Skip to content

Corinthians 2×0 Santos, não vejo ninguém na minha frente!

09/21/2015

Corinthians pagou finalmente sua dívida intangível com as redes sociais: jogou às 11 horas, numa situação climatológica desumana. Não dá para dissociar a campanha feita nas redes sociais contra o Corinthians e a alteração deste clássico que seria um jogão às 16 horas, mas virou um jogo de botão às 11. Como as redes sociais emulam a (des)inteligência do efeito manada, o efeito alcançado foi o oposto: timão sobrou individualmente e levou 3 pontos que, em condições climáticas diferentes, seriam bem mais difíceis.

Se o clima de Sampa favorecesse (i.e.: nosso inverno não fosse de umidade brasiliana), óbvio que jogar pela manhã seria excelente para todos – particularmente para os custos do clube: o turno de trabalho dos funcionários é menor, o caríssimo sistema de iluminação não seria ligado e a procura de ingressos dispara, pois é jogo para levar criança pequena.

Um relato pessoal: joguei, ontem, futebol de campo das 9 às 10 e, confesso, não aguentamos todos. O problema não era tanto o Sol (ainda fraco no horário), mas a umidade muito baixa que secava a garganta. A sensação era de jogar bola fumando um cigarro.

Corinthians x Santos, lembrou, portanto, jogos cadenciados como a final da Copa de 94. Jogadores estáticos como no futebol de botão; se um corre, não tem um mísero companheiro para acompanha-lo. Torna-se um jogo de embates individuais – como, de novo, no futebol de botão – onde quem tem melhor elenco leva. Paralelamente, como em 94 tivemos um bônus track com um Viola rompedor-descansado no finzinho, ontem surgiu um tal de Lucca, que observaremos atentamente em jogos mais “normais”.

Dorival optou por esperar mais o Corinthians e se deu muito mal: em jogos cadenciados, esperar não é opção, pois fica muito difícil sair do seu próprio campo e “popular” o ataque. Corinthians, por sua vez, abusou, corretamente, do individualismo para criar jogadas quase-mortais.

O gol surgiu num erro eloquente do ZECA, num lance em que Vagner, que já tinha furado a bola na primeira tentativa, tinha uma chance mínima de fazer o gol. É bom notar que o juiz NÃO DARIA o penal (inclusive sinaliza com um “não”), quem marcou, e bem, foi o bandeirinha. Mas quem mandou expulsar, e mal, foi também o bandeirinha e a imagem é CRUEL para o duo juiz-bandeira. Confesso que não acho a expulsão do ZECA obrigatória, pois não tenho 100% de certeza de que o Vagner tem o domínio da bola e que a distância, mesmo curta para o gol, não favorece o goleiro. É lance interpretativo.

Contudo, expulsar o Braz por DESAFORO é o fim da picada e claramente uma tentativa de fraudar a súmula do jogo. Esse juiz, que está há anos na cota dos péssimos, vai tomar gancho. (Sobre o lance do cotovelo, existe uma regra brasileira de que só se por expulsa cotovelada, quando ela vem do Kleber Gladiador).

Jadson ainda fez um 2×0 para a gente esquecer de vez o “se não for sofrido, não é Corinthians”.

O campeonato ficou ridiculamente fácil, mais 5 vitórias (+ 1 empate) e fim.

Copo cheio: campeão brasileiro de pontos corridos (tirando 2009) precisa de 73 pontos ou 64% de aproveitamento. Faltam só 16 pontos.

Sarrafo: 64%      Corinthians atual: 70%    Atlético: 64% Grêmio 59%

Anúncios
22 Comentários leave one →
  1. Correa Leonardo permalink
    10/02/2015 10:22

    Ué, anularam o jogo com o Figueirense? 🙂

    Curtir

  2. 09/22/2015 23:12

    E o Titenaccio que estava aqui? O gato comeu? Se isso é jogar retrancado, então eu gosto de retranca. Se jogarmos assim todos os cinco jogos que nos restam em Itaquera… Faltam 11, teremos oscilações (como todos tem), permaneço tenso mas confiante. Nada de ridiculamente fácil, sai zica :-). Repito, não sei se seremos campeões mas temos o time que mais ataca -E- defende em grupo nesse campeonato. E confesso que temia o time com Ralf e Yago. Felizmente eu estava errado. Elias e Ralf jogando juntos eliminaram o Lucas Lima (sou da opinião que por isso tanta gente achou que o Elias não jogou bem, discordo) e Yago não comprometeu. Mérito da organização da equipe e da dedicação de todos os jogadores (até o Vagner). Fiquei emocionado com a primeira grossura do Vagen logo no começo do jogo, a grande maioria da torcida aplaudiu e incentivou. OK, estávamos menos compreensivos na décima canelada dele, houve algumas reclamações mas ninguém vaiou. Calma com o Lucca, entrou no finalzinho contra uma zaga com 75 minutos de sol e 35 graus na cabeça. Mas mostrou personalidade.

    Curtir

  3. Múcio Rodolfo permalink
    09/21/2015 22:26

    Ainda faltam 11 rodadas, mas pelo andar da carruagem, ou melhor do FNM, caminhamos bem em direção ao sexto título de campeão brasileiro. Bastar manter a regularidade, o foco, a humildade…. Hoje conseguimos um a grande vitória. Pulverizamos aquela coisa de não ganhar clássico que fazia a alegria de muitos antis. “É líder, mas não ganha clássico” abutreavam a todo instante. E de quebra batemos num dos times mais bajulados do país, contra o qual não havíamos logrado vencer na temporada. Engraçado é que às vésperas da partida havia um certo temor pelas presenças de Yago e Ralf do nosso lado e de Lucas Lima e Gabriel do outro. As atuações de Yago e Ralf foram tão boas que o técnico adversário sacou o atacante e o meia deles só apareceu ao abrir a boca para falar bobagens. Foi só a bola rolar para o Time do Povo mostrar quem manda na bagaça. Não fosse o excesso de preciosismo em alguns lances, a providencial intervenção do goleiro adversário e o placar já teria se alterado na primeira etapa. Jadson protagonizou nessa etapa uma jogada que se fosse executada por um Ganso da vida…. No segundo tempo, o time desacelerou. Também com aquele calor. Mas mesmo assim criou as melhores oportunidades. Renato Augusto balançou a trave. Fagner perdeu um gol incrível. Eis que entra o recém contratado Lucca no lugar de Malcon -bem no primeiro tempo, apático no segundo. Talvez incorporando o espirito de um Paulo Borges, o garoto não sentiu o peso da estréia e levou pânico a boa defesa litorânea. Veio o pênalti. Pênalti claro, mas como a mídia abutre não consegue se desapegar do hábito…. rotula como polêmico. Jadson executa com tranquilidade e abre o marcador. Minutos depois, num contra-ataque o estreante faz um ótima jogada e toca para Elias – meio apagadinho hoje. Este alça a bola na área. Acho que não fosse o escorregão do zagueiro praiano a jogada teria sido inócua. Para compensar este detalhe, a categoria de Jadson, garantindo mais uma importante vitória para o Timão. O Domingo começou bem para a massa mosqueteira. Pena que o Urubuzento não colaborou. Na próxima rodada, os dois maiores concorrentes ao título irão à Santa Catarina. O Atlético encara o Joinvile que faz companhia ao Vice da Gama na lanterna, enquanto o Timão enfrenta um adversário um pouquinho melhor, mas que também está na zona do desespero. Detalhe: talvez o Figueira esteja com suas atenções voltadas para o jogo de volta diante do Manjubinha pela Copa do Brasil.

    Curtido por 1 pessoa

  4. 09/21/2015 20:00

    Não tem muito que comentar os colegas já “dissecaram” tudo.
    Apenas duas coisinhas.

    1- Foi curiosa ver muitas pessoas nas redes sociais aproveitando o resultado e exaltando a atuação do monstro Ralf, “ta vendo ele deu a volta por cima tem que respeitar” “jogou muito” etc etc.
    Vi a mesma coisa de sempre se repetindo,Renato recuando muito para organizar o time, certo momento Renato (uma pergunta: como faço para colar uma imagem aqui ? ilustraria melhor o comentário) com a bola e Ralf parado quem nem um cone sem dar a opção do passe,atrás do jogador adversário.

    2- Além das substituições totalmente despropositadas e aleatórias onde Malcom é sempre o primeiro a sair.
    Vejo que as avaliações sobre ele tem um peso diferente por grande parte da torcida.Foi bem contra o JEC,contra o Inter substituído injustamente e ontem novamente.E tem gente pedindo Lucca de titular(antes era HoRildo)
    Acho estranho essa pegação de pega,já que vi uma paciência homérica por exemplo com crack Mendoza.Todo mundo via que era ruim,mas sempre tinha um “tem dar uma chance” “tem que ter calma” inclusive dos que detonam Malcom (falo de maneira genérica), o sujeito jogou uma porretada de jogos até todos perceberem que rapaz só tinha nível para atuar na Índia.

    Curtido por 3 pessoas

  5. José permalink
    09/21/2015 18:35

    Abaixo, um artigo de um jornalista inglês, corintiano, sobre o jogo de ontem, o pênalti em Vagner Love e a onda anticorintiana.

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/nao-foi-penalti-e-o-corinthians-so-vai-ser-campeao-por-causa-dos-juizes-por-scott-moore/

    Curtido por 2 pessoas

  6. Cesar Cachaça permalink
    09/21/2015 15:37

    plano tático e técnico, pouco a acrescentar. Foi o melhor jogo “grande” que o Corinthians fez no campeonato. Pontos mais interessantes e polêmicos ehehe:

    11 horas – acho que está havendo um certo exagero. O problema é mais de adaptação do que de diferenças climáticas. Como vc falou, se o problema maior era a baixa umidade (de fato sp tá horrendo de seco, com uma renite que não cura há 10 dias), esse problema haveria também a tarde, aliás como houve sábado pro Palmeiras. Há muito a ser falado sobre esse horários. As duas principais queixas são o calor e a dificuldade do corpo do atleta estar preparado para desempenho de pico nesse horário (alimentação etc). Ambos argumentos encontram pouco respaldo em questões objetivas, inclusive comparando com vários outros tipos de esporte. Se um dia de calor infernal forçar o ritmo um pouco para baixo, que seja. Acho que quando todos estiverem mais adaptados não sentirá a diferença. Agora, se o cara vai jogar as 11 dois dias antes tem que estar na cama as 11 da noite, e há uma adaptação na rotina de acordar / alimentar-se no dia e na véspera. Mas nego quer ganhar 300 conto pro mês mas não quer se adaptar às rotinas que seu trabalho exige…

    O juiz errou, expulsou o cara errado. So what? qual o grande prejuízo? Acho que os adeptos da conspiração estão virando a ótica; nesse lance, o que há de se condenar é (i) Zeca que não se apresentou como verdadeiro culpado (ii) David que se revoltou mais do que precisava, pq qquer um bem intencionado ali entenderia que ou seu companheiro se indicava ou vc ia ter que sair mesmo no lugar dele. SAntos / Dorival / jogadores foram extremamente mimimi em suas declarações. Quando todos cantavam o SAntos como o melhor futebol do Brasil, muito que bom; muito que bom também quando eliminou o Corinthians com 2 vitórias com sobras na Copa BR. Quando perdem um jogo sendo amplamente dominados, aí é pq o juiz foi tendencioso.

    Também não acho o lance do Zeca subjetivo, para mim é textbook penalty de expulsão. A bola sobrou pro Love na cara do goleiro há 3m da linha do gol; Zeca não tenta disputar a bola, faz premeditamente a falta para impedir a conclusão. É a troca da chance manifesta e clara do gol (se no lance tá Love, Finazi ou Romário pouco importa) pelo penalty. Nesse sentido, confiando-se na súmula do árbitro, Corinthians haveria sido prejudicado, pois além do Braz Zeca deveria ter sido expulso também. Por alguma razão que só a metafísica explica (além da expulsão do Ricardo Oliveira já citada) conseguiram converter isso em algo para ajudar o Corinthians.

    Apenas 2 pequenas cornetadas. Um: embora o Corinthians tenha dominado, houve um momento de 10 minutos antes do gol onde o jogo estava se complicando – Tite demorou para mudar e, quando mudou, deu mais sorte do que juízo (fez a mesma troca de tira Malcolm põe alguém). O lance do penalty mudou o jogo naquele momento. Segunda cornetada: como o Corinthians tem dificuldade para levar perigo pro adversário na bola área. Quando o Jadson bate escanteios do lado direito, aquela jogada teoricamente ensaiada de bola mais alta para entrada da área é muuuuito ruim. Jà tentaram umas 40 vezes isso (não é hipérbole) e só saiu um gol meio contra do Felipe contra o Coritiba.

    Curtido por 3 pessoas

    • 09/21/2015 20:21

      Sobre as “supostas polêmicas” estou cada vez mais convencido único e real problema é o Corinthians liderar o campeonato ,tem cara esperneando por molhar o gramado na arena.

      Curtir

  7. 09/21/2015 14:47

    Lucca entrou bem.

    Tenho outra visão do jogo, o Corinthians teve mais pressão sobre a bola, quando estava sem ela, e com ela o Renato jogava como volante. Malcom e Love voltaram mais para tocar a bola e isso favoreceu o domínio na meia. Malcom sacrificou-se no vai e vem e Love ficou mais adiantado.

    Com Love à frente o Santos ficou mais preso atrás, abrindo caminho para Renato e Jadson. E Malcom ficando sacrificado marcando e correndo atrás da bola.

    Sem mais como fazer defesas milagrosas, a rasteira e a histeria foi o que sobrou ao Santos, e como Malcom ficou sacrificado, foi substituído por um meia de verdade, que aliás entrou bem (mas será que esses 15 minutos dizem algo?).

    Ah, secura, aqui em Brasília é 8 ou 80, muita chuva (ninguém fala nisso) no verão e muita seca no inverno. Na média fica-se acima do índice pluviométrico nacional. Mas na seca o coitado que faz esporte adquire um terceiro pulmão, eu costumo fazer corridas matinais após às 10h e se não se cuidar fica tudo turvo nas subidas.

    Curtido por 2 pessoas

    • bloguedotimao77 permalink*
      09/21/2015 17:11

      Sua análise é mais detalhada que a minha, mas entendi que o santos fez a opção de segurança, visando o 2o tempo.

      Tanto que eles começaram o ST mais adiantados (e não sustentaram).

      Sobre o clima, fiquei mesmo com a sensação de estar fumando durante o jogo! 🙂

      Curtido por 1 pessoa

  8. 09/21/2015 14:11

    1- Sobre o horário ridículo: não quero polemizar com um “off topic”, mas, que me conste, essa aberração surgiu num jogo do Palmeiras justamente para não rivalizar com a 1ª micareta anti-Dilma deste ano. A CBF gostou do resultado e estamos aí até hoje.
    Portanto, parodiando uma camiseta bastante difundida nesses eventos democráticos e populares, registre-se que “a culpa não é minha: eu votei na Dilma”. 😉

    2- Cotovelada: a não expulsão de Ricardo Oliveira se deveu exclusivamente ao seu histórico de bom moço / atleta de Jesus. Porém, não acho que caiba análise subjetiva nesse tipo de situação; cotovelada claramente intencional, como foi o caso, sempre será uma cotovelada claramente intencional, ponto – não importando se o agressor foi o Kaká ou o Cantona.
    O amarelo ficou de graça, nesse lance. E eles ainda têm a cara-de-pau de reclamar de arbitragem.

    3- Expulsão no lance do pênalti: mesmo critério; não cabe análise subjetiva. O Vágner levou uma machadada em situação clara e inequívoca de gol. Se ele, por ser grosso e/ou estar em fase tenebrosa, tinha 85% de chances de chutar em cima do goleiro, essa é uma variável que não pode em hipótese alguma ser levada em consideração pelo árbitro.

    4- Presepada: desde, é claro, de que ele tivesse plena certeza quanto ao autor da lenhada. Na dúvida, como ficou evidente que houve, o melhor seria ter justificado, nas entrevistas pós-jogo, alguma coisa na mesma linha em que argumentou o dono do boteco. Bota a bola na cal e segue o enterro.

    5- Súmula: porém, mesmo tendo optado pelo pior, mesmo feita a cagada original, entendo que era dever moral do árbitro reconhecer o erro em súmula e empurrar o pepino para os tribunais. Provavelmente, David Braz seria absolvido, Zeca não seria punido, e o pênalti foi pênalti mesmo – não há o que se falar.
    A saída encontrada pelo quarteto foi uma canalhice e pode prejudicar o rapaz ainda mais. Imperdoável.

    6- Não entendi porque Tite sacou o Malcom para promover a estréia do Lucca. Pelo que vinha sendo o jogo até ali, eu teria tirado o Cássio.

    Curtido por 4 pessoas

    • 09/21/2015 14:16

      E só mais uma coisa: seria chover no molhado dizer que o uso de “desafio eletrônico” durante as partidas poria fim a toda essa chatice que se tornaram os programas esportivos hoje em dia? Na falta do assunto arbitragem, ia ter muito neguinho tendo que voltar para os estudos a toque de caixa, sob risco de ir para a bancada mudo e sair calado.

      Curtido por 2 pessoas

      • Nicolau permalink
        09/21/2015 14:32

        Sou muito a favor. Aliás, fico pensando nos torcedores que dedicam seu tempo a tecer teorias da conspiração, alimentadas por seus dirigentes e técnicos: percebem que fazem papel de trouxa? Porque os caras que decidem todo ano assinam a regra, mantem a CBF no poder, pegam a grana da Globo, não promovem a profissionalização da arbitragem, a introdução de tecnologia… e reclamam dos mesmos erros.

        Curtido por 1 pessoa

      • bloguedotimao77 permalink*
        09/21/2015 17:07

        Isso é verdade.

        Curtir

      • 09/21/2015 19:06

        Fico vendo o primo rugby, juiz de TV, juiz com microfone, ninguém pode falar com o juiz, exceto os capitães. Isso num esporte como futebol é impensável? Acho que não.

        Curtido por 1 pessoa

        • Cesar Cachaça permalink
          09/21/2015 19:07

          pensei a mesma coisa vendo a copa de Rugby…

          Curtido por 1 pessoa

        • Nicolau permalink
          09/21/2015 19:24

          Essa de jogador não poder falar com o juiz (que eu acho corretíssima) teve uma recomendação da CBF/Comissão de arbitragem esse ano, não sei direito em que termos. Aí jogador vai lá, quebra a regra e fica bravo de levar amarelo – vide os 2 santistas expulsos, a se acreditar na súmula. Discussão das mais cansativas.

          Curtido por 1 pessoa

    • 09/21/2015 14:29

      1 e 6!!!!!!!! Ótimo!!!

      Curtir

    • Nicolau permalink
      09/21/2015 14:35

      Apoiado, em especial o 1, haha!

      Curtido por 1 pessoa

    • bloguedotimao77 permalink*
      09/21/2015 17:07

      1) na verdade foi compromisso com a TV, bem antes da Dilma. Quem começou foi o inter.

      2) Essa regra existe sim, mas só no Brasil. 😉

      3) Discordo! É interpretativo: você precisa ter 100% de certeza de que o gol era certo.

      4) exato! Na era das redes sociais, admitir o erro é como perder todos os debates ao mesmo tempo.

      6) haha!

      5)

      Curtir

  9. Sergio Santana permalink
    09/21/2015 12:39

    Apesar do clamor das redes sociais, se o campeonato todo fosse disputado as 11h , já teríamos 15 pontos na frente do segundo colocado, pois na minha visão , o que mais conta para o desgaste e falta de adaptação ao horário é o “efeito balada” e a maioria dos nossos jogadores, circunstancialmente, não tem esse perfil.

    Curtir

    • bloguedotimao77 permalink*
      09/21/2015 17:03

      Haha!

      Em 2011, com Adriano e Sheik, seríamos rebaixados!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: