Skip to content

Corinthians 2×2 Coritiba, na mão grande só quando é com o Cruzeiro.

11/02/2014

Talvez vocês não saibam, mas a real explicação para um cachorro na “nossa casa” em Itaquera é essa aqui: eu e uma renca de corinthianos perdemos o começo do jogo pois algum espírito maligno assoprou que ele seria às 21 e TRINTA. Mas não, era mesmo às 9 da noite. Perdemos o lance do penal, do gol impedido e, não fosse a entrada CONSCIENTE do cachorro, nem o gol do Alex veríamos.

Se fosse possível esquecermos do resultado e de suas implicações, foi um bom jogo em Itaquera. Exemplificando, enquanto escrevo, estou vendo na outra tela um Santos x Inter muito ruim. Um jogo bem inferior ao de ontem, o que é surpreendente dada a qualidade do elenco colorado, muito superior aos demais (menos o Cruzeiro).

Mano sacou Petros e entrou com Danilo. A ideia, a princípio, foi mantê-lo como centroavante, vez ou outra alternando com Renato, num 4-3-3 naturalmente lento pela característica dos jogadores.

O 0x1, que não vi, foi impedidaço. Lance fácil, na frente do bandeira.

O mesmo bandeira vai errar um lance inacreditável de impedimento inexistente de Jádson. Mais uma vez, é inegável que Corinthians foi prejudicado e esses 2 lances foram decisivos. Se o time fosse muito bom, cheio de estrelas, a conversa seria outra. Somos um time bem montado, com jogadores irregulares e sem estrelas. Quando um bandeira erra 2 vezes assim, não dá para esperar que o time supere isso.

Essa é, aliás, a característica dos times campeões dos pontos corridos: superam os erros da arbitragem em alguns jogos, enquanto em outros se aproveitam desses mesmos erros.

O 0x2 veio num erro de marcação de Bruno, que permitiu que a bola chegasse no Alex e dali no gol. Corinthians não se perdeu e manteve o padrão de jogo, agora enfrentando uma baita retranca verde.

Para o 2º tempo Mano mexeu com inteligência e colocou o paraguaio centralizado na 9, abrindo Danilo numa das pontas e o harmônico Luciano na outra. O Elias 1×2 começa numa boa jogada de Fagner – que surpreendentemente jogou bem ontem – mas é na rapidez do lançamento de Bruno que a jogada se define.

Fizemos ainda algumas triangulações muito boas, mas pecamos na finalização, como, tem sido a característica desse time. Com o avanço rápido do relógio, Coritiba se emparedou e Mano aproveitou para tirar o pior jogador em campo, entrando Jadson e recuando Bruno para a zaga. A mexida deu certo, pois Bruno continuou articulando as jogadas e ele mesmo empatou num 2×2 bastante comemorado em Itaquera.

Dentro das limitações do elenco, jogamos muita acima do esperado e perdemos na mão grande. Ops! Falha minha: só ao Cruzeiro é reservado esse privilégio, nós preferimos relevar o elenco, a troca Jadson-Pato, as invasões, o STJD e colocar a conta no técnico, mesmo que a equipe mais uma vez tenha se portado muito bem taticamente e as substituições tivessem melhorado o seu desempenho.

Elias

Essa eu posso explicar, pois foi na minha frente. Alguns caras ficam ali atrás do Mano xingando, como se isso fosse melhorar o desempenho da equipe. Ao invés de pressionar o 4º árbitro ou o técnico adversário, o legal para essa gente é prejudicar a concentração do técnico e dos jogadores em campo. Na saída do 1º tempo, um rapaz um pouco mais robusto, daqueles que você enxerga e ouve de longe, escolheu o Elias para Cristo e deu no que deu.

Elias errou feio nessa, nem tanto por estar jogando o futebol que jogava no Flamengo e eu avisei, mas porque aguentar esse tipo de babaquice já está incorporado ao que se chama salário de jogador de futebol.

2015

Já dá para pensar no planejamento de 2015 a partir do time montado em 2014. Aparentemente sem dinheiro algum, Corinthians deveria focar na contratação de 2 zagueiros: um titular dos bons, que não vá ser vendido em 3 meses, e outro reserva, de modo a deixar o ESTRANHO Anderson na reserva do reserva.

Se Ralf ficar, temos um bom reserva para o meio. Com mais dinheiro poderíamos arrumar um atacante de ponta e deixar Malcom-Luciano-Romero encorpando.

Itaquera

Reitero o que falei desde que surgiram com a ideia MIRABOLANTE de um estádio de ingresso caro em Itaquera: sem times de ponta, sem estrelas, não tem como lotar os setores mais caros. E ontem, mais uma vez, o setor Oeste ficou vazio.

Se Tite voltar com seu futebol mágico, aquele setor vai ter de se reinventar ou o Corinthians não vai ver a grana da bilheteria nem em 20 anos!

Se o Corinthians ganhar os últimos 7 jogos é campeão.

O Corinthians não pode ser mais campeão pois só tem mais 18 pontos para ganhar e precisa de 19.

Em tempo:

Copo mais vazio que o sistema Cantareira: para quem não sabe, campeão brasileiro (tirando 2009) precisa de 73 pts ou 64% de aproveitamento (em 2010 foram 71 pts). Faltam só 19 pontos

Anúncios
18 Comentários leave one →
  1. Marcos Serra permalink
    11/03/2014 23:27

    O Corinthians teve um pênalti marcado/desmarcado, um gol mal anulado, tomou um gol em impedimento e um lance claro de gol mal anulado.

    Soma-se a isso um ataque de jovens, sem o seu melhor atacante, e “por acaso” o resultado não foi de derrota. O.o

    “Por acaso” fizemos dois gols. E por obra do “acaso” dois belos chutes de fora da área foram milagrosamente defendidos pelo adversário.

    O time tem defeitos e muitos aspectos a melhorar. Agora, se o gol não vem de uma tabela ou de um drible desconcertante é acaso?

    Qual o problema em fazer gol de “mil escanteios”? Se tivemos mil é porque estávamos no ataque mil vezes e por mil vezes poderíamos ter feito o gol de outras formas.

    Os problemas e obstáculos que tivemos e ainda temos poderiam ser a desculpa pra comentarmos o rebaixamento, mas o time está brigando pelo G4.

    Nenhum time tem o aproveitamento que o Corinthians possui jogando ao acaso.

    Senão era dispensável a figura do técnico. Bastava ao Palmeiras demitir o Gareca e colocar qualquer interino no lugar. Deixava o time ao acaso, esperaria a fase ruim passar, os outros times oscilarem e pluft: o acaso os salvou do rebaixamento.

    Dorival, por acaso, poderia estar desempregado.

    E porquê Tite, está?

    Vai, Corinthians!!!

    Curtir

  2. 11/03/2014 21:45

    Definitivamente vimos jogos diferentes. No que eu vi o Corinthians foi prejudicado e o Coritiba foi prejudicado. OK, fomos mais, mas isso não justifica o futebol paupérrimo e desorganizado jogado pelo Corinthians. A derrora era merecida. O acaso nos salvou. Somos um time que joga acasobol, é só balão na área e que o acaso nos salve. E nem posso dizer que não funciona já que às vezes salva mesmo. Todas as justificativas para o mal (péssimo) futebol caem por terra quando lembramos que tem um adversário em campo. Por que se elas só valem para nós, então são definitivamente desculpas. A elas. 1 – Temos um elenco limitado. Mas o Coritiba (e o Palmeiras com quem jogamos igualmente pessimamente) tem um elenco muito inferior, e jogou mais futebol do que nós. 2 – O time do Corinthians está em formação e o técnico só tem 1o meses de trabalho. Dá até pena comparar com o Coritiba (e o Palmeiras, insisto). 3 – O Corinthians e o Mano sofrem muita pressão, da mídia, da torcida… Bem vindos ao Corinthians. Não sabia da pressão? Não te estranhou o excelente salário de R$ 600. Tava achando que era para treinar um time com pouca a pressão? Ah, vai treinar a Ponte Preta então. E mais, parecia que o time ameaçado pelo rebaixamento era o Corinthians, time nervosíssimo e desorganizado (apesar dos jogadores experientes e do técnico estrela). O futebol apresentado pelo Corinthias é tão pobre que Mano deveria ser aconselhado a evitar sarcasmos nas entrevistas, não ajuda em nada. E falando em futebol, notem que os gols do Coritiba nasceram de jogadas com bola no chão e jogadores se oferecendo para receber o passe. Dá até vergonha de falar como surgiram os nossos (acaso e mil escanteios). Mas vou dizer o que me causou essa revolta toda, foi o Mano notar que o Cássio estava se oferecendo para ir cabecear a bola nos dois últimos escanteios (com boa parte da torcida pedindo) e se virar de costas. Não só ele viu como foi alertado pelo banco. Obviamente ele era contra (como eu também seria), mas por algum motivo preferiu não demonstrar isso abertamente. Terminando a missão sessão revolta, é óbvio que o resultado no Brasileirão pode ainda não ser muito ruim, ou ainda ser comparado ao Tite de 2013 (se as pessoas precisam disso para exaltar o Mano é por que ele está ruim mesmo) mas eu não perdoo a ausência de futebol depois de 10 meses de trabalho. Não quero o Mano em 2015 e não

    Curtir

    • 11/03/2014 21:47

      terminando… e não quero o Tite em 2015. Eu queria uma nova reformulação que objetivasse um time que jogue futebol. Por que eu não quero o “futebol mágico do Tite” nem o futebol horroroso do Mano.

      Curtido por 1 pessoa

    • 11/03/2014 21:56

      e antes que alguém insinue, não torço contra nunca, apoio o time o tempo inteiro e sofro os 90 minutos, mas acabado o jogo, tenho que apontar aquilo que acho que precisa ser corrigido. E juro que eu queria ver o mesmo time e jogo que vocês, esse que mostra que está se formando e que aponta para um futuro melhor. Sinto muito, mas meus olhos não vem isso.

      Curtir

  3. Cesar Augusto permalink
    11/03/2014 14:50

    Esqueci. Mais uma vez roubados.

    Outra situação que cansa. O Corinthians está frágil nos bastidores e é roubado, constantemente, pelos sopradores de apito, STJD, CBF e FPF. É uma perseguição sem tréguas.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Cesar Augusto permalink
    11/03/2014 14:48

    Sinceramente, cansei.

    Não é possível perder tantos pontos bobos, em casa. Há uma falha do Mano no sentido de oferecer um sistema de jogo que ultrapasse as retrancas impostas pelos adversários e há um problema de caráter no time, que é apático demais, em regra. A reação do time acontece sempre na base do desespero.

    O time é muito low-profile, desatento, tranquilo demais. Falta alma a este Corinthians e, não sejamos ingênuos, falta elenco.

    Figueirense, Atlético-PR, Chapecoense, Botafogo, Bahia e Coritiba. Só aí, foram 13 pontos perdidos. Treze. Inexplicável, sob qualquer análise que se faça.

    E pontos bobos, convenhamos, não é privilégio deste Corinthians. É um processo que vem se avolumando desde o início da era dos pontos corridos, mais especificamente. O Corinthians, simplesmente, perde pontos irrecuperáveis campeonato após campeonato e não muda a atitude. No ano passado foi igual.

    Dê um CTRL C e um CTRL V nos comentários do ano passado e a indignação é a mesma.

    O Corinthians 2014, embora com um time pior que o de 2013, é mais do mesmo. Os mesmos problemas, os mesmos defeitos, as mesmas desculpas e, ao final, provavelmente, terá o mesmo resultado no brasileiro: A classificação para a 1ª fase da Copa do Brasil de 2015. E mais nada.

    Curtir

    • Cesar Cachaça permalink
      11/03/2014 17:37

      concordo com 80% das críticas. Só acho que dizer que 2014 é mais do mesmo 2013 é simplificar um pouco. 2013 era a base do time campeão de tudo 2012 reforçado por 3 jogadores de peso (gil pato ra). Ainda assim brigou para não cair – tinha o desempenho ruim de 2014 nos jogos pequenos sem o brilho de 2014 nos jogos grandes. 2014 é uma baita reformulação, com elenco razoavelmente mais fraco e, embora haja problemas que se mantenham, há mudanças. Eu acho que uma boa forma de simplificar é: o elenco do Corinthians é notdamente inferior a Cruzeiro, Inter e SP, correto? Então não seria realista esperar o Corinthians melhor do que esses 3 no campeonato. Estamos no bolo de 4° a 7° que brigam por liberta, o que não é ótimo, mas é bom em referência ao contexto / qualidade do elenco. Entendo que as críticas tem a ver mais com o desempenho do que resultados, mas ainda assim: se o time fosse um pouco melhor nos jogos fáceis, estaríamos brigando pelo título, o que não seria realista esperar. Por outro lado, o desempenho em clássicos e em grandes enfrentamentos é muito bom. Insisto que a parte que falta corrigir é a parte fácil. Fosse o mesmo resultado mas desempenho invertido (faz mais ou menos a lição de casa nos fáceis e sofre nos grandes) o buraco seria beeem mais embaixo. Contrate-se mais 2 ou 3 boas opções e o problema quase se resolve. É inadmissível que a única opção boa do nosso ataque seja Guerrero. Ele não joga temos que n os resolver com 3 moleques ainda se provando. Quando se compara isso com os 3 de cima, mas mesmo com Flu, Galo e Grêmio, é uma diferença abissal.

      Curtido por 1 pessoa

      • 11/03/2014 17:42

        Só pegar o Flu que tinha o Walter como reserva no começo… Não temos esse tipo de alternativa.

        Curtir

      • Cesar Augusto permalink
        11/03/2014 21:28

        Bom texto, Cesar, mas a minha insatisfação com o “mais mesmo” é em relação a decepção com a perda de pontos bobos. E nisso não há diferença entre 2013 e 2014. O time, ao final, sempre decepciona e a sensação é de inconformismo porque o time poderia ter resultados melhores.

        A decepção da eliminação da Copa do Brasil foi a mesma da eliminação da Copa do Brasil de 2013.

        De resto, concordo com tudo. O elenco têm lacunas incontornáveis para quem deseja o G4 ou algo mais.

        Curtir

  5. Cesar permalink
    11/03/2014 14:47

    Não vi o jogo, mas vi os gols, pelos comentários mais uma vez fomos prejudicados. Esse ano foi uma perseguição sem precedentes (Juízes, STJD e Imprensa). O Mano não conseguiu desenvolver o trabalho em paz. A torcida entra fácil, fácil no barulho dos “especialistas”. E ainda tem o ex técnico de férias permanente. É desanimador!

    Curtir

  6. 11/03/2014 8:42

    Ué…esse não é o time dos sonhos dos cornetas? FS, Ralf e Guerrero fora???

    Curtir

    • 11/03/2014 14:16

      Ralf eu acho que ficou passado.

      Guerrero está numa fase exuberante.

      FS é bem acima da média do campeonato e eu, do que vi, acho que o Brasil está num piores momentos nas laterais.

      Curtir

    • Cesar Augusto permalink
      11/03/2014 17:18

      Fábio Santos é insubstituível. Uendel não consegue marcar uma tartaruga e não tem noções básicas de cobertura.

      Ralf seria um ótimo zagueiro. De volante, BH é superior, no conjunto. Nos jogos fora de casa, Ralf seria uma ótima opção.

      E Guerrero é, simplesmente, o ataque.

      Curtir

  7. Cesar Cachaça permalink
    11/02/2014 21:52

    vou pular a parte onde o time tem dificuldade (muita) para propor o jogo e atacar um time mais fraco. Já sabemos disso, e é onde falha Mano. Tudo bem que o time é limitado, mas o que ele tem é suficiente para mostrar menos desconforto nessas situações. Minha avaliação é a de que Mano tira (bem) mais do que o elenco daria normalmente em jogos grandes, mas tira (as vezes bem) menos nos jogos fáceis.

    Voltando…ainda assim, erros de juíz a parte, o placar seria 3×1 (sem contar o lance do Jadon, que era gol, pois a bola cairia no pé do Elias com gol aberto). Nunca vi na minha vida juiz voltar atrás de penalty mercado só por mudança de opinião pura e simples (em oposição a alguem informar que tava impedido, por ex, que é diferente). O que aconteceu ontem é um absurdo digno de discussão na semana inteira…duvido que dará tanto pano para manga, afinal foi contra a gente. A arbitragem ontem foi daquelas estrondosas – 3 ou 4 erros em lances de gol não é para qualquer um.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: