Skip to content

Mesa TEM DE SER MUITO MACHO!

08/21/2013

Um selinho não dói

Avançando o disco “Sheik causando”, a questão que fica para mim é o tal protesto na porta do CT. Ok, foi meia dúzia de 3 ou 4, mas li em algum lugar alguém dizendo que um diretor da TO teria vomitado um rol de besteiras, exigindo A, B, C etc.

Não li nem ouvi declaração alguma, então vou trabalhar por hipótese. Se for verdade, é obrigação do Prefeito EXPULSAR a TO do Carnaval Paulistano, por uma simples razão: o carnaval, principal fonte de receita das TO’s, é financiado com dinheiro público e aquilo é para todos.

Bambi

Nunca associei o bicho a bicha. Para mim bambi foi um apelido que caiu como uma luva sobre a afetação típica dos torcedores do SPFC. Quem melhor eterniza esse estereótipo é o Rogério Ceni, sempre cagando regra de conduta. A mim pelo menos incomoda, parece que está ordenando que eu faça alguma coisa, sei lá, acho um cara tedioso. Mas é um traço de personalidade que você encontra em todos eles.

Lembro bem do SHOW DE RÁDIO do Sangirardi, que eu ouvia após os jogos com o meu pai. Era um rodízio de personagem e o do SPFC era o milionário “Lorde Didu du Morumbi” (viva lo google!), com mordomo corinthiano, mega afetado, que inclusive agradava ao torcedor.

São esses traços comuns entre quem está sentado na área VIP ou no setor Família que tornam as torcidas esses caldos tão diferentes entre si e tão homogêneas internamente.

Entendo que como tudo que envolve homofobia, a questão está na ignorância. Associar o bichinho meigo ao SPFC é divertido, cai bem, inclusive acho que foi o JK quem defendeu que eles assumissem o Bambi, como a SEP assumiu o Porco. Já associar Bambi/SPFC com homossexualismo e achar que isso é depreciativo, é coisa de ignorante.

Sheik merece mesmo aplausos

Ele fez mais pelo movimento gay do que qualquer beijo em novela, parada na paulista ou “não me representa”. Colocou as redes sociais, blogs e colunistas para criticar a atitude da meia dúzia que foi ao CT e o que é melhor: mostrou que o facebook tem sim um componente didático e a propagação do bom post do rivale Sakamoto do UOL é um exemplo disso.

TO x Puliça

Sem citar o nome da TO, mas domingo deram um cacete num torcedor que parece estava num Bar e acabou no hospital fazendo cirurgia no maxilar. A foto você encontra em qualquer saite.

Putz, que porra de polícia é essa que não consegue prender em menos de 24 horas esses marginais uniformizados e fotografados? Não interessa dizer de qual TO foi, poderia ser de qualquer uma.  A questão é: foi FOTOGRAFADO, pô!

Nessa a POLÍCIA ME PEGOU:

Três são-paulinos são presos em Brasília por agressão

Eles são acusados de agredir um torcedor do Flamengo antes da partida entre as equipes, no último domingo

Enfim,

TEM DE SER MUITO MACHO PARA BEIJAR HOMEM NA BOCA!

</homofobic on>Num faço essas coisas porque acho coisa de viado. </homofobic off>

Se joga na nossa mesa arco-íris!

Anúncios
24 Comentários leave one →
  1. 08/24/2013 8:42

    Um passo à frente dois pra trás.

    Após pressão da TO o cara publicou nota pedindo “desculpas aos que se sentiram ofendidos”!
    Pior, segundo nota da TO o cara disse na reunião que “foi só uma brincadeira com um grande amigo meu, até porque eu não sou são paulino” (Sheik não confirmou, nem negou essa afirmação).
    Amarelou, fez a única coisa que não podia fazer só pra zerar a perseguição da TO!
    Essa “retratação” confirma a tese que já discutimos por aqui de que a foto não foi postada pra militar causa gay alguma. Foi só cortina de fumaça mesmo pra tirar o foco do ato de indisciplina.
    Esse pedido de desculpas coloca a relação futebol-homofobia de volta à estaca zero à meu ver.

    Curtir

  2. Correa Leonardo permalink
    08/22/2013 8:33

    Se eu fosse homossexual ficaria ofendido com a tentativa de associação com essa torcida modinha…

    Curtir

  3. 08/21/2013 17:16

    E eu assumo que tinha preconceito com o Emerson quando ele veio para o Corinthians. Parecia um “carioca folgado” e encrenqueiro que não se daria bem em São Paulo (eu avisei que era preconceito). E não consigo parar de admirá-lo. Hoje menos pelo futebol, que ele anda devendo ultimamente, e mais pelo jeito que parece muito genuino. Não acho que ele planejou muito isso, mas concordo com o Álvaro quando diz que com uma simples foto ele pode ter feito muito pelo movimento contra a homofobia. Parabéns pela coragem. Pronto, já falei bastante da vida de um jogador fora do campo ou do treino.

    Curtir

  4. Cesar Augusto permalink
    08/21/2013 15:45

    1. A atitude em si do Emerson foi fantástica. Foi um tapa com luva de pelica na cara do machismo que domina o futebol. Emerson não beijou outro homem na boca porque é defensor da causa. Momentos depois, inclusive, mostrou fotos rodeados por belas mulheres. Beijou, sim, para desviar o foco de sua indisciplina ao ser substituído contra o Coritiba. Mas, não deu certo. Emerson descumpriu uma série de requisitos elencados na cartilha Tite e o castigo foi o banco de reservas contra o Luverdense por questões técnicas e disciplinares, segundo o próprio treinador.

    2. A repercussão absurda a respeito de um simples selinho entre homens demonstra, de forma cabal, que o Brasil, em pleno Século XXI, continua um país atrasado, intolerante e que não tem qualquer respeito pelas escolhas individuais das pessoas. Aliás, se fôssemos um país evoluído esse assunto sequer seria mencionado, pois, mesmo que Emerson fosse gay, não se discute opção sexual por se tratar de liberdade de individual.

    3. Os 5 vagabundos que foram ao Parque São Jorge protestar contra o Emerson são ridículos, atrasados, intolerantes, ignorantes e, principalmente, burros. E, obviamente, não tem procuração para representar a torcida do Corinthians. Emerson, em momento algum, envergonhou a camisa do Corinthians. Ele apenas abriu uma discussão que pode ser bastante útil desde que a questão seja levada a sério, sem os preconceitos característicos do mundo do futebol.

    4. A partir do beijo do Sheik, os são-paulinos estão mais felizes do que nunca, porque, agora, eles não tem mais o “monopólio da viadagem”. São ridículos esses “bambis”. Lembro que quando o Vampeta trouxe o termo “bambi” para o noticiário do futebol, ele deu o seguinte exemplo: Disse que ele e outros jogadores do Corinthians estavam voltando da esbórnia e encontraram Kaká e Júlio Baptista em uma sorveteria da Avenida Dr. Arnaldo, na véspera de um SPFC x SCCP decisivo. Foi mais ou menos isso. Vampeta não falou em homossexualismo. Falou em estilos. Enquanto os jogadores do Corinthians gostavam da zona, tricolores gostavam…da sorveteria. Bambi é sinônimo de SPFC e seus elitismos, de Rogério Ceni, de hipocrisia, de arrogância, de defender o não rebaixamento de 1990, de se achar superior, de acreditar em teorias da conspiração e, também, de freguesia. Isso é ser bambi e, neste caso, concordo com o Dono do Boteco, pois Rogério Ceni é o fiel retrato do típico bambi, ou seja, arrogante, pernóstico, pretensioso, ar de superioridade e péssimo perdedor.

    Curtir

    • 08/21/2013 16:39

      1, 2, 3) Lembro-me de um conhecido, carioca, que tem já seus lá vão tantos anos de cabelos brancos, que me falava do rigor e preconceito como a sociedade paulistana tratava os adultos que andavam de bermuda, nos anos 60 e 70. Isso era com os homens, confundidos com depravados. De tanto usarem, ninguém hoje faz tal distinção.

      Acho que acontecerá o mesmo com as manifestações de carinho entre homossexuais, ou não, na Rússia beija-se na boca como cumprimento, de tanto repetirem não haverá como lançar o ranço e o rancor.

      No fundo as manifestações de desprezo escondem uma série de características psicológicas e sociológicas, desde medo até comportamento de manada, e que não servem como desculpas.

      4) quanto ao bambi, a figurinha mitológica de Walt Disney, de pernas bambas e olhar indefinido, filho de uma família real, que era sempre o coitadinho. Cabe bem, principalmente com os jogadores não-me-toques.

      Curtir

    • 08/21/2013 17:51

      1-Pego na veia, mas acho que nem ele imaginava o impacto da imagem

      4- Eu lembro dessa história também e quem contou foi o jornalista que estava acompanhando o Vampeta (acho que para uma Playboy).

      Bambi é isso aí.

      Curtir

    • Márcio permalink
      08/21/2013 21:46

      A melhor definição do que é um torcedor do SPFC que já li até hoje foi essa dada pelo Cesar Augusto. A questão é que o termo “bambi” resultou em outras interpretações, relativas a orientação sexual. Mas antes do Vampeta resgatar o termo, a empáfia e prepotência tricolores tinham sua definição no termo “pó-de-arroz”. A explicação do porque se chamavam os torcedores do SPFC desta forma me foi dada pelo meu pai, torcedor do time verde das Perdizes, na longínqua década de 1970. Ou seja, mudam-se as palavras usadas para caracterizar o “modus operandi” de um torcedor do SPFC, mas o comportamento desta torcida sempre foi o mesmo: arrogante e se achando superior aos demais.

      Curtir

    • 08/22/2013 14:14

      Perfeita definição de Bambi!

      Curtir

  5. Daniel CMS permalink
    08/21/2013 13:19

    1- Sou dos que acha que o Emerson tirou a foto só pra mudar o foco, que de outra forma seria em sua revolta por ser substituído. Mas, talvez tenha atirado no que viu e acertado no que não viu, dada a repercussão.

    2 – Bambi é chato pra caraglio, arrogância em forma de ser humano.

    3 – Vamos de 1/2 e Ibshow, é isso? Edenílson entra no segundo tempo no lugar de Ibshow, pra nunca mais sair??????? OJALÀ

    Curtir

  6. Raphael permalink
    08/21/2013 11:02

    1. Não gostar do que o Sheik fez ali na foto não dá direito a ninguém ameaçar o cara ou o clube por isso. Eu não gosto de funk nem de igreja evangélica, nem por isso vou pedir a cabeça de um ou outro jogador por postarem fotos com as cavalas do funk e depois tuitarem que “Deus é o caminho e a salvação”.

    2. O pastor que dirige nosso time tirou o Sheik para colocar mais um bovino. Concordo que o Emerson não vem jogando nada, mas a culpa não é só dele. O esquema é uma merda… o cara joga isolado, longe do gol e com grande obrigação defensiva.

    3. Que venha o Luverdense! Pra cima deles, rumo ao empate – com muito respeito e marcação

    Curtir

  7. Max permalink
    08/21/2013 10:09

    E sobre o jogo de hoje:

    1 Sheik no banco. Tite disse que por motivos técnicos e disciplinares quando sabemos que foi só por motivos disciplinares. Bastava continuar marcando até a linha de fundo que jamais sairia do time por motivos técnicos. Independente do motivo resultou nunca escalação mais ofensiva com dois jogadores que não voltam até a linha de fundo pra marcar, o que é mais do que poderíamos esperar.

    2 Em condições normais de temperatura e pressão eu espero um atropelo, mas o Cianorte está aí pra nos ensinar que um ambiente desfavorável e uma dose extra de vontade e correria do adversário mandam a lógica pro espaço.

    Curtir

  8. Max permalink
    08/21/2013 9:55

    Na copa de 98 quando o grupo resolveu raspar a cabeça de todos numa demonstração de união adivinhe quem foi o único a reclamar publicamente? Esse é o DNA bambi.
    Não vou ser hipócrita, claro que já usei o termo de forma homofobica, principalmente na adolescência quando o cérebro ainda está verde (verde?).
    Se sentir ofendido com o termo gay é tão homofóbico quanto usá-lo acreditando estar ofendendo. Nesse sentido o preconceito é bilateral.
    Hoje vejo o termo bambi como símbolo da conhecida fragilidade do SPFC em decisões contra o Corinthians, além dessa dose de “sou melhor que você” que é tão fácil encontrar neles.

    Curtir

    • 08/21/2013 12:03

      Inclusive, escrever sobre o isso (como fiz) é bem mais fácil do que agir sem HOMOFOBICALIBIDADE.

      Mas eu realmente nunca compactuei muito, TANTO QUE… SE ALGUÉM JÁ PERCEBEU, chamo esse universo de times insignificantes pelas siglas, SEP e SPFC.

      Curtir

    • Cesar Augusto permalink
      08/21/2013 15:49

      Verdade. Rogério Ceni, ainda, não era ninguém no futebol, mas já demonstrava a arrogância típica daqueles formados na Escola do Jardim Leonor. Se Romário, Dunga, Cafu, entre outros aceitaram, porque, justamente, RC não aceitaria?

      Até o Gonçalves aceitou na boa, tendo em vista que não rasparam, simplesmente, o seu cabelo, rasparam o seu implante de cabelo, hehehe. Talvez por isso, Gonçalves, bom de grupo, tenha jogado em 1998, em detrimento de Mauro Galvão e Antonio Carlos, que viram a Copa pela TV.

      Curtir

  9. André Pinheiro permalink
    08/21/2013 9:39

    os torcedores ja foram soltos.

    acho que o que tem que ser discutido no sheik foi o chilique que ele deu após ser substituido, jogador mimado, num vem jogando nada e foi pro banco merecidamente.

    será que a escalação do alessandro hoje nao é um indicio de que o edenilson possa entrar no lugar do ibson? pelo menos no segundo tempo….

    pato e guerreiro juntos é o obvio, só espero que o pato nao jogue marcando o gandula.

    Curtir

  10. 08/21/2013 8:16

    Álvaro, parabéns pelo texto!!!
    Quanto à meganha daqui de Brasília, falta-lhes a noção de massas que se agridem, afinal passeatas de 10 mil são semanais.
    Acho que é paradigmático o fato de que eles mataram um são paulino em 2008, num SPFCxBrasiliense. Mataram um favelado em 96, durante um protesto por moradia. Mataram um grevista durante protesto em 99. Sempre na bala.

    Curtir

    • 08/21/2013 12:08

      É bom ter um embaixador do blogue no Planalto para nos por a par desses merdas.

      Entra governo, sai governo e ninguém coloca em pauta o fim das PMs…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: