Skip to content

Corinthians 2×0 Ponte Preta, baila comigo!

07/03/2015

Foi um 1º tempo de combate intenso no meio de campo. Pela TV imagino que não seja um jogo tão bacana quanto no campo, em que toda bola, todo centímetro do gramado é disputado com aguerrimento muito acima do normal. São meus jogos preferidos, mesmo que não seja exatamente um jogo de grandes jogadas de penetração na área.

Em cerca de 25 minutos, adversário começou a vencer a disputa no meio — aparentemente por melhor estado atlético – e nos empurrou para o jogo de contra-ataque. Não há exatamente demérito em jogar no contra-ataque, só é estranho que o Corinthians não consiga se impor dentro de casa contra uma equipe tecnicamente inferior. É estranho também pela questão física (Elias parecia em início de temporada), que aparentemente pegou como vem pegando há anos, tirando alguns lapsos de tempo. Por último, o isolamento do nosso camisa 10 na extrema-direita era bastante questionável, num jogo tão pegado no meio.

Quando o jogo de contra-ataque já estava consolidado e a Ponte dominava, veio o Jádson 1×0, para confirmar qual a equipe tinha elenco e títulos.

O problema foi o que aconteceu no 2º tempo… UM BAILE!

A nossa atuação foi vexatória. Ponte Preta só não fez o gol, virou e abriu 1×3 por conta dos erros técnicos de finalização. Um Borges da vida ali e não haveria sorte no Mundo para nos livrar da derrota.

Ponte estava muito bem montada no 4-2-3-1, dominou todo o campo, todo o tempo, construiu jogadas pelas laterais, pelos meios e evitou o jogo aéreo. Perdeu ao menos 2 gols fáceis e Cássio+Gil livraram 2 também.

Se Ponte merece aplausos pelo jogo todo, Corinthians merece vaia pela piada que fez seus torcedores presenciarem no 2º tempo! Tivemos de apelar para o anti-jogo, para a cera, coisa que eu abomino.

Tite, que não é bom nas substituições (é a 253ª vez que escrevo isso), ainda começou com uma mega-giga-substituição aleatória: Mendoza. Nem vou discutir a saída de Malcom, para mim dos melhores em campo, mas a bizarrice da substituição. O que ele quis fazer? Velocidade? Mas aí o Malcom fica. Marcação? Aí ele tem Danilo, Ralf, Marciel… Enfim, Mendoza veio a campo e ele consegui um feito histórico: apresentou uma medonhice técnica tal, que ultrapassou o limite do que eu imaginava ser a ruindade dele.

Já nos acréscimos dos acréscimos, Love roubou uma bola (a 2ª que ele roubou muito bem) e encaixotou os “sem-títulos”: 2×0.

Tite apontou evolução da equipe e eu rebateria que só no 1º tempo. Depois discorreu sobre a seleção brasileira. Sim, depois do que apresentou no 2º tempo, tem gente que ainda imagina que Tite é uma opção.

Do outro lado, é a 2ª vez que esse técnico da Ponte chega com um time incrivelmente bem treinado. Por falta de tempo, pago o PPV, mas só vejo mesmo o Timão. Agora vou marcar na agenda para assistir alguma coisa da Ponte e descobrir até que Ponto a Ponte (hehe!) é bem montada mesmo.

 

O 5º árbitro

É o 2º jogo seguido em Itaquera que o representante da CBF vai até o 4º árbitro durante o jogo e passa instruções que, pelo semblante e gestual do ouvinte, deve ser coisa séria. Isso é alguma regra nova?

Projeto

O placar deu 26.000 presentes. Eu imagino que não existe nenhuma razão lógica para que a Arena mentisse sobre isso, mas que esse número é estranho, ô se é!

Voltando para casa, ocorreu-me uma ideia: fotografar todos os jogos uma mesma região do estádio, num mesmo horário (15 min do PT) e associar a imagem ao número de presentes fornecido.

 


Em tempo:
Copo cheio: para quem não sabe, campeão brasileiro (tirando 2009) precisa de 73 pts ou 64% de aproveitamento. Faltam só 54 pts.

Anúncios
21 Comentários leave one →
  1. Cesar Cachaça permalink
    07/04/2015 15:04

    Eu acho que entendo a confusão sobre o tamanho da superioridade corinthiana no primeiro tempo. Primeiro pq é diferente ver o jogo no campo mesmo, e aí o Alvaro leva essa vantagem. Segundo, que pela minha tv, o que aconteceu foi o seguinte: fizemos bons primeiros 10 minutos, e depois parou. A Ponte rapidamente aprendeu como empurrar o Malcolm mais para trás, de modo que ele, que era a principal arma corinthiana, ficou travada. Dos 10 aos 30 a Ponte de fato dominava os espaços no meio e nosso jogo ficou modorrento. Mas duns 30 aos 45, inclusive saindo o gol, o Corinthians voltou a criar boas jogadas, mas como o Alvaro disse, mais no contrataque do que propondo o jogo, com saídas rápidas pelo meio com RA e Elias. De fato fiquei preocupado, mesmo com a superioridade no primeiro tempo, porque o time deveria saber se impor melhor contra times como Figueirense e Ponte em casa. Os problemas para isso acho que são o mesmos de sempre: linhas espaçadas, pouca movimentação entre os jogadores do meio, pouca compactação ofensiva (percebam que na saída de bola zagueiros e laterais às vezes estão poucos m a frente da nossa área, trocando bola sem se movimentar, coisa que víamos lá pelo começo dos anos 90…). Segundo tempo é isso: foi um recuo desde os 7 min do segundo tempo, um absurdo que não pode ser explicado apenas por capacidade física. Tite não pensou nenhuma alternativa tática para explorar o avanço da Ponte e a superioridade tática deles – as mudanças que tentou foram no mínimo questionáveis. Como de costume, vejamos como o bonde anda…de qquer jeito, a situação ainda é melhor do que eu esperava.

    obs: Malcolm pediu para sair.

    Curtir

  2. 07/03/2015 17:56

    1- Na minha tv vi um primeiro tempo de regular para bom,o quarteto R.A,Elias,Malcom e Jadson é muito técnico,repertório variado de dribles e passes sempre sairá algum bom dai.Vagner Hate quando não está igual uma estaca de costas para o gol é só love.É muito útil inteligente na movimentação e os gols lhe trarão a tão importante confiança.

    2- O recuo: olha até entendo que em uma partida disputada e foi o caso de ontem o time vencendo por placar mínimo se retrair nos minutos finais de qualquer partida.Mas isso ocorrer aos 20 e poucos minutos do segundo tempo não dá
    né ? O time praticamente se livrou da bola e assistiu a ponte jogar não fossem Cássio,Gil e o morrinho zagueiro poderia ter posto tudo a perder.Gigante que é,e muito mais time tecnicamente tem que se impor na Arena.

    3- O 4-1-4-1 não sei sua percepção Álvaro no campo e dos demais colegas,mas achei as linha muito distantes,por vezes se formavam um bloco com BH e os demais defensores separados por um mar de pontepretanos da linha mais ofensiva.E estes por vês tinham que recuar muito e prejudica demais a transição do time.Ou se adianta mais a linha de defesa para se pressionar o adversário mais a frente ou altera o sistema e parte para um 4-4-2 variando talvez para 4-3-3,alias me agradaria mais ver o Malcom como atacante do que um winger.

    4- Mendoza: Um lance que o exemplifica muito bem é quando rouba a bola e parte correndo como se não houvesse amanhã e estivesse prestes a bater o recorde mundial dos 100 metros rasos,bastasse levantar um pouco a cabeça e veria Jadson (se não me falha memória) sozinho era tocar e ir para a galera.Sabe-se lá o que passou na cabeça dele se é que passa alguma coisa tentou atravessar o zagueiro da ponte ao meio.Não tem a menor condição.

    Curtido por 2 pessoas

    • bloguedotimao77 permalink*
      07/03/2015 17:59

      Kkkk Vagner Hate!!! Pqp!!! Kkkk!

      3- você pescou algo que reforça minha, por hora, tese do cansaço

      Curtido por 1 pessoa

    • 07/03/2015 18:33

      1- Eu não gosto do Love, acho desperdício gastar 500 mil mensais com o cara, mas convenhamos, ele fica isolado no ataque… tanto que no primeiro tempo ele participou muito mais do jogo e no segundo desapareceu…

      3- Eu não entendo de tática, mas pra mim o problema é a movimentação dos jogadores quando estamos com a bola, principalmente na defesa… falta movimentação… ficam todos parados e e os laterais geralmente marcados… e o zagueiro é obrigado a dar chutão… falta um ou dois meias, além do volante, buscarem a bola dos zagueiros…

      4- Ele fez o que tem de melhor… correr… ele é o típico jogador que corre olhando pra bola e não tem boa visão periférica… não serve pro Corinthians… com ele em campo ficamos piores…

      Curtido por 1 pessoa

      • 07/03/2015 18:59

        1- Ai é outra questão 500 k ,creio que nem para o Guerrero.O cara tem que fazer um diferença absurda para receber isso….. agora nossa diretoria paga 400 para um volante que só vive machucado vai entender.

        4- Mendoza foi avaliado durante 6 meses pelo Edu Stats,a tese do Álvaro vai se confirmando não pode ter jogador ruim que o técnico (seja qual for) escala.Ele e Edilson são atrações a parte quando estão em campo

        Curtir

        • Ph1910 permalink
          07/03/2015 20:14

          Essa questão dos salários no Corinthians é muito preocupante.
          Não quero ser leviano, mas é difícil não acreditar em gordos repasses de salário depois que vemos Pato com 800k, Sheik de 35 anos com 520k, Cristian com 500k e Love com 500k.
          Isso tudo pq temos a base mais vitoriosa do Brasil.
          Sem contar o repasse dos jogadores da base para os amigos do Rei!
          Essa Renovação e Transparência é um verdadeiro câncer no nosso Timão. 😦

          Curtido por 1 pessoa

  3. 07/03/2015 16:56

    Gostei muito do primeiro tempo. Enxerguei também a mudança de tipo de jogo a partir de mais ou menos 25 minutos, também não entendi o jogo ruim do Elias, mas em nenhum momento vi o Corinthians perdendo o meio de campo. Para mim o controle do jogo foi todo do Corinthians nos primeiros 45 minutos. Queria ver uma estatística de chute a gol. Não me surpreenderia se fosse uns 10 a 3 para o Corinthians. Continuamos com a finalização ruim, mas as chances aparecerem em muito maior número para o Corinthians. Muito bom para mim o primeiro tempo.

    Já o segundo tempo foi um horror, mesmo antes das substituições que pouco influenciaram. Fica muito difícil entender tamanha mudança e não consigo creditar isso a uma Ponte Preta bem organizada. Foi o Corinthians que se impôs no primeiro tempo, encurralando a PP 25 minutos e atraindo dos 25 até os 45, mas sempre controlando as ações. E foi o Corinthians que se acanhou no segundo tempo, abdicando do jogo e entregando a bola para a PP que se viu convidada a comandar o jogo e aí a nossa conhecida incapacidade de contra-atacar (isso vem desde de 2014) prevaleceu.

    Mesmo time, bom primeiro tempo, segundo tempo horrível. 45 minutos de otimismo e 45 minutos de apreensão. Não entendi.

    Curtido por 2 pessoas

    • bloguedotimao77 permalink*
      07/03/2015 17:24

      Li o outro antes e esse aqui é o que eu escrevi! 🙂

      Só que essa questão da finalização ruim já vem desde o ano passado!

      Mas se pegar com atenção, tivemos o R9, o Liedson e depois… Nada! (Não imagino que alguém possa colocar Guerrero como bom finalizador)

      Curtido por 1 pessoa

    • 07/03/2015 18:23

      Concordo… depois do gol do Jadson… o Corinthians recuou… e o Corinthians não jogou mais bola… a Ponte passou a marcar a pressão, mas não por méritos dela e sim por desmérito do Corinthians…

      Curtir

  4. Múcio Rodolfo permalink
    07/03/2015 16:29

    1- O foda é que o Mendoza entrou mal na partida.. .Errando quase todas as jogadas da qual participou, matando alguns contra-ataques da equipe e, assim, permitindo que a Ponte ficasse por mais tempo no seu campo de ataque. Na única jogada certa que ele fez, e que quase foi estragada por um erro de passe do Jadson, resultou no gol do Wagner Love devido ao providencial vacilo do bom jogador da Ponte.
    2- Estava vendo pela internet…… Como já foi dito aí o primeiro tempo teve domínio do Corinthians e o segundo da Macaca. Ora se a Ponte contasse com um Borges da vida poderia virar para 3×1, o Corinthians se contasse com um Liedson da vida poderia descer para o vestiário com um 3×0 também.
    3- O carinha do placar eletrônico ataca de novo #desde77! Não sei se a Ponte é tão bem armada assim… Acho que é. Já mostrou isto no campeonato paulista engrossando as coisas pro Corinthians quando este ai vivia um momento melhor – “candidato” a disputar a champions league, sensação do futebol brasileiro”
    4- Faltou a quantidade de pontos que faltam para a conquista do nosso sexto título de campeão brasileiro.

    Curtir

    • bloguedotimao77 permalink*
      07/03/2015 16:42

      2 – Rá! Mas temos o Vagner500 e só fizemos 1×0…

      3- Tenho visto poucos jogos. Vi o SFC sempre mal, SEP oscilando bagarai, Sport bem (e comentei há mês).

      Quero ver se pego uns jogos da ponte no PPV

      4- Ops!

      Curtir

    • 07/03/2015 18:26

      1- Ele é ridiculamente ruim… melhor seria ter colocado o Danilo que pelo menos segura bem a bola… ainda não entendo por que o Mendoza joga… seguramente tem o dedo da diretoria… talvez um ex-jogador Edu… mas vai saber… ou o Tite é bem fraco mesmo…

      Curtir

  5. Nicolau permalink
    07/03/2015 15:59

    Eu não consegui ver o jogo, mas os relatos que ouvi por aí mais a impressão pelos melhores momentos coincidem com o do Alessandro: o primeiro tempo foi bem superior do Corinthians. Acho que vi no twitter um número de finalizações (lembro de 14 a 3, mas parece estranho) que também mostra um desempenho bem melhor no primeiro tempo.

    Agora, essa troca de Malcolm por Mendoza não fez nenhum sentido. Se o time estava perdendo o meio, e o pedaço que vi do segundo tempo no VT indica que sim, o certo era povoar mais por ali. Podia trocar Elias ou BH (ainda está em “estágio probatório” no meu time titular) por Ralph pra dar pegada, ou mesmo o Malcolm pelo Danilo, pra tentar segurar mais a bola. Mendoza não tinha a menor lógica. A menos que fosse velocidade no contra-ataque, mas aí era melhor tirar o Love – e seria um erro, porque sem sair do caixote no meio campo não teria contragolpe nenhum…

    No mais, importante que Love esteja fazendo gols. Alguém desse ataque precisa cumprir esse papel, hehe. Jadson também merece elogios, mas como é meia não dá pra contar com essa média por muito tempo. E importante também continuar pontuando!

    Curtido por 1 pessoa

    • bloguedotimao77 permalink*
      07/03/2015 16:02

      Pelo Footstats foram 9 finalizações certas e 8 erradas no total. Mas no segundo tempo, foram pouquíssimas.

      O time foi bem no PT. Depois flertou com a derrota.

      Curtir

      • Nicolau permalink
        07/03/2015 16:48

        Então, mas é isso, o questionamento é só sobre o primeiro tempo, que seu texto retratou de forma pouco generosa, hehe.

        Fui lá olhar o Footstats e dá 5 certas e 6 erradas pro Corinthains no primeiro tempo, contra 2 erradas da Ponte. No segundo, a coisa inverte total, de fato flertando com a derrota: 5 certas e 4 erradas para a Ponte, contra 3 certas e 2 erradas nossas.

        Mas números a parte, fico aqui com essa questão do físico na cabeça… Como pode oscilar tanto a preparação? Será que tem isso é físico mesmo ou ver com a questão de grana (e outras extra-campo), como levantado pelo Cachaça em outro post?

        Curtido por 1 pessoa

        • bloguedotimao77 permalink*
          07/03/2015 16:57

          Palpite 1: a olho nú, Elias não tinha condições de jogo

          Palpite 2: ou o Corinthians sabe mais que os outros ou o Corinthians sabe muito menos que os outros. E não é Tite ou Mano!

          Corinthians, na preparação física está sempre de pé trocado em relação ao resto.
          Sendo bem sincero: a última vez que vi o Corinthians voando fisicamente foi na época que o MELLO ERA O PREPARADOR!!

          Curtido por 1 pessoa

        • 07/03/2015 17:08

          Esses números confirmam que tivemos um PT muito bom com 11 finalizações contra 2 erradas da PP. Por isso eu não consigo concordar com essa história de que a PP “venceu a batalha do meio de campo a partir dos 25 min”. Se venceu, não soube o que fazer com isso. Um pouquinho mais de qualidade na finalização e o jogo virava tranquilamente 2 x 0. Talvez até 3 x 0. Já o segundo tempo foi um horror mesmo, difícil de entender que se tratavam do mesmo time e jogadores. E a PP teve sim chances e, assim como nós no PT, não as converteu em gols. Em resumo, PT animador, ST preocupante.

          Curtido por 1 pessoa

        • bloguedotimao77 permalink*
          07/03/2015 17:22

          Vocês deveriam rever o jogo e notar que, a partir de determinado momento, Corinthians perde o meio e apavora no contra ataque.

          Não significa, e não escrevi isso, que a Ponte vem para cima. Significa que o Corinthians fica na espera e, como escrevi, pareceu coisa de falta de estamina

          Curtir

  6. Alessandro Alves permalink
    07/03/2015 14:40

    poxa Alvaro, primeiro tempo ponte nao dominou hora nenhuma poderiamos ter feito uns 3 ou 4 neles no primeiro tempo, do jeito que vc falou parece que não tivemos nenhuma chance de gol a não ser o gol do jadson.

    Curtir

    • bloguedotimao77 permalink*
      07/03/2015 16:04

      Não mesmo. Aos 25 min o Corinthians já era só contra ataque.

      Antes do gol teve um muito bom.

      Esses 25, vá lá, 35 min, foram bons sim. O problema é o que veio depois (e, indiretamente estou culpando o estado físico do Elias pelo que ocorreu)

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: