Skip to content

Internacional 2×1 Corinthians, não vejo ninguém na minha frente!

09/17/2015

Tivemos ontem uma peleja muito parecida com aquele 3×3 do Allianz Pig, principalmente pela correria e desencontro com a rigidez tática, outrora característica do Corinthians neste ano e algo eterno quando se fala de equipes gaúchas – o que explica parte desse flood de técnicos gaúchos pelo país.

O começo já foi uma desgraça: a saída por contusão do Uendel não provocou a entrada de um jogador melhor (como no domingão), mas provocou a entrada de um ser humano como nós. Um cara comum, que deveria estar trabalhando num emprego comum, 40 h para mais de trabalho, salário, chefe, bandejão. Sabe-se lá como, ele conseguiu aquilo que todos sonhamos uma vez na vida: vestir a camisa do Corinthians num jogo profissional. O problema é que ele é comum como eu e você, não tem a estrela de um jogador de futebol.

Vocês, com razão, culpam o técnico por não preparar alternativas. Mas quem assinou a contratação dessa preciosidade?

Voltando ao jogo, a sutileza da partida não foi exatamente o desempenho do lateral. Foi mesmo que, desta vez, as poucas oportunidades reais que o adversário teve converteram-se em gol. Nos acostumamos à pressão adversária, mas também às defesas de Cássio e aos chutes para fora. Ontem, a bola resolveu entrar.

Nossa eterna sorte, aquela que faz um chute bater na cabeça do Felipe voltar, achar a cabeça do Vagner e entrar no gol, estava lá também. Malcom achou o 1×0 (mesmo que lance de rabo explícito, o garoto é um finalizador contumaz). Aliás, Malcom, isolado e precipitado, foi nossa única opção ofensiva séria no jogo.

O empate veio mais na sorte do adversário do que no erro defensivo (Felipe foi mal no lance) e a virada, putz. PUTZ GRILLA! Teve falha do Felipe de novo?

Tite mexeu, como é do seu feitio, mal pracacete.

Foi também dos Internacionais mais desorganizados que já vi na vida, abusando da correria e das pancadas do Alex de longa distância. Foi jogo de emoção? Sim! Foi jogo técnico-tático? Hummmmm…. Não, não, bem sofrível. Nessa linha, uma constatação: se pudéssemos voltar no tempo, fatalmente ninguém aqui levaria o Renato para o jogo. Ficou claro que sua condição física já está absolutamente deteriorada.

O sistema 4-1-4-1, parece que flerta com a velhice antecipada e pintam equipes jogando bem mais do que a gente, mesmo que com elencos bem inferiores. Está na hora de mudar? Absolutamente! Faltam apenas 6 vitórias (+ 1 empate) e muitos times ruins querendo nos entregar 3 pontos.

Copo cheio: campeão brasileiro de pontos corridos (tirando 2009) precisa de 73 pontos ou 64% de aproveitamento. Faltam só 19 pontos.

Sarrafo: 64%      Corinthians atual: 69%    Atlético: 63% Grêmio 62%

Anúncios
7 Comentários leave one →
  1. cesar cachaça permalink
    09/18/2015 15:33

    Sobre o resultado: perdeu quando podia perder, e perder do Cholorado lá é sempre um resultado que tá na conta. Tite queimou um pouco do crédito que acumulou nesse campeonato. O que chateia são as circunstâncias; só vi o segundo tempo, e vi um time soberbamente satisfeito com um empate contra um time inferior tecnicamente (contando os que estavam em campo), desorganizado e meio desmilinguido, vendo esse adversário aos poucos tomar para si o controle do jogo e não fazer nada a respeito. Tivesse perdido tendo tido um pouco mais de vontade de ganhar…Pior do que isso, são os erros que já foram cometidos tantas vezes ao longo dos últimos anos que doem mais quando são cometidos novamente. Primeiro: esse tipo de jogo exige erro perto de zero, e não dá para confiar em erro perto de zero quando se tem Felipe e, principalmente, Edilson em campo. Segundo e um capítulo à parte: Edílson. Engraçado essa analogia de que “Edilson é um de nós”; assistindo o jogo eu pensava num jogo de adultos com uma criança jogando junto, sabe quando todo mundo pega mais leve quando a bola tá com a criança, dá mais espaço, deixa correr um pouco e tal? só que ali é profissional e quando a criança tá com a bola ou marcando os caras jogam sério. Foi exatamente isso que pensei! Antes do gol ele já tinha disputado uma bola no ar com o Valdívia que pqp, quase sai o gol dum lance que qquer cabeça de bagre da base sabe como se portar ali. No lance do gol, tem uma imagem da câmera do meio de campo que mostra o Renato Augusto abrindo os braços depois do drible como quem pensa “what the fck???”…sensacional (rir para não chorar).
    O que continua a me espantar é a insistibilidade do Tite com caras desse tipo. Ok, convenhamos que o erro maior é de quem contratou; mas pqp, o Edilson fez 7 ou 8 jogos esse ano, acho que teve 1 que não foi horrendo só. NO último mês ele fez 3 jogos; tomou um vareio histórico contra o Santos, entregou um gol contra o Grêmio e fez as presepadas de ontem. Em 9 meses de trabalho, treino + jogos, não deu para perceber que o cara não serve para futebol profissional? P
    , e nem dá para dizer que ontem era a única opção, dava para deixar o Yago ali como terceiro zagueiro quase, dava para improvisar o Marciel, vc improvisar um cara que já é ruim de doer na própria posição é dificílimo de entender.

    Bom, o que importa é que…não vejo ninguém na minha frente! eheeh

    Curtido por 1 pessoa

  2. 09/17/2015 18:55

    1- Aproveitando o clima oitentista dos post anteriores queria dedicar essa canção ao nossa intrépido lateral,embora esses rapazes de Ohio sejam anteriores ao próprio punk, mas enfim https://www.youtube.com/watch?v=KY3mBkRenAM

    2- A única coisa boa é sobre a “mágica” atuação é que finalmente Edílson is dead.Bom assim espero,ou Adenorius ainda assim terá culhões para utiliza-lo?

    3- A derrota estava dentro daquele planejamento que todo time faz ao esmiuçar tabela antes do inicio do campeonato.Muito embora esta partida tenha se desenhado para uma vitória nossa quando Malcom abriu placar.depois do empate do Chorolados virou uma quizumba difícil de prever e caiu no colo deles.
    Domingo teremos um time que pelas características tem bailado sobre nós,um empate ou derrota também seria normal,a partir dai teremos 3 babas em sequência então é vencer ou vencer todas.

    4-Esse sistema só irá mudar se treinador do ano que vem for outro ,se for campeão então esqueça.
    Alguns ajustes podem ser feitos,o mais óbvio já citado pelo Marcus seria Marciel como “1”,já quebraria um galhão para o Renato.
    Renato alias que foi convocado POR ME-RE-CI-MEN-TO tem jogado e se esforçado demais,talvez seja o que mais mereça esse título.Porém mesquinhamente vendo nosso lado foi em péssima hora,mesmo que o campeonato seja paralisado ainda sim terá um desgaste físico se jogar claro e aquela desviada natural de foco.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Morgana permalink
    09/17/2015 17:38

    E eu pensei que a culpa fosse sempre do juvenil.
    Jurava que os gols tinham nascido em falhas do Guilherme Arana.

    Curtido por 2 pessoas

  4. 09/17/2015 16:23

    Demorou 25 rodadas, mas acho que posso fazer uma análise tática, acho que agora consigo entender alguma coisa…
    Estamos jogando com 10, o Love rebatedor e o Love finalizador não existem, só o Love corredor, com e sem a bola. Contra o Inter fechado ele teve uma chance e relou, caiu.
    Toda a jogada da meia resulta no seguinte: Renato recuado para suprir a falta de habilidade de Ralf, Jadson saindo mais em pêndulo, Elias recuado para acompanhar Renato. Com isso é necessário alguém da frente que volte para tocar em aproximação com a linha da meia (ele se foi, jogar deslocado no Flamengo), já que tal linha joga consideravelmente mais recuada.
    O Inter foi superior enquanto manteve predomínio no meio campo, na base da pressão adiantada, até que Malcom achou um gol e os obrigou a colocarem mais um atacante.
    Se isso pudesse ser visto pelo nosso sortudo querido, era a chance de entrar com a minha tataravó no ataque para aproveitar as oportunidades ou, imagina então, adiantar Renato ao colocar um volante mais habilidoso, como Marciel.
    Aliás, o Argel sabia quem deveria ser parado, nosso maior patrimônio, Renato, foi caçado em campo, sem direito a reclamações. Deveria ter ido fazer um BO tamanha a truculência. Sorte nossa é que a canela ainda está inteira.
    Aos 22 do segundo tempo o caríssimo treinador consulta as cartomantes e puxando uma carta do tarô resolve tirar Malcom. Sim, foi isso mesmo, só pode. Acabou o jogo, recuamos até a arquibancada, atrás da linha de fotógrafos, sofremos o gol do fantástico drible do Paulão, aquele que um dia vai desbancar Messi e: chutão, chutão, Cristian e chutão.
    Derrota esperada, acho até que o clima do Beira Rio tenha levado o honorável Adenor a ter arrepios, mas só no meu “elifoot” teria sido derrota.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Luciano permalink
    09/17/2015 16:21

    Não há nada mais para comentar. Apenas resumindo: 2 gols na conta do Edilson. O Yago ou mesmo o Edu Dracena (que o Neto sugeriu na transmissao da Band) nos daira no mínimo o Empate. Por outro lado, os únicos times que me dão medo neste campeonato são Santos e Flamendo. O resto é resto.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: