Skip to content

Corinthians 1×0 SFC, implacável nos clássicos.

11/10/2014
  • SPFC 1×1 Corinthians
  • Corinthians 2×0 SEP
  • SFC 0x1 Corinthians
  • Corinthians 3×2 SPFC
  • SEP 1×1 Corinthians
  • Corinthians 1×0 SFC

São 4 vitórias e 2 empates, um retrospecto respeitável não se negue. Dos elencos, somos com certeza o 2º melhor, sendo que começamos o bra-14 eventualmente com 3º elenco.

Eu gostei do jogo, longe de chato, foi bastante movimentado e Fágner nos provocou um final tão emocionante quanto feliz!

Antes de discutir propriamente a partida, precisamos reconhecer que no bra-14 as equipes, convergiram para um mesmo padrão de jogo (exceção, talvez, ao Cruzeiro). Todo mundo agora joga no 4-4-2 (ou 4-1-4-1, para encaixar o volante de pegada), com o que Mano tenta montar nosso time desde o Paulistão. A ênfase é na roubada de bola ofensiva e no futebol de contra-ataque. No Sábado, o CAM, aquele “Barcelona de ontem“, achou um gol de bola parada, ficou lá atrás e pimba: contra-ataque e golaço. No Grêmio 4×1 Inter, o visitante ficou com a bola e tomou 4 contra-ataques (aliás, vejam o 1º lance do jogo, logo à saída de bola!). Vitória 1×2 SPFC foi isso e mais um pouco.

No livro de táticas, o 4-4-2 é de fácil assimilação, deixa uma linha de impedimento bem adiantada e o jogo ofensivo é construído a partir do meio, principalmente na roubada de bola e na transição ofensiva rápida.

E foi assim ontem: o primeiro gol, uma bela roubada de bola no ataque – coisa cada vez mais comum nesse time – e uma bela jogada de Renato para o Guerrero 1×0.

Mantivemos o plano e, bem postados defensivamente, saíamos rapidamente para o contra-ataque em roubadas de bola sempre bem adiantadas. Criamos chances claras de gol que já poderiam ter levado o jogo para 3×0 antes do intervalo, em boas atuações de Renato e Malcom. Não construímos a goleada naquilo em que mais se peca neste ano: na finalização. Se na gestão Tite nos acostumamos a pouquíssimas chances de gol aproveitadas por finalizadores supereficientes como Liédson ou mesmo Adriano (esse que em 5 minutos nos deu um título); a gestão Mano é marcada pelas chances desperdiçadas. E nesse ponto precisamos conversar sobre Malcom.

Invariavelmente venceu todas por baixo na disputa com seu lateral. Passava por volantes e zagueiros com dribles desconcertantes e muita velocidade. Suas arrancadas eram virtuosas, um show que nos acostumamos a ver nos outros times. Mas tudo se desfazia no momento do arremate, invariavelmente explosivo, estampando o cagaço no momento do gol. Lembro de um treinador de campo que falava: “se der chutão na cara do gol, EU TIRO NA HORA!”. Ele queria dizer: supere esse medo.

Vi alguns jogos do menino na base e garanto que o seu normal é essa velocidade toda mesmo, mas o arremate é mais à meia altura, colocado, depois de um corte para dentro. Não vi um gol assim, vi vários, aliás, como todos vimos o seu primeiro gol profissional.

Pois aí eu lembrei do Neymar e de toda a facilidade que ele teve em jogar num clube mais acostumado com garotos e sem tem torcida pressionando. Não digo que Malcom seja Neymar, mas lembro dos primeiros chutes dele visando a praça Charles Miller e de como, hoje, ele só bate colocado. Falta muito pouco para Malcom chegar lá e se não for em novembro ainda, é só deixá-lo titular no Paulistão que a coisa se resolve. (Óbvio que isso só dará certo se o técnico não for o Tite).

No 2º tempo a coisa não mudou, Renato perdeu ainda 2 gols, Malcom mais um incrível e Guerrero quase faz o gol mais belo de Itaquera. Adversário, agora com Damião na referência, conseguiu ao menos alguma objetividade na criação. Fágner, que surpreendentemente fez outra boa partida, quase estraga tudo numa falta idiota, mas descobriu-se depois que era apenas para a gente lembrar que com o Corinthians é TUDO MAIS SOFRIDO!

E não é?

O importante é que mais uma vez o Corinthians jogou bem e está classificado para a despertadores… Ao menos até 4ª.

Anúncios
24 Comentários leave one →
  1. 11/13/2014 17:35

    Maneiro, o Corinthians este ano está “me” dando PT.
    Para fechar o ato, não vai ter jogo em Goiânia (a 3 horas daqui de Brasília), o jogo vai para Belém.
    Será realmente sensacional 2015 também, ver Tite de novo, mas entenda que é ironia.

    Curtir

  2. Nicolau permalink
    11/13/2014 10:50

    Nos jogos em que vai bem, o time esta mostrando um futebol bacana num setor que eu sempre curto ver, que é o meio campo. Renato, Petros e outros ali têm feito tabelas, rodado bem a bola e criado chances de gol. Isso é algo que há tempos eu não via e me agrada. Se tivéssemos um atacante melhor, poderíamos estar acima na tabela.

    Eu sou ja contra trocar de técnico toda hora, mas a fritura que imprensa e diretoria estão fazendo com o Mano é vergonhosa demais. Seria importante passar a contar da diretoria que pare de jogar gasolina na fogueira que a imprensa sempre quer inventar no Corinthians. E que assuma suas responsabilidades.

    Alem disso, acho o trabalho dele bom, não ótimo, e o manteria tranquilamente mais um ano. Se isso é insustentável hj, culpo a diretoria. Outro técnico estaria fazendo mais com as peças que temos? Não sei, mas Aci que não vale o risco dele fazer menos. Ou teria achado atacantes melhores com pouco dinheiro? Acho difícil e poderia não ter trazido bons jogadores para o meio campo.

    Sobre contratações, não tinha dinheiro pra um atacante top, então arriscaram com garotos. Não deu tão certo, eles precisam amadurecer, mas podem render mais adiante. Não vejo necessidade de reformular de novo o elenco, pelo contrário. Tem um time jogando e ate que bem, precisa manter e reforçar. Investir em um atacante titular de movimentação (eu gostaria do Tardelli) e um centroavante reserva é o básico, pq o resto do time funciona. Precisamos ter alguma constância na coisa, se começarmos do zero todo ano, esquece.

    Curtir

  3. cesar cachaça permalink
    11/11/2014 10:09

    Quanto ao jogo, nada a acrescentar, a análise foi exata.

    Até o fim do ano, muito pode acontecer. Mas imaginemos que consigamos a Libertadores; e aí volta-se à eliminação no Paulista e, projentado o Brasileiro, pensássemos: o que vamos conseguir esse ano é vaga na liberta…não tá bom, dado o contexto? não ótimo, mas bom…além das críticas que são mera repetição das bobagens da marrão, acho que há um foco na árvore para esquecer da floresta. O time não se impõe contra times pequenos? é verdade, e esse é um problema do trabalho. Falta um padrão de jogo reconhecível por uma sequência maior de jogos? também é verdade. Agora o desempenho nos jogos grandes é impressionante, não me lembro de nada parecido nos últimos anos mesmo com elencos melhores. Se Cruzeiro e SP (e adiciono Inter) são elencos melhores e estão um pouco acima, o resto tá no mesmo bololô que nós; não dá para escolher o que criticar e aceitar as vitórias como merecimento divino. Os problemas são ressaltados como se Mano fosse o único técnico do Brasil a apresentá-los, e as conquistas são ou ignoradas ou completamente desvinculadas ao trabalho dele, a saber:

    • Gabiru dos Andes tornou-se o melhor atacante em atividade no Brasil. 60% disso é posicionamento e, portanto, dedo do técnico.
    • Malcom é o primeiro atacante que o Corinthians revela desde Dentinho.
    • Aquele outro tipo de revelação – jogadores de times pequenos que chegam, ganham espaço, e alcancam aquele nível de poder ser contratado por qquer time no Brasil – BH, Petros e Luciano.
    • o time de linha titular hoje tem 6 titulares que não o eram no fim de 2013; se isso não é reformulação, não sei o que é.

    Os problemas acumulados dos anos anteriores são difíceis até de identificar. Outro agora: renovação de Guerrero. Seu salário é inferior ao de Pato e Sheik; o time não renovou quando ele não estava tão bem (jogando como se fosse o Aloísio Chulapa), agora quer renovar e vai ser difícil, pq o cara roeu o osso vendo Pato ganhar 800 mil para jogar no SP e Sheik ganhar 500 para ficar coçando. E por aí vai…

    Curtir

    • Correa Leonardo permalink
      11/11/2014 21:37

      Desconfio que o Malcom seja o primeiro JOGADOR que o Corinthians revela desde Dentinho…

      Curtir

  4. Luís permalink
    11/11/2014 9:39

    “Esse que em 5 minutos nos deu o título” é forçar a barra de mais… o cara fez um gol importante sim, mas muuuuito distante de nos dar o título, muito pelo contrário, se tivesse se cuidado e rendido o esperado, poderia contribuir muito mais com o clube do que os raríssimos minutos que esteve em campo….isso sem levar em conta que ainda saiu do clube com duas milhas no borço… um dos muitos “piores negócios” que o Corinthians já fez na história…

    Curtir

  5. Cesar Augusto permalink
    11/10/2014 21:59

    Eu gostei do time. Teve o domínio técnico, tático e emocional. Foi uma goleada de 1×0. Incontestável.

    O que falta ao time, especialmente, nas partidas fora de casa é personalidade, caráter e, quase sempre, Guerrero.

    A fase de Guerrero é muita boa e tem tudo a ver com o posicionamento menos estático e com maior liberdade de movimentação. É mérito do Guerrero, que está mais magro, e de Mano, que não o trata como um mero pivô.

    O time é absolutamente dependente do peruano, o que demonstra a fragilidade do elenco. É o pior elenco do Corinthians desde 2007.

    Pode ser que classifique para a Libertadores ou não, mas o mais racional seria a manutenção do Mano. Seria o mais racional, mas eu trocaria o comando. Corinthians e razão são antônimos. Tite é um retrocesso. Luxa, como quer parte da oposição, um escárnio. Oswaldo, que trabalha bem a base seria o meu preferido. Mano seria o mais racional, mas a torcida, definitivamente, o odeia, mas nem sabe o motivo. A torcida, em relação a Mano, é pautada pela imprensa.

    O trabalho é nota 6, mas é um trabalho de reconstrução e com um elenco mais fraco.

    Em suma, por ser um trabalho de reconstrução, o time oscila demais e isso, ao final, custará caro, principalmente pelos pontos perdidos contra adversários inferiores.

    Curtir

    • 11/10/2014 22:13

      Concordo com quase tudo, menos com que a imprensa pauta a torcida. Não tem essa capacidade, para mim é o contrário. Sim, o torcedor é sim pouquíssimo racional e muito emocional (eu sou torcedor, eu sei), mas não engulo essa de que a imprensa influencia tanto assim. Em especial a imprensa esportiva que é limitadíssima e paupérrima (adora notícias bombástica plantadas, melhor ainda se for do Corinthians). Mas se o que vc quis dizer é que a imprensa sente o humor da torcida e amplifica e extrapola, aí então eu concordo. E, convenhamos, o Mano dos últimos dois anos um pouco mais arrogante e sarcástico do que seria razoável não ajuda em nada.

      Curtir

      • Cesar Augusto permalink
        11/10/2014 22:54

        A imprensa tem ojeriza do Mano Menezes e boa parte da torcida repete os mesmos argumentos. Nem todos os torcedores têm a sua capacidade de compreensão, Ricardo.

        Mano nunca gozou de prestígio enquanto esteve no Corinthians. No Grêmio, era melhor avaliado.

        Nesta passagem, em específico, há uma clara perseguição a Mano Menezes feita pela grande mídia e jornalistas mais graúdos que não perdem a oportunidade de criticá-lo até nos acertos. Exemplos: As eliminações do Paulista e da Copa ficaram 100% na conta do Mano. O mau futebol do time, e aí concordo, é culpa do Mano, mas a falta de um elenco mais forte não é culpa do Mano. O trabalho é mediano. Poderia ser melhor, mas acho que se tivéssemos outro técnico estaríamos em situação pior.

        Concordo que a ironia, o sarcasmo e a falta de simpatia do Mano nas entrevistas não ajuda em nada, mas isso é autodefesa, já que apanhou, muitas vezes de forma injusta, quando estava na Seleção e, agora, no Corinthians.

        E ele sabe que a imprensa o detesta e não tem isenção quando o crítica.

        Eu não lembro quem isso, talvez o Parreira:

        “No Brasil não há opinião, há caixa de ressonância”.

        No meu entendimento, é o caso do Mano Menezes. Como a maioria da imprensa o detesta, a torcida, sem se ater, às vezes, a realidade dos fatos acaba ficando com a versão da imprensa.

        Curtido por 1 pessoa

      • cesar cachaça permalink
        11/11/2014 9:53

        Concordo com o César, o que não implica que toda a crítica a Mano seja injusta ou mera ressonância da imprensa. As críticas que você (Ricardo) faz aqui ao Mano são sempre sensatas e, parece-me, fruto da sua própria interpretação do que acontece em campo, embora eu não concorde com boa parte delas. Mas em geral, pelo que escuto nas ruas e nas participações de ouvintes / expectadores em programas esportivos, a maioria é exatamente isso: mera ressonância das críticas que a imprensa faz. A ojeriza a Mano começou com sua ida para seleção, o que a opinião pública caracterizou como “corinthianização da seleção” (não preciso dizer pecado mortal). Quando Mano largou o Flamengo e deixou implícita a crítica ao futebol carioca, aí foi como bater na mãe. Aí é só treinar o Corinthians para completar o quadro do ódio.

        Curtido por 1 pessoa

  6. 11/10/2014 17:21

    Se é preciso falar mal do Tite para exaltar o trabalho do Mano, é por que o trabalho do Mano não foi bom. E não, não quero a volta do Tite (espero que os Chorolados o contratem). Tampouco a permanência do Mano, que sempre parece ressentido e claramente ainda não se encontrou após a seleção.

    Voltando ao jogo… bem razoável, o que não é pouco para nós (e para esse campeonato abaixo da média). Com os nossos pecados bem conhecidos. Incompetência na finalização, péssima saída de jogo (não aguento mais chutão a esmo, isso pode e deveria ser treinado, e claramente não é no nosso caso, apesar de ser uma opção muito usada), falta de capacidade em realizar o contra-ataque, péssima fase técnica do Elias (que deveria ser uma das referências), a marcação um tanto desorganizada no meio de campo… Assim como nossos méritos também bem conhecidos. A boa tentativa de pressionar o adversário no nosso campo de ataque (uma das maiores qualidades do time de 2012), a boa fase do Guerrero, a recuperação do Renato Augusto (que nem sempre joga bem, mas quando joga o Corinthians é outro time)… A surpresa para mim foi o bom jogo do Ralf, parece que a pausa fez bem a ele (e ainda não fez ao Jadson e ao Lodeiro). Achei uma tremenda sacanagem sacar o Bruno Henrique, que é um tanto afobado, mas me pareceu um dos poucos que se salvou nos péssimos jogos contra o Palmeiras e o Coritiba. A sorte do Mano é que o Elias tomou o terceiro amarelo ontem e quem deveria estar no banco ontem não jogará a próxima partida. Não sei se conseguiremos a necessária (do ponto de vista econômico) vaga na Libertadores, mas minha meta pessoal de pontos de chegar ao menos a 66 é atingível (ainda que um pouco difícil). Já com relação a ver o time jogando futebol a maior parte do tempo (não exijo sempre, tão somente a maior parte do tempo), vai ficar para 2015. E não me venham dizer que ninguém joga futebol nesse Brasileirão, eu quero que o “ninguém” se lixe, o que me importa é o Corinthians. Na minha opinião apesar do razoável número de pontos (tem gente que se satisfaz com isso), a falta do futebol bem jogado (que pode ser defensivo, ofensivo, tecnicamente fraco mas raçudo, etc, e é diferente de futebol esteticamente bonito) é o principal motivo para a falta de sintonia entre o time a a torcida mencionada pelo Daniel. Aos meus olhos nosso time não tem identidade alguma (aqui sim eu culpo a comissão técnica) e, por consequência, a torcida não consegue se identificar com ele.

    Curtido por 1 pessoa

    • bloguedotimao77 permalink*
      11/10/2014 19:37

      Mas não é questão de falar mal do Tite, apesar de que sempre entendi que o “fora mano” era só um “volta tite”.

      Com Tite o moleque ou vai desaparecer, como a maioria desapareceu, ou vai marcar o avanço do lateral, como o Romarinho.

      No mais, ainda acho que feito os descontos do ano (invasão, Pato, Cléber, Stjd etc), esse time é bem melhor que a encomenda.

      Veja que é um elenco bem inferior a 2013/2012/2011 e bate uns 70% de 2013, 50% de 2012 e por pouco não iguala em pontos o campeão de 2011, esse sim um time ruim de elenco bom.

      Curtir

      • Correa Leonardo permalink
        11/10/2014 20:27

        “Com Tite o moleque ou vai desaparecer, como a maioria desapareceu, ou vai marcar o avanço do lateral, como o Romarinho.”

        Bingo! Tomara que isso não aconteça, já que parece que o regresso é inevitável.Quem sabe o Tite não se reciclou mesmo, nesse período em que não estava dando entrevistas? Tomara que isso tenha acontecido…

        Curtir

        • bloguedotimao77 permalink*
          11/11/2014 17:52

          Se eu fosse o Malcolm, torcia por um nome apenas: Osvaldo Oliveira. No caso dois nomes

          Curtir

      • 11/10/2014 22:32

        O Malcom marcou várias vezes o avanço do lateral ontem. Pode checar. Assim como o Renato Augusto. O Ribery faz isso com muita competência no Bayern de Munique, e não vejo nenhum problema nisso. E acho relevante lembrar que o Malcom estava à disposição no mínimo desde o início do Brasileirão, mas só entrou quando não tinhamos nenhuma outra alternativa, ou seja, nada planejado (sorte do treinador?). E desconto eu só daria se o Mano não tivesse sido contratado pelo salário de treinador estrela, que ele não justificou. Concordo que o elenco é fraco, mas grande parte dessa fraqueza é no mínimo co-responsabilidade do atual treinador (Romero, Luciano, Jadson, Lodeiro, só para falar da nosso calcanhar de Aquiles, o ataque). Concordo com o Cesar que o mais racional provavelmente seria manter o Mano (com contrato renegociado assumindo riscos de produtividade), mas isso não me parece mais viável. Nesse momento eu tentaria um treinador jovem promissor e iniciaria algo inevitável, mais reformulação do elenco. O problema é que se formos para a Libertadores quem vai segurar a megalomania da direção do Corinthians.

        Curtir

        • cesar cachaça permalink
          11/11/2014 9:58

          Eu acho interessante quando as pessoas apontam responsabilidade do treinador nas contratações; ora, com qual orçamento? Que treinador, podendo, não escolheria contratar Ribery, Neymar, Suarez? O cara tem que indicar / aceitar recomendações dentro de um cenário. Nesse cenário, às vezes se acerta (BH, Petros, Luciano, que acho uma boa opção), as vezes nem tanto. Mas não dá para por na conta do cara só pq algumas opções já sabidamente arriscadas não vingam. Legal é receber num espaço de 3 meses Kardek, Kaká e Michel Bastos, aí o cara é gênio…ou Liedson, Alex e Sheik (até Adriano….). Agora quando o cara tem que dar conta com 3 ou 4 jogadores já tarimbados e preencher o time com um monte de gente buscando espaço, é mais difícil mesmo.

          Curtir

        • 11/11/2014 14:46

          Concordo, tanto que escrevi co-responsabilidade do Mano. Quando assinou o contrato com o Corinthians seguramente fez exigências mínimas de trabalho, além do excelente salário, ou seja, tinha todas a condições de saber onde estava embarcando. Por isso não aceito essa história de que as nossas dificuldade são muito grandes. Quer “moleza” aceite um salário bem mais baixo e vai treinar o Bahia, Figueirense, Chapecoense… A vida é dura para todos no futebol brasileiro, muito mais dura para a quase maioria e, reconheço, comparado a alguns até que não estamos tão mal assim (Inter, Fluminense e SP certamente investiram mais do que nós). Mas ninguém me convence que todos os envolvidos não sabiam das possíveis limitações (estádio em construção, burradas em contratações milionárias, etc.). Como já disse, no final de contas se olhar só para a classificação não posso reclamar muito já que estamos próximos de uma pontuação bem razoável (para mim pelo menos 66 pontos). Só que minha principal diversão é ir ao estádio, mas o futebol que vejo nosso time jogar (com o chutão do Cássio a esmo como paradigma, notem como quase nunca ganhamos a segunda bola) me deixa muito desanimado.

          Curtir

        • bloguedotimao77 permalink*
          11/11/2014 18:00

          Muito diferente o que o Malcolm ou o Ribery fazem do que o que Romarinho fazia. Não tem comparação.
          Tite seria ótimo na mesma condição em que apareceu depois do Adilson: um time peneira tomando gol de todo lado, super desorganizado.

          Nosso caso atual não é esse. Falta qualidade no miolo de zaga e reservas. Tirando isso, falhamos mais nas conclusões do que qualquer coisa.

          Você sabe bem que Tite foi uma tragédia para a base, enquanto Mano usou até demais nas duas passagens.

          Não dá mais para fazer análise sem comparar pois é essa a discussão hoje: se é Tite ou outro.

          E continuo afirmando que esse time, com elenco bem inferior, é melhor que o campeão brasileiro de 2011.

          Curtir

  7. Daniel permalink
    11/10/2014 16:08

    Ontem fui ao jogo. Não conhecia a arena, pois não vou ao estádio desde antes da copa do mundo.
    1 – RA, Malcom e Petros jogaram sempre muito abertos (Guerrero tb, mas às vezes ele centralizava um pouco). Minha impressão, principalmente no primeiro tempo, foi de que o Santos ganhou o meio de campo porque nosso time joga muito espaçado. Não sei se isso é em razão da fragilidade de nossos laterais… o Santos no primeiro tempo tinha mais posse (concordo que isso não significa muito), ganhava a segunda bola e nós não conseguíamos criar. Se a proposta era contra-atacar, não funcionou muito, na minha opinião, porque estavam todos distantes um do outro, o que dificulta o passe. A impressão que tive era que quem recebia a bola tinha sempre apenas uma opção de passe; a outra opção de jogada, era individual. No segundo tempo isso melhorou, mas porque avançamos as linhas, o Renato Augusto, o Malcom e o Petros começaram a se movimentar mais.
    2 – Quem poderia ajudar em uma proposta de contra-ataque seria o Elias, mas ele realmente está muito mal. Se arrasta em campo. Eu não sei se é ordem do Mano, se o problema é físico e o porque disso, mas me pareceu que o Elias passou a maior parte do tempo muito recuado, inclusive atrás da linha do Ralf.
    3 – O Guerrero ganhou todos os lances. Jogou demais. o que mais impressiona é a noção que ele tem da melhor jogada a se fazer.
    4 – Malcom: é ligeiro, driblador, mas ainda é muito novo e por isso um pouco afobado. Concordo que temos que apostar nele.
    5 – Sobre o estádio: tem sim potencial para se tornar um caldeirão… Ainda não é porque falta uma sintonia entre a torcida e este time..,
    Abs!

    Curtido por 2 pessoas

    • bloguedotimao77 permalink*
      11/10/2014 19:31

      1- Acho que no 1º tempo o Corinthians fez o gol muito cedo e esse “afastamento” é decorrente do posicionamento defensivo.

      Quando saia para o contra-ataque, saia bem. Falhava na finalização.

      2- Ele já vinha jogando bem recuado no próprio Flamengo. Até perguntei aqui se o pessoal também achava isso e a maioria concordou que ele mudou o jeito de jogar.

      3- É a melhor temporada dele

      Curtir

  8. Cesar permalink
    11/10/2014 10:43
    1. Belo retrospecto nos clássicos. Sem dúvida! O time se impôs em todos os jogos em casa.
    2. Se não fossemos tão prejudicados durante o ano, mesmo com as vaciladas, certamente estaríamos brigando pelo título.
    3. Sem dúvida a manutenção do Mano para 2015 seria o ideal, com mais duas ou três peças montaríamos um belo time. Teríamos a sequencia em relação ao plano tático, o desenvolvimento de vários jogadores. Com a Titetabilidade voltaremos a estaca zero e possivelmente com novo contrato para o Emerson e a volta de Romarinho. Não dá!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: