Skip to content

Acorda, começou a Copinha! Começou o nosso 2015.

01/05/2015

Good morning Campers!

A Copinha começou como meio que já nos acostumamos de uns tempos para cá. Tem lá um cara ou outro bom, mas nenhum que empolgue como empolgou (ao menos para mim) nosso Casão ou, num nível mais baixo, Edu Gaspar, Silvinho, Viola etc.

Gosto da ideia de uma 1ª fase superinflada, mas noto que a diferença de preparação física é surpreendentemente exagerada na sub-20 atual. Corinthians e outras equipes de investimento alto ganham seus jogos iniciais apenas na base da maior força muscular, resistência e, claro, no que resume isso tudo, a estamina. Ontem foi assim: pareciam homens já formados enfrentando uma equipe de adolescentes. E tem sido assim repetidamente nessas 1ªs fases.

A gente vê o Corinthians do Omar Loss como um time muito organizado taticamente – coisa rara no futebol de base. O problema é que ele tratou a questão bem ao modo Titeano, conscientizando a equipe da necessidade de proteção à defesa. Nisso somos ótimos. Já no aproveitamento do talento ofensivo, coisa que é até praxe dos treinadores das equipes de base, somos um tanto quanto medíocres.

Desse preambulo eu retomo uma discussão que sempre surge em janeiro: o objetivo da base é revelar ou ganhar campeonatos?

Mourinho dá uma primeira pista: o modelo de jogo seguido na equipe de cima deve ser replicado em todas as equipes de base. E, de fato, lembremos que o – agora podemos chama-lo assim – tedioso tiki taka barcelonesco é treinado na base desde o fraldinha.

Falar sobre isso no Brasil, onde o objetivo não é ganhar títulos, mas vender jogador, é bizarro. Se queremos vendê-los ou “revelá-los”, aceite que a Copinha não serve para nada. Nunca me iludi com a propaganda enganosa do “Falcão foi revelado na Copinha”. Falcão formou-se e revelou-se longe da Copinha.

No sentido oposto, ao priorizar as conquistas, o que significa, sejamos práticos, o cuidado na formação tática das equipes, acho que não se prejudica a “revelação”, pelo contrário, o talento já sai da base pronto para jogar no sistema do time de cima.

E ontem eu peguei um bom exemplo disso.

Melhores do que a rapa no sub-20, vejo o Matheus e o goleiro. Sobre o Matheus (que o Cesar Augusto já deu a belíssima notícia de que está vendido) note como ele joga isolado pracacete e isso pode até ser ruim dentro da escola revelacionista. Mas se você lembrar que o time de cima vai fazer isso mesmo com seus atacantes em 2015, é excelente que o moleque esteja já se acostumando ao isolamento e marcação do gândula! Matheus é a exemplificação de que Mourinho está certo: forma-se o jogador não só na técnica-física, mas também na escola tática da equipe principal.

O goleiro talvez se prejudique por não ter tantas chances de mostrar serviço.

Existe um 3º jogador ali, o Arana, que tem um Edge sobre os demais notável, mas parece que é por treinar com o time de cima (sob esse aspecto, vai mal nosso Tocantins).

É bacana recomeçar o boteco por esse debate da revelação vs. conquista. É um modo da gente esquecer que nosso planejamento para 2015 não prevê a contratação de zagueiros (e nem sabemos se Gil sobrevive a janelinha europeia…)

Welcome back, Titenaccio!

RÁ >>> Em tempo: naquela competência toda da Diretoria de Futebol, acabo de descobrir que perdemos até o Anderson Martins….

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: