruzeiro que joga mais mal do que bem, mas vence todos os “pequenos” na base da qualidade técnica muito superior.

      Curtir

  2. Daniel CMS permalink
    10/17/2014 19:47

    Acho que vou discordar de você Alvaro, concordando. Ou concordar discordando.

    Dois jogos do Brasileiro atrás (acho que depois do jogo com o Cruzeiro), tava almoçando no quilão e tava passando o Arena. Mostram a estatística Robin Hood:

    Tínhamos aproveitamento de ~70% contra o top 10 da tabela e ~40% contra os últimos 10 (detalhe é que a conta de 10 pra cima e 10 pra baixo me parece duplicar algum time aí).

    Aí você, Alvaro, diria que não temos elenco e/ou jogadores que resolvem. Eu diria que talvez, pois muito das dificuldades que vejo contra times pequenos poderiam ser resolvidas com TREINO: posicionamento, jogadas, melhora de fundamento.

    Que adianta FS cruzar errado? Será que ele treina isso? E quando acerta não tem ninguém na área. E aquela jogada do mesmo FS quando ele cai pro meio? Por que só o Danilo sabe fazer essa jogada com ele? E o Elias, pq não tem meia tabelando com ele?

    Caras, vimos um Atlético fazer virada de jogo na quarta, infiltrações, pivos… Um time que também teve a perda de um bom numero de jogadores… CARAS, eu vi um lateral que nunca ouvi o nome virar o jogo para outro que tb nao entra na seleção D do Brasil… não seria isso o dedo do técnico?????

    Curtido por 1 pessoa

    • 10/19/2014 21:43

      Foi um jogo isolado, com um time mal escalado. Coloca o time desse domingo que provavelmente que o jogo seria outro.

      Impossível de perder com Gil/Elias em campo.

      Curtir

  3. eugenes permalink
    10/17/2014 17:33

    duas perguntas: o mano é sua principal fonte? voce faz assessoria de imprensa para ele?

    Curtir

  4. 10/17/2014 15:40

    Acho que o Corinthians deveria usar a base… canso de dizer isso… por causa de jogadores como Felipe, Guilherme Andrade (que é volante mesmo e não lateral) e outros tantos que passaram por aqui… perdemos a oportunidade de acharmos um bom jogador da base…

    O que faz o Barça e o Villarreal na Espanha? Tem um time B… Até 2012 o Villarreal estava com o time B na segunda divisão espanhola… o Barça e o Madrid ainda tem… e quem joga nesses times? jovens… com futuro… não apadrinhados de empresários e dirigentes…

    Assim eles ganham experiencia… muita… e com 17, 18, 19 anos vão jogando na segundona… vão jogando alguns jogos no time principal… quando estão mais regulares no time B recebem mais chances no principal… e quando se destacam… vão para o principal… jogam pelo menos uns 10 jogos na primeira divisão…

    Assim aconteceu com Xavi, Iniesta, Puyol… Pedro, Busquets, Victor Valdés…
    Nenhum deles queimou etapa… ao contrário… jogar alguns jogos no time principal era uma etapa… intercalar jogos entre o time principal e o time B…

    Alguns demoram mais outros menos… até o Messi passou pelo time B e revezou com o time principal antes de entrar definitivamente no principal…

    No Corinthians não tem nada parecido com isso… e não é difícil fazer isso… acho que o erro é esse…

    Não existe um planejamento sério… nem de ano em ano, nem a cada 10 anos…

    O Mano não é ruim… está na média… até um pouco acima… mas não se pode negar que sua filosofia é de defesa + sorte no ataque… quando quer atacar… faz bem… mas no fundo ele não quer…

    Curtido por 1 pessoa

  5. Cesar Cachaça permalink
    10/17/2014 14:21

    Critiquei o Mano no outro post (e em alguns outros) e não o eximo da sua parcela de culpa. Mas ele também tem méritos, pq o fato do time não estar em posição pior a despeito desses fatores que vc explicou é também trabalho dele. A minha máxima para esse ano é: depois do Cruzeiro, é tudo meio igual. O Inter grande perseguidor do Cruzeiro oscila demais e já foi elmiminado na Copa BR e Sulamericana antes de nós. O SP Muricy todo todo com elenco melhor não mostrou resultado / desempenho e por aí vai. A bola da vez, com Galo no g4 e o jogo de quarta, é Levir Culpi. Até quando? um empate no fds e a saída do g4 seria o suficiente para tirar de Levir o posto de gênio da vez?

    No nosso caso, o desempenho em jogos grandes é de bom para ótimo. 6 pontos contra Marcelo Oliveira, 4 contra Muricy, vitória em casa contra Abel, 4 contra o mesmo Levir. O desempenho em jogos pequenos é horroroso. Mas aí vem: se o desempenho contra os pequenos fosse apenas um pouco melhor – digamos, ter ganho 2 partidas que empatou e feito portanto 4 pontos a mais – seríamos vice-lideres do campeonato! A questão é que o time oscila demais, mas a parte mais difícil – montar um time para jogar um jogo grande – está encaminhada. Sabe o que resolveria a parte dos jogos fáceis, pelo menos 80% das vezes? Ter mais 2 jogadores que chamam a responsa / de maior qualidade do meio para frente, algo como (só como exemplo) Alex do Inter e Sóbis do Flu.

    A conclusão é: com todos os problemas, para ter um time bem montado para 2015 não falta muito. O cenário, a despeito do que possa parecer, não é tão desolador. É só fazer a avaliação correta.

    Curtido por 1 pessoa

    • 10/19/2014 21:46

      2015 precisaria de contratações de ponta para o ataque, lateral e zaga. A questão é se temos dinheiro ou se temos grupos empresariais ainda no negócio (após a proibição da FIFA).

      Precisamos de laterais e o futebol brasileiro está meio carente na posição. Eu gostei do cara da Chape (mas falhou ontem no gol do CAM).

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: