Skip to content

Uma desgraça chamada cavadinha

01/25/2016

O jogo começou muito bem, mantendo o bom nível dessas últimas partidas da copinha. Mas, infelizmente, TRADICIONARAM o horário das 10 horas para essas finais e o jogo, que deveria ser uma correria, foi cadenciando… Cadenciando…

Futebol cadenciado sobressai tanto a beleza do jogador técnico, quanto a tosquidão infinita do cabeça de bagre.

No 1º tempo fomos melhores, mas o Sol matou a velocidade que nos levaria a 2×0, 3×0, 4×0… O 2º tempo, além de equilibrado pelo calor, trouxe um adversário combatendo forte e bem adiantado. Não demorou muito e a fragilidade defensiva completou o 2×2 (reparem no 2º gol que o cruzamento vai na posição em que o goleiro estava, mas o rapaz resolveu sair de lá…). Ah, mas quando o Flamengo estava num cai cai generalizado, pedindo água, o que faz a pior torcida organizada da face da Terra?

Matheus Pereira foi excelente na Copinha de 2015 e ótimo na de 2016 até o momento mais IMBECIL da carreira. Vai ser difícil ser aceito pelo torcedor numa boa (deveria). Talvez, quando Pato naturalmente assumir a titularidade, ele também deve ter chances no time principal.

A raiva é monstra. A cavadinha representa mais que uma má decisão, ela representa a realidade do futebol de base hoje no Brasil. Se um jogador como Edu Gaspar subiu ganhando R$ 100,00/mês, hoje, esses garotos já têm receitas mensais imorais. Esse dinheiro cria uma trupe festiva, que têm Neymar como referência. Uma trupe sem noção do talento, sem noção das responsabilidades de quem tem talento.

São caras que têm a peneira mais difícil da carreira pela frente e, no primeiro teste, põem tudo a perder numa cavadinha. São caras que ganham o suficiente para nunca sequer precisar dirigir um automóvel, mas põe tudo a perder ao comprar uma carteira de habilitação falsificada.

ARGHHHHHHHHHHHHH!


E o Tite quase pegando no sono durante a partida, hein?

Anúncios
6 Comentários leave one →
  1. Múcio Rodolfo permalink
    01/29/2016 12:40

    Então…
    1) Disseram por ai que perdemos um título ganho. Não creio nisso, afinal de contas do outro lado estava um time muito bom e que no primeiro tempo não merecia estar perdendo por 2×0. Não desanimou. Se aproveitou do nosso apagão e empatou a partida. E estaria vencendo se não fosse o equivoco do bandeirinha.
    2) E aí surgem os analistas de resultados, que migram do 8 ao 800. Nesse caso no sentido inverso. Aquela molecada que até então representava, que poderia ser a solução imediata para os problemas do time de cima, passou a não valer nada, ser amarelona, arrogante, soberba….
    3) Os tais sinalizadores pra mim não acrescentam nada. Como disse o gambazl em outros lugares eles costumam ser acendidos no início da partida. Acender naquele momento em que o time corria atrás do resultado e tinha condições de desempatar a partida, não me pareceu uma atitude inteligente.
    4) Que o Pirulão tenha aprendido a lição e que perceba que, embora possa até ser um jogador diferenciado, as vezes fazer o simples é a melhor escolha.

    Curtir

    • SERGIO SANTANA permalink
      01/29/2016 19:14

      3-Acendidos antes do jogo a noite … de dia nem antes nem durante nem depois

      Curtir

  2. 01/26/2016 22:21

    penalti com cavadinha é igual malabarismo com faca ou tocha acesa… só faça na certeza.

    pior que o penalti do Matheus teve o do Gabriel;
    e ainda pior foi o “apagão” do 2o. tempo.
    (com um bom cabeleireiro de grife e um assessor de instagram fera; quem sabe o Corinthians não pode estar formando um novo David Luiz)

    sobre o “inferno de Jah”, não tenho nada contra, mas os argentinos costumam acender ANTES das partidas. não?

    é parte da festa e não concorrente. certo?

    (tenho a impressão de que aquela moça, Elize, entraria fácil no estádio com o Mr. Yoki na mochila desde que acompanhada dos gaviões).

    e ai reside o que me incomodou.
    já no primeiro gol o Gabriel trocou um cartão amarelo certo (no inicio de um jogo decisivo) para abraçar os gaviões;

    e o goleiro DURANTE as cobranças estava preocupado em fazer gestos para os caras (saudou o Gash por engano) para demonstrar sei lá o q e para q…

    vc espera reações espontâneas, humanas… o momento da vida dos caras e o sujeito fazendo média. (e ninguém do clube fala nada)

    olhando da Charles Miller o Pacaembu é fácil (e por muito) o mais belo estádio da cidade. mas para ver jogos prefiro tranquilamente a Arena Corinthians-Itaquera.
    não voltaria nem ferrando. pode derrubar.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Luís permalink
    01/26/2016 10:00

    Uma desgraça chamada empresários, outra chamada falta de orientação, e outra chamada diretores corruptos…

    Como pode um clube que se orgulha de construir uma estrutura de primeiro mundo, e se gaba de ter os melhores profissionais nas categorias de base, permitir tamanha farra de empresários e tamanho descontrole emocional…

    E esse goleiro… fosse na minha época, tomaria uma surra de vara nas costas do pai quando chegasse em casa…

    Saudades dos tempos do “amadorismo” no futebol!!!

    Curtido por 1 pessoa

  4. 01/26/2016 1:20

    Saudades do Rincón.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: